6 atitudes para voltar a ter diálogo com o filho adolescente

Leia em 4 minutos

A adolescência é vista como uma fase de afastamento que obriga tanto os jovens como os familiares a passarem por uma série de ajustes. O desafio, entretanto, está justamente na árdua tarefa de manter um diálogo eficaz para poder dar a esse adolescente o suporte necessário sem interferir no seu desenvolvimento e sem invadir o seu espaço.

É fato que a criança precisa crescer aos poucos e o desejo de independência é algo natural e imprescindível para que atinja a maturidade. Obviamente, que nesse caminho alguns adolescentes exigem liberdade demais e que também alguns pais dão liberdade de menos.

A consequência disso é um cabo-de-guerra sem fim que causa um desgaste na relação familiar para ambas partes envolvidas. De um lado, o adolescente que se sente podado a todo instante e, do outro, os pais que já não sabem mais como reassumir o controle da situação e voltar a ter aquela relação que tinham com o filho quando ele ainda era uma criança e tudo parecia mais simples.

A seguir, selecionei 6 dicas fundamentais para que os pais consigam reconquistar ou manter um bom diálogo com o filho adolescente preservando sua individualidade mas sem perder o controle da situação.

Leia também: Crianças e adolescentes conectados ajudam os pais a usarem a internet, revela pesquisa

 Ações para manter uma comunicação eficaz com seu filho

1ª dica: Entenda seu filho

A primeira coisa que você precisa entender é que seu filho é um indivíduo único, com seus próprios sonhos, desejos e aspirações – ou seja, ele não é você. Obviamente que os pais criam expectativas sobre a vida dos filhos e que desejam coisas que são, para si, o melhor. Perceber que cada pessoa é única e tem seus próprios desejos é fundamental. Respeitar isso e não impor a sua vontade é o primeiro passo para que a comunicação seja uma constante nessa relação.

2ª dica: Converse descontraidamente

Não precisa esperar um momento específico do dia, nem combinar com o adolescente uma hora para falar com ele. Aproveite os momentos em que seu filho adolescente está mais à vontade e inicie uma conversa sobre qualquer tema, apenas para “treinar” o diálogo. Faça uso de momentos descontraídos para ter conversas informais e ir tornando o diálogo algo mais comum e rotineiro. Assim quando você tiver que tratar de um assunto mais sério não será algo tão difícil.

3ª dica: Tenha tranquilidade

Não se ofenda quando seu filho discordar de você. Admita que existem diferentes pontos de vista e que, talvez, vocês não concordem em certos aspectos. Quanto mais levar para o lado pessoal e reagir por que seu filho simplesmente não concordou com você, mais resistente ele ficará a se expressar novamente, dificultando o diálogo entre ambos. Mostre que mesmo não concordando com ele você o entende. Isso o ajudará também para a vida e para as demais relações que ele vai ter.

Leia também: Famílias com crianças ou adolescentes são as mais afetadas pela pandemia, diz Unicef

4ª dica: Não prolongue demais

Diga o que quer dizer e pronto! Abra mão dos longos sermões a cada pequeno problema. Dê ao seu filho a chance de pensar sobre o que ele fez sem ficar falando o tempo inteiro. Obviamente, existem situações que exigem uma conversa mais demorada e profunda mas não faça isso sempre. Além de cansativo vai afastar o adolescente do diálogo.

5ª dica: Saiba escutar e ser flexível

Tenha em mente que é importante ser flexível. A intransigência e o apego às regras são os maiores responsáveis por fazerem os filhos terem uma vida dupla, sempre buscando uma brecha na “lei” para fazerem o que querem. Saiba também ouvir com atenção e pondere sobre o que seu filho está falando. Nem tudo que ele reclama é birra ou implicância. Se você for razoável irá perceber que, muitas vezes, ele tem certa razão e que vocês podem chegar a um acordo que bom para ambos os lados.

6ª dica: Orientar é melhor que ordenar

Conversar sobre um problema é algo fundamental para que seu filho aprenda a solucioná-lo através do seu próprio raciocínio. Mas para que isso aconteça é preciso mais que treinar.Ao dialogar com ele ofereça opiniões e oriente a respeito do caminho mais correto ou melhor e depois deixe que ele pense à respeito e tome suas próprias decisões. Passado o tempo necessário para pensar você pode retomar a conversa e orientá-lo sobre a decisão tomada. O importante é que você nunca dê ordens ou decida nada pelo seu filho, pois assim ele nunca se tornará capaz de fazer isso sozinho.

Por fim é importante lembrar que o diálogo é feito de dois lados: o comunicador e o receptor. Para estabelecer uma boa comunicação com seu filho adolescente é preciso também estar disposto não somente a falar, mas também a ouvir e entender o lado do outro.

Leia também: Saiba como reativar a conexão e ajudar seu filho adolescente

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter. É grátis!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui