Shantala: conheça a massagem que traz mais tranquilidade para o seu filho

A prática milenar indiana, que pode ser feita desde o primeiro mês de vida do bebê, proporciona bem-estar e diversos outros benefícios!

Técnica milenar surgida no oriente, a shantala ajuda a acalmar bebês e pode ser usada também em crianças; na foto, mãos de um adulto massageiam bebê deitado
Por meio do toque e movimentos circulares a shantala ajuda a tranquilizar bebês

Leia em 6 minutos

Ainda sem uma origem exata, sabe-se que a prática hoje conhecida como “shantala” é milenar e surgiu na Índia. Em viagem a esse país, na década de 1970, o obstetra frânces Frédérick Leboyer viu uma mãe fazendo uma massagem em seu bebê e se interessou pela atividade e pelos benefícios que ela poderia proporcionar às crianças. O nome da mulher era Shantala e ela ensinou ao médico os movimentos e permitiu que registrasse a técnica em imagens. Foi então que o especialista lançou, no ano de 1976, a obra “Shantala, uma arte tradicional, massagem para bebês”, que é considerado um dos livros mais importantes sobre essa técnica milenar oriental aqui no ocidente. A obra reúne conhecimentos, dicas e o passo a passo para a prática, bem como suas vantagens para o organismo infantil.

“O nome do livro é “Shantala”, porque a mulher que ensinou o doutor Frédérick se chamava Shantala, mas essa massagem não tem esse nome lá na Índia. Essa é uma massagem “abhyanga” (massagem com aplicação de óleo na pele), e esse nome só ficou popular a partir desse livro que ele escreveu na França”, explica Patricia Lomonaco, psicóloga especialista em shantala e idealizadora do Curso Online de Massagem Shantala.

Fortalecendo o vínculo

Por meio do toque, a massagem busca acalmar e equilibrar as emoções proporcionando bem-estar físico e mental para pais e filhos. “O objetivo principal da massagem é fortalecer o vínculo entre cuidador e bebê, ajudando o pequeno a passar por essa etapa da vida com mais segurança, amor e carinho”, ressalta a fisioterapeuta e especialista em shantala Fernanda Massa. Ela explica que os movimentos aplicados com a shantala têm a intenção de proporcionar ao bebê fluxos semelhantes aos que eles vivenciava na barriga da mãe.

Não tem idade máxima

Embora mais conhecida pela aplicação em bebês, essa massagem pode ser feita também em crianças maiores. “A shantala não tem idade máxima. Você pode fazer em crianças grandes e até mesmo em adultos. Trata-se de uma massagem maravilhosa para bebês e crianças, que traz inúmeros benefícios para eles”, reforça Patrícia. Ela diz que desde que a criança aceite a terapia, ela pode ser uma boa maneira de manter-se próximo do filho durante diversos momentos de sua vida.


Leia também: Os óleos essenciais mais indicados para crianças


Uma lista de benefícios

A prática da shantala traz inúmeras vantagens físicas e emocionais para o seu filho. Por meio desse contato, é possível estabelcer uma relação de confiança e amor com o bebê. A massagem também colabora para o bom funcionamento do organismo como um todo, trabalhando de forma conjunta diversos sistemas do corpo. As duas especialistas listaram alguns dos benefícios que a Shantala pode oferecer:

1) Relaxamento profundo – ao realizar a massagem, o corpo elimina o hormônio cortisol, responsável pela sensação de estresse, e produz outros hormônios relacionados ao bem-estar. Essa mudança no organismo propicia um relaxamento corporal e mental para o pequeno, além de ajudar muito no sono!

2) Prevenção da cólicas – os movimentos realizados na região do abdôme garantem com que os gases sejam eliminados do corpo do bebê, o que contribui para que ele não tenha as tão terríveis cólicas.

3) Melhora da consciência corporal do bebê – “Conforme você vai fazendo a massagem, vai contornando a pele dele, ele vai entendendo que esse é o limite do corpo. Pois quando o bebê nasce, ele não tem noção do contorno do corpo dele. Ele abre os olhinhos e acha que tudo em volta faz parte dele. Aos poucos eles vão entendendo o que é o corpo deles com a massagem Shantala”, destaca Patricia.

4) Alongamento e fortalecimento muscular – além de relaxar e divertir, a prática também ajuda a alongar e preparar os músculos do bebê para todos os movimentos que ele faz. Ao alongar os braços e as perninhas, você estará ajudando na consciência e no fortalecimento deles.

5) Contribuição para os sistemas respiratório, circulatório e nervoso – os diversos movimento empregados durante a massagem colaboram para que o corpo continue funcionando em harmonia. Por exemplo, a Shantala colabora para a melhora da respiração do bebê ao fazer os movimentos de “abrir” o peito do bebê, tornando-o mais ativo e consciente do processo de respiração.


Leia também: Saiba como entrar em sintonia com seu filho – e assim ajudá-lo no equilíbrio emocional


6) Melhora o funcionamento do intestino – assim como descrito acima, as massagens também ajudam no transito intestinal, evitando gases e prisão de ventre.

7) Maior segurança e desenvolvimento emocional – essa troca de energia e intenção que ocorre durante a massagem colabora para o fortalecimento do vínculo cuidador – bebê. Sendo muito importante para que o pequeno se sinta seguro e amado desde os primeiros momentos da vida.

8) Bem-estar dos pais e cuidadores – “A chegada de um bebê é desafiadora, traz inúmeras mudanças que exigem adaptações e, muitas vezes, o estresse dos pais é muito grande. Fazer a massagem nas crianças é muito bom para que os cuidadores também possam relaxar e organizar os pensamentos”, comenta Patricia.


Leia também: 10 alimentos para ajudar as crianças a ter uma boa noite de sono


Para fazer em casa

A massagem pode ser realizada após o primeiro mês de vida do seu filho. “Nos bebês menores, é sempre importante perguntar para o pediatra se a prática está liberada. Além disso, também aconselhamos que o bebê tenha no mínimo 4kg, para não perder calor muito rápido”, aconselha a psicóloga Patrícia. Ela detalha que para aplicar a shantala em casa, o primeiro passo é escolher um cômodo que seja calmo e silencioso, pois isso irá favorecer o momento de relaxamento. Além disso, é preciso atentar à luz e à temperatura do ambiente, prefirindo uma iluminação mais amena e um clima aconchegante.

Outro ponto importante é a escolha do óleo correto. Selecione opções vegetais e que não tenham aromas fortes que possam irritar a pele ou a respiração do bebê.

“Você pode aplicar a shantala a partir dos 30 dias de vida do bebê, com deslizamentos rítmicos na pele, sempre usando um óleo vegetal”, explica Fernanda.

Também opte por realizar a massagem sentada em um lugar confortável, como na cama, em um tatame ou até mesmo em um tapete macio. Preste atenção nas reações do bebê e tente seguir uma ordem nos movimentos da massagem que seja mais aceita por ele.

Acompanhe o tutorial elaborado pelo Ministério da Saúde com um passo a passo de como realizar a shantala em casa:

Disponível no SUS

Desde 2017, o Sistema Único de Saúde (SUS) passou a oferecer algumas práticas integrativas para a população, como Reiki, Meditação e Shantala. A iniciativa pertence a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PICs) do Ministério da Saúde, podendo ser encontrada em Unidades Básicas de Saúde (UBS) do país. Para saber se a prática está disponível na sua cidade, entre em contato com os órgãos municipais responsáveis pela saúde.


Leia também: Como fazer o bebê dormir sozinho: conheça as principais técnicas de sono


Gostou do nosso conteúdo? Assine nossa newsletter bissemanal. É grátis!
Informação e inspiração para criar filhos melhores para o mundo.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui