O tabu da educação sexual nas escolas

A psicóloga Leiliane Rocha explica que o conceito de sexualidade é amplo e engloba as emoções, o respeito aos indivíduos, os relacionamentos, o corpo; "Não se pode falar de educação sem abordar o tema da sexualidade"

1020

A psicóloga Leiliane Rocha, especialista em sexualidade humana e educadora parental, é enfática: “Não se pode falar de educação sem abordar o tema da sexualidade”. Em entrevista à Canguru News, ela explica que o conceito de sexualidade é amplo e engloba as emoções, o respeito aos indivíduos, os relacionamentos, o corpo. Portanto, não há como tratar a questão da sexualidade de forma estanque, argumenta a especialista. Ela lamenta o fato de este debate ser hoje um campo minado, por temor das famílias e das escolas.

“Sexualidade engloba emoções, corpo, suas sensações. Na educação sexual, o termo sexual faz referência à sexualidade, e não ao sexo”, enfatiza.

Para a especialista, os educadores parentais que se aprofundam em estudos sobre sexualidade humana e educação sexual farão abordagens diferenciadas e capazes de provocar impacto positivo nas famílias.

Em relação ao tabu que envolve o tema, a psicóloga pontua que ao longo da história o sexo foi conectado à noção de pecado, por diferentes abordagens religiosas. Porém, ela sustenta que, nos dias atuais, é impossível represar o debate sobre a sexualidade. A repressão e a interdição a conversas sobre o tema, seja pelo peso da religião ou valores morais e culturais, poderão culminam no aumento do acesso à pornografia e em abusos sexuais de crianças, alerta a psicóloga, que organiza cursos em várias escolas sobre educação sexual.

Abordar o tema da sexualidade de forma saudável e respeitosa, defende a especialista, é crucial no processo de formação das crianças e adolescentes para que eles se transformem em adultos que lidam com a própria sexualidade de maneira sã e equilibrada. Reduzir a sexualidade à questão da orientação sexual e ideologia de gênero é um caminho equivocado, diz.

A despeito do medo de abordar o tema da educação sexual nas escolas, Leiliane Rocha diz perceber que, paradoxalmente, tanto as famílias quanto os educadores estão cientes da importância da orientação sexual na vida dos estudantes. O que falta hoje, afirma ela, é diálogo entre todas as partes envolvidas para que esses temores sejam dirimidos.

Essa entrevista faz parte do quadro “Conversas sobre Educação Parental”, organizado pela Canguru. A conversa ocorreu no final de 2021, quando foi realizado o 2º Congresso de Educação Parental.


LEIA TAMBÉM


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui