Volta às aulas sem estresse: 8 dicas para um retorno tranquilo 

Birras, organização, rotina de sono...O retorno ao ritmo escolar pode ser desafiador tanto para os pequenos quanto para os adultos. Mas, é possível adotar algumas medidas para facilitar a transição. Confira recomendações de especialistas para ajudar neste processo!

422
8 dicas para uma volta às aulas sem estresse para as crianças; Mãe se despede de filha na entrada da escola
Os pais podem ajudar os filhos a tornar este processo mais tranquilo
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

A volta às aulas nem sempre é fácil para as crianças. Afinal, durante as férias, o dia a dia é muito diferente, cheio de passeios, brincadeiras e viagens. Voltar para a seriedade do ritmo escolar, com compromissos, lições de casa e estudos, pode ser bastante desafiador e é normal que as crianças se sintam estressadas ou resistam ao retorno. “Toda mudança de rotina gera ansiedade, pois trata-se de mudança de horários, de atividades e de comportamento”, explica Sirlene Ferreira, psicóloga de São Paulo.

Os adultos não escapam dessa sensação. “Vale lembrar que os pais passam pelo mesmo processo e o estresse também os acompanha”, destaca a psicóloga. A volta de todas as responsabilidades do dia a dia, somada às preocupações com os materiais escolares, uniformes e agenda das crianças podem tornar este período muito cansativo para os responsáveis. Mas, segundo Ferreira, é possível fazer com que esse processo ocorra de forma tranquila. 

LEIA TAMBÉM:

O importante é ter paciência e já começar a se preparar nos últimos dias do recesso. “Aproveite as férias, curta cada momento, mas, quando o retorno estiver se aproximando, é preciso estabelecer alguns combinados para facilitar a transição”, diz Sirlene Ferreira. Para ajudar, especialistas separaram algumas dicas de atitudes do dia a dia que podem ser úteis para uma volta às aulas sem estresse. Confira!

1. Enfrente as birras com carinho

A volta às aulas pode despertar sentimentos ruins nas crianças, o que pode fazer com que elas chorem ou reclamem quando o assunto é levantado. Mas, para a psicóloga, é preciso entender o que está por trás dessas reações. “É importante conseguir identificar se a criança está fazendo birra ou se ela está em sofrimento, algumas crianças realmente não gostam da escola onde estudam por vários motivos: bullying, não identificação com a metodologia de ensino ou dificuldade de socializar, por exemplo. Por isso, é muito importante a presença familiar na vida escolar dos filhos, assim facilita a identificação da birra”, afirma Sirlene Ferreira.

2. Compartilhe memórias que você já viveu

Ações de empatia podem provocar um efeito positivo e deixar tudo mais leve. Lembre seu filho que todo mundo já passou pela volta às aulas, até mesmo os pais, e é normal ficar um pouco nervoso ou ansioso com o retorno. “Você pode expressar para a criança que já sentiu algo parecido e deixar claro que existe um espaço aberto para que ela possa conversar com você sobre isso”, orienta Marco Antônio Abud, médico psiquiatra e fundador do canal Saúde da Mente.

3. Foque no positivo

“Aponte aspectos positivos na escola dos seus filhos e ajude a criança a entender que estudar não precisa ser penoso”, afirma Sirlene Ferreira. Perguntas como “o que você vai querer fazer assim que chegar na escola?” podem deixar o pequeno mais animado ao lembrar de todas as coisas bacanas que ele poderá fazer com a volta das aulas.

4. Retome a rotina

Com brincadeiras, passeios e viagens durante as férias, o dia a dia nem sempre é previsível. Mas, para voltar ao ritmo escolar, é necessário retomar a organização. “A rotina é importante e saudável na vida de qualquer pessoa, tanto para crianças, adolescentes como também para os adultos, pois ela nos proporciona previsibilidade e isso minimiza o estresse”, explica Ferreira. Incluir os pequenos nas tarefas domésticas também é uma boa ideia para lembrar os filhos que a vida está ficando “séria” outra vez.

5. Arrume os uniformes, lancheiras e materiais com antecedência

Para evitar qualquer contratempo, é importante verificar se os materiais escolares estão em ordem, as lancheiras higienizadas e em boas condições e os uniformes lavados – no caso, em que são exigidos pela escola. Incluir o pequeno neste processo também pode ajudar a torná-lo mais tranquilo. “Organizar os materiais escolares, tais como uniformes e lancheiras pode se tornar uma tarefa satisfatória a partir do momento que a criança entenda que nada disso é castigo e sim parte do processo do aprender”, diz a psicóloga. Principalmente se o seu filho estuda de manhã, pode ser melhor deixar tudo separado na noite anterior para não ter estresse logo cedo e correr o risco de esquecer alguma coisa.

6. Estabeleça uma rotina de sono

É quase impossível manter o mesmo padrão de sono dos dias letivos durante as férias. Afinal, sempre acaba tendo algum dia que o pequeno durma ou acorde mais tarde. Mas, terminado o recesso, é importante retomar os horários. “É extremamente importante estabelecer uma rotina diária de sono, ou teremos crianças e adolescentes irritados, com dificuldade de concentração e de aprendizado”, diz. Por isso, alguns dias antes do retorno já comece a estabelecer os horários de dormir.

7. Lembre como será o dia

Ter consciência de como será o dia e poder prever o que virá a seguir ajuda muito a lidar com a ansiedade. “É importante que as crianças sejam comunicadas as regras de volta às aulas, planos e horários que a escola passou para os pais. Isso deve ser feito de uma forma que a criança entenda, com clareza. Também é fundamental deixar um espaço para que ela faça perguntas sobre as dúvidas que surgirem”, reforça o médico. Ele diz que esse tipo de conduta auxilia o cérebro a sentir que há segurança e que se trata de algo previsível. Abud fornece algumas dicas nesse sentido. “Você pode fazer pequenos rituais com seus filhos, como sempre dar um abraço nele antes dele entrar na escola. Isso dá uma sensação de controle”.

8. Use a tecnologia ao seu favor

Com o retorno das aulas, é fácil se perder com tantas responsabilidades que surgem. “Os pais mais tecnológicos podem ir em busca de aplicativos ou sites para ajudar com a organização”, recomenda Ferreira. O Todoist é uma boa indicação. É uma ferramenta gratuita que gerencia listas de tarefas – disponível para Android e IOS.

LEIA TAMBÉM:

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui