O lado B da separação de um casal

O administrador Fernando Dias reflete sobre a importância de pais divorciados se manterem presentes na vida dos filhos

19
Pai beija no rosto o filho, que está deitado na cama
Após a separação, pais têm de se habituar a passar dias com e sem os filhos
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

Quando me separei, todos os meus amigos casados, que não estavam bem nos seus respectivos casamentos, olhavam para mim e me viam como o sortudo que estava “livre, leve e solto”, com todas as benesses que a vida de solteiro podia me trazer naquela época.

Mas eles só viam as cachaças que eu tomava, não os tombos que eu levava.

Uma das coisas que eu mais sentia falta, e hoje também sinto, depois de ter me casado novamente, é não poder acordar todos os dias com as minhas filhas. Mesmo ficando uma semana sim e outra não com elas.

Fato é que, alguns dias, obviamente, elas não estarão comigo. E, nesses dias, haverá vezes em que estarei com mais saudades que o normal. Sem falar nas datas especiais – como Natal, Ano Novo e até mesmo algum aniversário – meu ou delas, que também alterno com a mãe.

Mas a vida é assim. Feita de escolhas. E todas as nossas escolhas têm uma consequência (Eu disse TODAS!)

Se você também é divorciado como eu, não deixe que a distância, ou os dias sem a convivência com seus filhos, vire um problema na sua vida e na vida deles. Esteja presente, se faça presente. O como não importa. Só se faça presente.

Lembre-se que só existe ex-mulher e não ex-filhos.

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News, sempre no último sábado do mês, no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui