A natureza de Angelo Machado

551
Capa do livro O dilema do bicho-pau, do escritor mineiro Angelo Machado. O autor valorizava em suas obras a curiosidade, a inteligência, a esperteza e o ponto de vista da criança.
Livros do escritor mineiro Angelo Machado falavam de temas do cotidiano, da ciência e da natureza

A literatura infantil brasileira perdeu, em abril, um de seus autores mais criativos e generosos: Angelo Machado. E a ciência brasileira também lamentou profundamente. Ocorre que Angelo era um sujeito multitalentoso: além de escrever livros e peças teatrais para adultos e crianças, era cronista, médico e um dos maiores especialistas do mundo em insetos, principalmente em libélulas. 

E os bichos eram presença constante em sua obra infantojuvenil: milhares de crianças se encantaram com suas histórias criativas e bem humoradas: “O Casamento da Ararinha Azul”, “Chapeuzinho Vermelho e o Lobo Guará”, a genial série “Que bicho será?”, em parceria com o ilustrador Roger Mello, entre outros. Na coluna deste mês, destaco dois livros deste grande escritor mineiro que acaba de nos deixar.

Leia também: Livro também é brinquedo

Com sua bem temperada mistura de ciência, fantasia e humor, Angelo conta a história de um bichinho bem curioso, em “O dilema do bicho-pau”. O pobre do inseto não consegue entender se é um graveto ou um animal. Se é uma coisa, não pode ser outra… ou será que pode? O bicho-pau, claro, é uma metáfora para nós mesmos, bichos de carne e osso, e nossos próprios dilemas e dúvidas, entre ser isso ou aquilo. Angelo nos mostrou, em sua vida, que é possível ser ao mesmo tempo bicho e pau, ou melhor: cientista, professor, médico e escritor.  

Capa do livro A Viagem de Tamar, de Angelo Machado. Escritor falava de temas do cotidiano, da ciência e da natureza em suas obras.
Livros de Angelo Machado, falecido em abril de 2020, tratavam de temas do cotidiano, da ciência e da natureza em suas obras.

Vale lembrar que o Angelo cientista nunca atrapalhava o Angelo escritor. Nada de fazer literatura infantil com cara de obra didática ou lição de casa! Pelo contrário: seus livros sempre valorizavam a curiosidade, a inteligência, a esperteza e o ponto de vista da criança. Os temas do cotidiano, da ciência e da natureza, mesmo quando tinham aspecto educativo, jamais eram tratados de modo pedagógico ou moralista. É o caso, por exemplo, da tartaruga-criança protagonista de “A viagem de Tamar”. O livro traz o elogio da natureza, do meio ambiente, mas nunca deixa de ser uma história divertida e emocionante, que valoriza a descoberta, a aventura e a coragem.

Leia também: O amarelo na retina das memórias das meninas

Angelo Machado foi um escritor, dramaturgo, médico e professor mineiro. Raquel Lourenço, mineira, é bióloga e ilustradora. 
Ficha técnica dos livros:
O DILEMA DO BICHO PAU. Texto de Angelo Machado. Ilustração de Raquel Lourenço. Editora Nova Fronteira, 1997.
A VIAGEM DE TAMAR. Texto de Angelo Machado. Ilustração de Raquel Lourenço. Editora Lê, 1998.

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter.

O escritor Leo Cunha publicou mais de 60 livros, como "Um dia, um rio" (Ed. Pulo do Gato), "Infinitos" (Ed. Melhoramentos), “Vira-lata” (Ed. FTD) e "A grande convenção dos sapos" (Ed. Globo). Recebeu os principais prêmios da literatura infantil brasileira, como Jabuti, Nestlé, FNLIJ, Biblioteca Nacional e João-de-Barro. É também jornalista, tradutor e professor universitário.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui