8 livros para falar com as crianças sobre as mulheres e o papel do cuidado

Leituras servem de referência para iniciar conversas sobre a temática com os filhos

191
Livro Estamos todas bem, Ana Penyas
Reprodução de imagem do livro Estamos todas bem, de Ana Penyas
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

O tema da redação do Enem deste ano propôs aos estudantes que falassem sobre o trabalho do cuidado realizado pela mulher no Brasil. A falta de reconhecimento desse papel tão importante que mantém a sociedade funcionando, gera sobrecarga e deixa o público feminino em posição de desvantagem nas relações de trabalho, perpetuando as desigualdades de gênero. Por isso é tão importante falar com os filhos sobre esse assunto, para que se conscientizem e passem a valorizar esse trabalho, que não é invisível, e assim possam gerar mudanças que combatam a desigualdade histórica nas tarefas domésticas, no tratamento e nas oportunidades entre homens e mulheres. Abaixo, compartilhamos uma lista de livros infantis, elaborada pelo Clube Quindim, com títulos que podem servir de ponto de partida para abordar o assunto com as crianças.

Super

Escrito e ilustrado pelo premiado Jean-Claude Alphen, Super traz uma história potente. Sob o olhar de uma criança, temas como a questão de gênero e a idealização da figura paterna estão no centro desta narrativa. Indicado para o pré-leitor (0 a 2 anos).

Crec

Crec conta a história de uma galinha, que ficou feliz da vida ao colocar um belo ovo no mundo. Ela cuida dele com todo carinho, até que de lá de dentro sai um pintinho… e tudo muda. Indicado para o pré-leitor (0 a 2 anos).

Formiguinhas

Para uma criança pequena, a chegada de um irmãozinho também é uma grande espera. É preciso estar atento a tantos detalhes, ainda que sejam tão miúdos quanto os insetos. O livro Formiguinhas fala da preocupação de uma menina com o momento de se tornar irmã mais velha. Indicado para o leitor iniciante (3 a 5 anos).

LEIA TAMBÉM:

Quando mamãe virou um monstro

A tia e dois primos estão chegando para uma visita, mas a casa está uma bagunça! E agora? A obra Quando mamãe virou um monstro relata o cotidiano corrido de muitas mães, que faz com que, aos olhos de seus filhos, muitos monstros sejam criados. Indicado para o leitor iniciante (3 a 5 anos).

Chocados

Tudo vai bem no galinheiro, até que três galos decidem sistematizar a produção de ovos e criar rígidas regras. Indicado para o leitor autônomo (6 a 8 anos).

Por que choramos?

Choramos por tantas razões! É o que uma mãe explica ao filho no livro Por que choramos? em forma de nuvem, pássaro, riso, salto, solidão. Indicado para o leitor autônomo (6 a 8 anos).

Estamos todas bem

Quantos sonhos e desejos permanecem guardados no coração de uma mulher que cuidou do marido, dos filhos e dos netos a vida inteira? E o que será deles, e dela, quando a velhice chegar? Indicado para o leitor fluente (9 a 12 anos).

Nori e eu

Nesta HQ, Sônia Ninomiya conta suas experiências com a maternidade e a relação especial com o filho diagnosticado como uma criança do espectro autista. Na segunda parte de Nori e eu, é a própria Nori quem narra como foi essa jornada entre o mundo e o que vivia dentro de si. Indicado para o leitor fluente (9 a 12 anos).

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui