Pais que se envolvem têm menos problemas de saúde mental e física

Ressignificar as experiências é extremamente libertador para o exercício da paternidade

510
Papel dos pais na criação dos filhos é essencial e traz benefícios aos próprios pais, na imagem pai ajuda o filho a andar de bicicleta

Leia em 2 minutos

A convivência intensa na quarentena fez com que muitos pais se envolvessem mais ativamente na vida dos filhos. Ainda que essa não seja a realidade de todas as famílias, sabe-se que a participação dos pais no dia a dia dos filhos pode trazer várias vantagens a todos os envolvidos. Não à toa, conceitos como paternidade ativa se mostram cada vez mais mais presentes na sociedade e geram debates que buscam conscientizar os pais da sua importância na criação dos filhos ao longo de toda a vida.

Segundo o relatório “Situação da Paternidade no Mundo“, produzido pela Promundo, ONG que atua em defesa da igualdade de gênero, pais que cultivam conexões próximas e não-violentas com os filhos produzem efeitos positivos sobre as crianças, favorecendo as relações que elas estabelecerão quando adultas. As meninas se sentem mais empoderadas e os meninos tendem a crer mais na igualdade de gênero e a compartilhar o trabalho de cuidado não remunerado, se eles viram o pai fazendo o mesmo.

Leia também: O dia a dia de pais e filhos sob o olhar das lentes de oito fotógrafos

Os benefícios desse maior comprometimento se estendem aos próprios pais: eles tendem a viver mais, melhoram sua saúde física e mental, a vida sexual e ainda são menos propensos ao abuso de drogas. Também aumentam as chances de serem mais produtivos no trabalho. De acordo com a pesquisa, os homens que se engajam nas tarefas da casa e cuidados dos filhos afirmam, inclusive, que essas atividades são uma das fontes mais importantes de bem-estar e felicidade. 

“A parentalidade positiva, ativa e mais afetiva tem um papel fundamental na formação de um indivíduo”, diz a psicóloga e educadora parental Fernanda Teles. Ela explica que a figura paterna tem a função de mediar as experiências do filho com o mundo, dando a ele a oportunidade de conviver com modelos comportamentais que poderão servir de exemplo de interação com o ambiente de forma respeitosa, ajustada, equilibrada e amorosa.

Leia também: 26 filmes que abordam a relação entre pais e filhos

Pai deve garantir que a criança cresça em um espaço seguro

A participação dos pais, porém, não deve se resumir apenas a estar com o filho ou próximo dele, mas sim ter uma presença genuína e fazer com que a criança cresça em um espaço seguro, percebendo o pai como uma referência. “O pai que está presente, que escuta o que o filho tem a dizer, que sabe ser firme e gentil, acompanha a rotina e incentiva atividades é um exemplo na vida de uma criança”, relata a psicóloga.

Ela ressalta que o pai, ao exercer de forma verdadeira o seu papel, pode transformar a si e as relações ao seu redor. “O pai é chamado a ressignificar suas experiências vividas dentro de uma sociedade patriarcal, quebrar ciclos de uma educação punitiva. Essa tomada de consciência muda tudo e é extremamente libertadora para o exercício da paternidade”, comenta Fernanda.

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter. É grátis!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui