11 livros infantis sobre paternidade

Confira lista, feita pela equipe de curadoria do Clube Quindim, com obras que falam sobre as relações de afeto, amor e ausências, entre outros assuntos

430
Pai lê com a filha dentro de cabana iluminada
A leitura é uma ótima forma de fortalecer vínculos entre pais e filhos | Crédito: depositphotos.com
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

Neste domingo (13), comemora-se o Dia dos Pais. Embora a data seja dolorosa para muitas famílias, que por motivos diversos não contam com a presença do pai, ela celebra uma relação de afeto importante e formadora na experiência da infância e até mesmo da vida adulta. A data é uma boa oportunidade para discutir temas essenciais como paternidade ativa e como o cuidado e a responsabilidade paterna são essenciais, tanto para a criação do vínculo afetivo quanto para o desenvolvimento infantil. 

Na literatura infantil, temos muitas figuras de pais representadas por histórias distintas: de admiração, de convivência, mas também de ausência e conflitos.  Confira 11 livros sobre a relação entre pais e filhos, selecionados pela equipe de curadores do Clube Quindim:

Eu grande, você pequenininho de Lilli L’Arronge (Editora Companhia das Letrinhas)

Um pequenino e seu pai passam por todas as delícias e desafios do convívio entre eles e suas diferenças, desejos e necessidades. Enquanto um é grande, forte e muitas vezes está cansado, o outro é miúdo e cheio de energia.

Papai tatuado, de Daniel Nesquens e Sergio Mora (Editora WMF Martins Fontes)

O pai chega e vai embora sem avisar, permanece pouco tempo, o suficiente para encantar o filho com suas histórias fantásticas e aventuras pelo mar. Com o corpo repleto de tatuagens, ele narra para o menino a origem dos desenhos gravados em sua pele.

Os pescadores e suas filhas, de Cecília Meireles e Cris Eich (Editora Global)

Lá no mar, os pescadores buscam o sustento. Na terra, as suas meninas vivem a infância enquanto lhes aguardam. Entre os dois cenários, a poesia, a imaginação e o sonho. 

Amoras, de Emicida e Aldo Fabrini (Edições Companhia da Letrinhas)

O poema deste livro é originalmente a letra de um rap e fala da relação de um pai e uma filha. A certa altura, eles vão passar por um pomar e o pai explica à filha que as amoras “pretinhas são o melhor que há”, referindo-se à doçura das frutas, que quanto mais escuras, mais doces são.

Meu pai era um cara legal, de Keith Negley (Editora V&R) 

Um livro que conta a visão de um menino sobre o pai e, por consequência, a paternidade. Um olhar delicado e sem preconceitos sobre essa relação essencial à vida das crianças, com reflexões interessantes para a juventude e a vida adulta.

LEIA TAMBÉM:   

O dia em que troquei meu pai por dois peixinhos dourados, de Neil Gaiman (Editora Rocco)

Se você quisesse muito uma coisa, seria capaz de dar em troca algo valioso, como o seu pai? Um menino deseja ter dois peixinhos dourados e, sem pensar nas consequências, a troca é feita.

O urso que queria ser pai, de Wolf Erlbruch (Editora Companhia das Letrinhas)

Depois de um inverno inteiro dormindo, o urso acordou e pensou em ter um filhote, mas não sabia como. Então, saiu em busca de respostas para saber como ser um papai urso.

Mas papai…, de Marianne Dubuc e Mathieu Lavoie (Editora Jujuba)

É chegada a hora de o Papai Gorila colocar os macaquinhos para dormir e está tudo pronto para o soninho. Será? Uma obra que retrata com muito humor os desafios de pais e filhos para este momento noturno.

A menina amarrotada, de Aline Abreu (Editora Jujuba)

Uma menina mora do lado de lá, onde as coisas são boas, apesar de meio cinzentas. Seu pai sempre viaja e volta logo para casa, até que um dia a menina acha que ele nunca mais vai voltar.

Papai é meu!, de Illan Berman e Juliana Bollini (Editora Moderna)

Duas irmãs disputam a atenção do pai. Elas são bastante possessivas, com um toque de ciúmes e uma pitada de rivalidade fraternal. A todo instante, as duas dão provas de que não estão dispostas a dividir afetos. Ora essa! Então, no meio de um passeio numa manhã de inverno, puxa de cá, puxa de lá, o pai se divide ao meio!

O passeio, de Pablo Lugones e Alexandre Rampazo (Editora Gato Leitor)

A narrativa inicia no dia em que a personagem, na companhia de seu pai, consegue pedalar sozinha pela primeira vez: “preparada, filha?” E os passeios de bicicleta seguem pela infância, adolescência e chegam à fase adulta da protagonista, permeados pelo olhar da sempre aprendiz.

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui