4 dicas para agir de forma pro ativa e evitar o mau comportamento infantil

Mesmo que você não tenha habilidade emocional para se relacionar com seu filho de forma harmoniosa, conheça atitudes que podem ajudar a evitar maus comportamentos nas crianças

4 dicas para agir de forma pro ativa e evitar o mau comportamento infantil; mãe confere lista de compras com filha junto a seção de verduras do supermercado
Se o seu filho insiste em comprar uma guloseima justo antes do almoço no supermercado,mostre a ele a lista de itens a comprar e peça que a ajude a verificar os itens que ainda não estão no carrinho

Leia em 4 minutos

Bater, ameaçar, castigar e gritar são maneiras frequentemente usadas pelos pais diante dos desafios comportamentais apresentados pelas crianças, mas já sabemos que essas atitudes não trazem bons resultados a longo prazo.

Todos nós queremos que nossos filhos se comportem de forma adequada sem ter que usar castigos e ameaças, mas isso não acontece sem dedicação ou aprendizado proativo de nossa parte. A melhor maneira de encorajar um bom comportamento no seu filho é começando a compreender porque o mau comportamento ocorre.

Mas mesmo que você ainda não tenha habilidade emocional para se relacionar com seus filhos de forma harmoniosa, existem algumas atitudes que você pode começar a ter para evitar aqueles comportamentos que envergonham os pais nos shoppings, no supermercado ou na casa de amigos.

Vejam essas 4 dicas:

1. Tenha uma atitude proativa de encorajar seu filho

Se você vai ao supermercado e seu filho de 4 anos começa a se contorcer porque quer aquela guloseima bem antes do almoço, em vez de esperar que ele faça uma cena, ajude-o a se sentir mais fortalecido e encorajado.

Mostre a ele a lista de compras e peça que a ajude a verificar os itens que vocês precisam comprar no mercado. Deixe-o decidir qual produto pegarão primeiro. Pergunte se ele consegue encontrar o queijo que estão procurando. Por meio dessas pequenas tarefas, seu filho terá uma sensação tão forte de poder e capacidade que será mais provável que aceite seu “não” como resposta e coloque o chocolate de volta sem reclamar quando solicitado.

LEIA TAMBÉM: Pediatras alertam para mudanças de comportamento nas crianças durante a pandemia

2. Comece usando um tom de voz gentil

Por mais que precisemos ser firmes ao fazer pedidos a nossos filhos, precisamos ser igualmente respeitosos. Manter uma voz calma, é mais poderoso do que parece, porque leva as crianças a ouvirem com mais facilidade.

Quando seu filho de 3 anos se recusar a sentar na cadeirinha do carro após vários pedidos, simplesmente faça um contato visual e diga o que você precisa em tom gentil.

Diga: “Filho, precisamos pegar sua irmã na escola agora, então preciso de sua ajuda para sentar na cadeirinha. Você já consegue fazer tantas coisas sozinho! Deixa eu ver você colocar o seu cinto.”

Usar um tom gentil bloqueia imediatamente uma possível luta por poder, porque você não está com raiva, chateada ou dominada pelas próprias emoções

E seu filho também ficará satisfeito por poder colocar o cinto de segurança. Além disso, essa dose adicional de incentivo e auto-positividade o ajudará a colaborar muito mais.

LEIA TAMBÉM: O comportamento do seu filho regrediu nessa quarentena? Calma! É normal (e dá para ajudá-lo)

3. Treine seu filho para lidar com grandes emoções

Quando começamos a treinar nossos filhos a lidarem com o que sentem, é normal que, no início, eles tenham grandes ataques de raiva quando precisamos que eles saiam do parquinho, devolvam um brinquedo na loja ou que parem de pular no sofá.

Não há necessidade de brigar ou ficar brava junto; pratique a empatia por saber que ele está frustrado, aprendendo a lidar com o que sente e mantenha-se firme. A birra passará e seu filho aprenderá a importante lição de que, quando você diz algo, você está falando sério.

Quando uma criança está perdendo a calma e se recusa a ouvir, reserve um momento para descobrir o motivo desse comportamento. Você pode começar perguntando por que ela está chateada ou encorajando-a a descrever como se sente. Isso pode ser difícil para crianças muito pequenas, mas você pode ajudar dando dicas e nomeando as emoções.

Dar nome aos sentimentos dos nossos filhos e mostrar empatia, os ajuda a aprender a expressar suas emoções de uma forma menos dramática.

LEIA TAMBÉM: Não deixe de dar atenção também ao bom comportamento dos filhos!

4. Redirecione a atitude

Seu filho pode estar à beira de um ataque de raiva porque não conseguiu o brinquedo que queria, mas se você agir rapidamente e levá-lo para dar uma volta na escada rolante do shopping ele pode se distrair alegremente e deixar o brinquedo para lá.

Se você e seu filho de 11 anos estão se aproximando de um confronto sobre ele querer ficar acordado depois das 10 horas da noite, tente falar sobre alguns de seus assuntos favoritos enquanto o coloca na cama ou pergunte o que ele gostaria de fazer com você amanhã depois de uma boa noite de sono.

Parece simples e é. Tirar da cabeça de nossos filhos a ideia de que eles estão “lutando” contra nós e distraí-los de maneira saudável é uma maneira incrível de obter a cooperação deles.

O segredo para evitar um mau comportamento é fazer isso antes que a tensão aumente. Quando você está no meio de uma “batalha”, é menos provável que eles consigam cooperar de forma positiva.

As crianças precisam aprender a cooperar e a única forma de ensinar essa habilidade é através da prática constante e diária. Escolher nossas batalhas e evitar confrontos desnecessários eliminará a tensão da relação entre pais e filhos.

LEIA TAMBÉM: Resiliência e outras 4 habilidades que ajudam os filhos a prosperar no futuro – saiba por que

Gostou do nosso conteúdo? Receba a Canguru News no seu e-mail. É grátis!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui