Pelo menos 15 estados pretendem retomar aulas presenciais em 2021

Retomada deve acontecer com menos alunos e com protocolos sanitários contra a covid-19

Pelo menos 15 estados pretendem retomar aulas presenciais em 2021; aluna de máscara mede temperatura em sala de aula
No geral, as redes de ensino irão trabalhar com o sistema híbrido, numa mescla de atividades a distância e presenciais

Leia em 6 minutos

Depois de praticamente um ano sem aulas presenciais, 2021 se inicia com maior definição sobre o retorno dos alunos para o ambiente escolar. Ao menos 15 redes públicas estaduais —entre elas as de São Paulo, Pernambuco e Sergipe— já preveem a retomada das atividades regulares para este ano, entre os meses de janeiro e março.

No geral, as redes de ensino irão trabalhar com o sistema híbrido, numa mescla de atividades a distância e presenciais, priorizando estudantes de determinadas séries ou realizando um esquema de rodízio entre os alunos, a depender de cada estado. O levantamento foi realizado pelo UOL junto às secretarias estaduais de educação. Em alguns estados como Piauí as decisões valem também para as escolas particulares, já outros como Sao Paulo, cabe aos municípios decidir pela reabertura da rede particular de ensino.


Leia também: Professor vence prêmio de educação com projeto que alia geometria, números e construção civil


Estados com previsão de volta em janeiro

Nos estados de Goiás e Piauí, as escolas estaduais podem retomar as atividades presenciais a partir de janeiro. Em Goiás, a previsão para volta é a partir de 25 de janeiro, com 30% do total de alunos do 2º e do 3º ano do ensino médio, do 9º ano do ensino fundamental e aqueles que não tiverem acesso à internet. No Piauí, as escolas da rede pública e privada poderão definir as datas de retorno a partir de 1º de janeiro, desde que apresentem um plano de medidas sanitárias a seguir. As atividades deverão acontecer em formato híbrido em todas as etapas de ensino, mas as creches poderão funcionar de forma 100% presencial.

Estados com retorno programado para fevereiro e março

Em São Paulo, o governo João Doria (PSDB) incluiu a educação como atividade essencial, o que permite manter as escolas abertas mesmo que o estado se encontre na pior fase da pandemia. Segundo afirmou o secretário estadual de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, a retomada das aulas presenciais será obrigatória para professores e estudantes a partir de 1º de fevereiro. “Mesmo que estejamos eventualmente na bandeira vermelha, voltaremos em rodízio com máximo de até 35% dos alunos no mesmo turno. Já tivemos a volta no dia 8 de setembro de mais de 2800 escolas com atividades e não tivemos nenhum caso de transmissão dentro das nossas escolas”, disse hoje Rossieli em entrevista ao jornal EPTV de Campinas, da Globo. Os estados do Ceará, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Norte, Santa Catarina também estipulam voltar em fevereiro. As redes estaduais de Acre, Alagoas, Rio de Janeiro e Sergipe devem retornar em março, assim como o Distrito Federal.

Sem formato definido – Ainda não divulgaram como serão realizadas as atividades – se a distância, presencial ou de modo híbrido – os estados do Espírito Santo, Maranhão, Paraíba, Rio de Janeiro e no Distrito Federal.

Volta confirmada mas sem data prevista – Os estados do Amapá e do Pará confirmaram a volta das atividades presenciais em 2021, mas não definiram uma data de retorno.


Leia também: Brasil exige teste de covid-19 para entrar no país, mas crianças não precisam fazê-lo


Estados sem definição de retorno

As redes públicas estaduais do Amazonas, Bahia, Minas Gerais, Rondônia e Roraima ainda não têm uma previsão para a volta das atividades presenciais. As escolas devem iniciar o ano letivo de modo remoto. A secretaria de Educação do Amazonas informou ao UOL que o calendário letivo de 2021 está sendo finalizado e que o formato das aulas será decidido junto aos órgãos de saúde. Os estados do Rio Grande do Sul e do Tocantins não informaram ao UOL se há previsão de retomada presencial em2021.

Escolas particulares

A rede privada de Alagoas está autorizada a voltar a a partir de 21 de janeiro, com pelo menos 50% dos alunos. No Distrito Federal, as aulas presenciais foram retomadas em setembro, de forma gradual, após autorização do governo do DF e um embate judicial entre empresários e funcionários. A rede particular tem autorização para decidir por manter o ensino híbrido ou presencial. Em Pernambuco, as aulas devem ser retomadas a partir do dia 4 de fevereiro e a expectativa é de que as escolas particulares realizem aulas presenciais, caso se mantenha a permissão para esse tipo de aula pelas autoridades sanitárias. Em Curitiba, no Paraná, as escolas particulares contam com um decreto municipal que permitiu a reabertura presencial em 2020 para receber alunos de até 10 anos de idade. Em São Paulo, a Justiça determinou a volta às aulas presenciais nas redes pública e privada, orientando os governos estadual e municipal a tomar todas as medidas necessárias para viabilizar o retorno com conteúdo pedagógico no início do ano letivo de 2021 com segurança para alunos, professores e todos os funcionários envolvidos.


Leia também: Escolas abrirão em 2021 mesmo se a covid-19 avançar


Informação e inspiração no seu e-mail

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui