5 dicas para incentivar a gratidão nas crianças

Especialista afirma que saber agradecer é uma habilidade essencial para a criança e que pode trazer muitos benefícios para o seu desenvolvimento. Entenda!

538
Menina com vestido de bolinha vermelho e branco com a mão no coração sorrindo; 5 dicas para incentivar a gratidão nas crianças
A gratidão é fundamental para as crianças
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

Com o Ano Novo e o clima de recomeço, é um ótimo momento para relembrar com as crianças todas as coisas boas ocorridas ao longo do último ano, e, acima de tudo, incentivar a gratidão pela vida que têm. Saber agradecer é uma habilidade muito importante, que deve ser desenvolvida desde a infância, segundo especialistas, e traz inúmeros benefícios. “Quando nós sentimos gratidão e fazemos esse exercício de sermos gratos a algo, trazemos para nós mesmos uma sensação de plenitude e de satisfação com a vida, mesmo que as coisas não estejam completamente agradáveis. Por isso, cultivar este tipo de estado interior promove a saúde mental e, consequentemente, física também”, diz Camila Capel, psicopedagoga especialista em educação parental.

Segundo ela, existe uma explicação biológica por trás disso. “Ao sentir gratidão, geramos impulsos elétricos que, através de um mecanismo cerebral, vai influenciar nossa via hormonal. É como se, internamente, tivéssemos uma explosão bioquímica de neurotransmissores de bem-estar, como dopamina, serotonina e ocitocina”, explica a especialista, que também é autora do livro “A Mala do Opa”.

Por isso, ensinar os pequenos a agradecer é muito importante. “É um tema essencial da parentalidade positiva, porque ajuda em fases do desenvolvimento do cérebro“, afirma. Além disso, está associado à vida adulta. “A gratidão também está relacionada à capacidade da criança em ter resiliência, empatia, relações interpessoais e outras habilidades humanas que serão fundamentais para o futuro”, diz Capel.

Existem muitas formas de incentivar a gratidão nos filhos. De acordo com Camila Capel, isso não é construído como algo engessado, cada família pode encontrar a melhor forma para introduzir essa prática na educação das crianças. Para ajudar, neste dia 6 de janeiro, em que se celebra o Dia da Gratidão, a especialista reuniu algumas dicas que podem ser úteis. Confira:

1. Fazer retrospectivas

Para Capel, um bom exercício é relembrar tudo o que as crianças fizeram durante o dia. “Diariamente, antes de dormir, faça uma retrospectiva do dia com o seu filho, lembrando os momentos como se fossem grandes quadros à sua frente. Só que tem um porém: peço para que faça essa retrospectiva de trás para frente, ou seja, começando na hora que ele está deitado e voltando até a hora que ele acordou”, diz. Segundo ela, com essa prática, a ideia é extrair momentos chamados de “pedras roladas”. “São aqueles que chamaram mais atenção. Pode ser um momento de alegria, um sorriso, uma emoção ou também um desafio, um problema que seu filho teve que enfrentar”, explica.

Ao identificar estas memórias, o objetivo é tentar retirar um aprendizado daquele ocorrido. “Junto com o seu filho, você vai ressignificar o evento para algo construtivo. Assim, nós vamos transformar as ‘pedras roladas’ no que eu chamo de ‘pedras preciosas’. Essa tática vai trazer uma paz interior e um senso de uma oportunidade nova que os pequenos ganham com o fechamento de um dia. Então, mesmo que eles tenham cometido erros ou passado por situações aborrecedoras, eles terão este momento para sintetizar, ressignificar e se preparar para um novo começo”, afirma Camila Capel.

LEIA TAMBÉM:

2. Fazer um caderno de gratidão da família

Aqui vai mais uma sugestão para incentivar as crianças: fazer um caderno de gratidão. Para isso é preciso escolher um dia na semana que seja mais tranquilo e que todos da família estejam em casa. “A ideia é fazer uma escrita conjunta listando tudo o que vocês têm para agradecer naquela semana. Isso deve ser feito de forma natural e agradável”, explica a educadora parental. A especialista reforça que os pais não devem trazer essa atividade como algo pedagógico e engessado. Não pode parecer uma lição de casa, por exemplo. Tem que ser um momento divertido e lúdico, que pode ser acompanhado de brincadeiras, músicas e até comidinhas gostosas.

Mas, e se a criança não quiser participar? “Pode ser que no início, essa atividade não desperte o interesse dos pequenos. Mas, os pais devem manter esse hábito, mesmo se, num primeiro momento, seja sem a criança. Com o tempo, o filho vai perceber que é algo genuíno e vai querer curtir esse momento em família”, diz. “Assim, nós vamos colocando um brilho, uma magia no pequeno simplesmente ao chamar a atenção para alguns eventos no dia a dia”, completa.

3. Fazer um caderno de elogios

Esta atividade deve ser introduzida da mesma forma que o caderno de gratidão, mas tem uma proposta diferente. “É uma prática diária em que eu convido os pais a escreverem elogios para os filhos em um caderno. Essa seria uma forma de fazer o cérebro aprender a focar nos aspectos positivos da vida. Além disso, quando dirigimos nosso foco para essas qualidades, nós influenciamos o comportamento da pessoa observada”, afirma. Os pais também podem adicionar qualidades que desejam ver nos filhos. “Mesmo que o comportamento atual ainda não seja o esperado, o fato de mudarmos a nossa lente sobre a criança tem um poder de mudar o comportamento delas por meio de uma linguagem não verbal”, acrescenta.

4. Comece o dia com boas energias

Com a correria da rotina escolar, é claro que nem sempre é fácil começar o dia de uma forma relaxante. Por isso, que tal aproveitar as férias e, aos poucos, introduzir este hábito no dia a dia letivo? “Abra a janela do quarto do seu filho para que entre sol e brisa. Acorde-o com uma atitude receptiva, dê um abraço, demonstre carinho e lembre-o que este é um novo dia para agradecer”, destaca a especialista.

5. Seja o exemplo

Tudo isso só vai funcionar se os pais mostrarem que também conseguem agradecer pela vida que possuem. “Expresse gratidão para as pessoas com quem você convive. Quando receber algo, seja grato. Assim, você dará o exemplo para o seu filho. A gratidão tem que ser um hábito da vida pessoal do adulto para que a criança possa perceber, assimilar e imitar. Mas, é importante que os pais façam essa educação da gratidão por sua própria vontade e interesse e não como um exemplo técnico. Os filhos querem exemplos dignos de imitação”, ressalta Camila Capel.

Segundo a especialista, se as crianças verem que é algo genuíno, será fácil incentivar a gratidão, pois elas irão absorver este ensinamento. “Isso vai ser percebido naturalmente pelos seus filhos a partir do momento que isto passa a ser uma referência de como você enxerga o mundo e os acontecimentos em sua volta”, finaliza a educadora parental.

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui