10 livros para falar sobre temas difíceis com as crianças

Obras de diferentes culturas e realidades de mundos ajudam a tornar as crianças mais empáticas e capazes de lidar com sentimentos diversos

294
Mulher ruiva e criança de cabelo crespo leem livro juntas
Livros servem de estímulo para que crianças se expressem

A separação dos pais, a morte de um familiar, a chegada de um irmãozinho… Nem sempre é fácil abordar temas complexos como esses com as crianças, e muitos pais preferem evitá-los com receio de causar mais sofrimento aos filhos. Porém, é importante que as crianças tenham espaço para falar sobre suas experiências e expressar seus sentimentos, o que as ajuda a se sentir melhor. Nesse sentido, os livros de literatura infantil podem ser muito úteis como ferramenta para iniciar diálogos entre pais e filhos.

“Além de abrir um leque para conversas e reflexões, a literatura infantil permite que o leitor vivencie histórias, diferentes culturas e realidades. Isso amplia não apenas o repertório intelectual da criança, mas também o emocional, além de contribuir para que ela desenvolva um olhar mais empático e respeitoso com o outro, criando associações importantes para lidar com assuntos inerentes à vida”, diz Renata Nakano, idealizadora do Clube de Leitura Quindim. A seguir, confira 10 livros sobre temas difíceis, selecionados pela equipe de curadores do clube.

Sobre refugiados

Filas de sonhos, de Rita Sineiro e Laia Domènech (Editora Pingo de Luz)

Quando um país entra em guerra, tudo falha: luz e água, sono e sonhos, pão e esperança. O medo se espalha até afetar tudo e todos… e sempre chega o dia em que se percebe que, para salvar a vida, é preciso arriscá-la. Um conto sobre a crise dos refugiados através dos olhos de um menino fechado num campo de acolhimento.

Sobre diferentes culturas e feminismo

Malala, a menina que queria ir para a escola, de Adriana Carranca e Bruna Assis Brasil (Editora Companhia das Letrinhas

A brasileira Adriana Carranca percorreu trajetos e espaços familiares da menina que, por querer exercer o direito de estudar, foi ameaçada, baleada e se tornou símbolo mundial da luta pelos direitos humanos.

LEIA TAMBÉM:

Sobre morte e doenças familiares

Íris, uma despedida, de Gudrun Mebs e Beatriz Martín Vida (Editora Pulo do Gato)

Íris adoece e sua irmã busca entender o que está acontecendo. Nesta pequena novela familiar, a autora Gudrun Mebs nos presenteia com uma sensível história sobre a importância dos vínculos e a perda.

Sobre divórcio

Greg, de Ana Luiza Badaró e Odilon Moraes (Editora Tigrito)

Greg mora em um trem com seu pai e sua mãe, e a vida dessa família atravessa pontes, morros, túneis escuros, seja em dias ensolarados ou dias de temporais. E essa é a metáfora da vida, cheia de encantos e desencantos, encontros e desencontros, de emoções e surpresas. Greg observa e vive tudo isso.

Sobre depressão

Um passarinho me contou, de Jorge Miguel Marinho e Flávio Pessoa (Edições de Janeiro)

O desejo pela vida é um movimento contínuo e instável. Há dias incríveis, outros mornos, e há aqueles em que nada faz sentido. Há, ainda, dias em que tudo isso ocorre quase que simultaneamente. Diante do furacão que é viver, como está nossa saúde mental? Duas senhoras falam ao telefone e combinam de adiar um compromisso importante: o encontro com a dona Morte.

Sobre guerra

A guerra, de José Jorge Letria e André Letria (Editora Amelì)

A guerra não tem rosto humano. Ela arrasta-se como cobra, possui tentáculos e veneno como aranha, alastra-se veloz com seu fogo destrutivo, rasga o dia, sussurra más notícias, ataca, ensurdece a sensibilidade. Arrasa-nos a todos.

Sobre relacionamento abusivo

Barbazul, de Anabella López (Editora Aletria)

 Barbazul guardava um segredo rompido pela curiosidade — ou seria intuição? — de sua nova esposa, que tinha permissão para visitar todos os espaços do palácio, menos o quarto do último andar.”Confio em você e sei que saberá respeitar minha proibição”, disse. A mulher então deu de cara com a própria morte e até se livra dela, o clima é de muita tensão. Foi preciso coragem e uma rede de apoio cuidadosa para romper com um ciclo cruel de violência contra mulheres.

Sobre a perda de um animal de estimação

Pedro e Lua, de Odilon Moraes

Neste livro escrito e ilustrado por Odilon Moraes, o leitor encontrará uma delicada história de amizade e o nascer de fortes sentimentos, como a saudade e a dor do abandono perante a morte. Tal como a vida cheia de contrastes e momentos efêmeros, a ilustração aqui se mostra através dos rascunhos de desenho do artista, tudo em preto e branco.

Sobre perder um pai

A menina amarrotada, de Aline Abreu (Editora Jujuba)

Uma menina mora do lado de lá, onde as coisas são boas, apesar de meio cinzentas. Seu pai sempre viaja e volta logo para casa, até que um dia a menina acha que ele nunca mais vai voltar, nunca…

Sobre a chegada de um novo irmão

Eu não ligo, de Márcia Leite e Jean-Claude R. Alphen (Editora Pulo do Gato)

“Agora a mamãe fica só com esse bebê” é a queixa da garotinha que acaba de ganhar um irmão. Enquanto sua mãe cuida do pequenino João, a protagonista precisa se haver com os seus brinquedos, a cachorra de estimação e os novos sentimentos que migram da euforia à raiva.

Sobre ditadura militar

Clarice, de Roger Mello

Durante a ditadura militar brasileira, Clarice joga livros no Lago Paranoá sem entender por que eles seriam responsáveis pelo desaparecimento de alguém. Ao mesmo tempo em que busca compreender os acontecimentos, a menina receia até mesmo pensar em voz alta.


LEIA TAMBÉM:


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui