Você é superprotetor com seu filho? Saiba os sinais e os perigos do overparenting

Este padrão de comportamento pode afetar o desenvolvimento das crianças, fazendo com que elas tenham mais dificuldade em enfrentar adversidades na vida adulta

186
Mãe passa a mão na cabeça da filha; Pais superprotetores: conheça os sinais e os perigos
O overparenting tem preocupado especialistas
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

Todos os pais querem proteger os filhos dos males do mundo. E claro, ser presente e prestativo é fundamental. Mas quando os cuidados começam a ser excessivos, surge um fenômeno que pode até prejudicar o desenvolvimento saudável das crianças e adolescentes: o overparenting. Os pais superprotetores, também apelidados de pais helicópteros, são aqueles que buscam evitar a experiência do fracasso a todo custo. Embora eles tenham as melhores das intenções em mente, esse comportamento pode afetar os filhos, levando a uma preocupante falta de resiliência e habilidades essenciais para lidar com obstáculos na vida adulta.

Isso é cientificamente comprovado. Estudos recentes conduzidos pela Queensland University of Technology, da Austrália, apontam que pais engajados nesse tipo de superpaternidade tendem a aceitar a versão de seus filhos como verdade absoluta, independentemente dos fatos, e estão inclinados a acreditar neles, mesmo diante de contradições evidentes, negando a possibilidade de que tenham cometido erros ou falhado.

Sinais de que vocês são pais superprotetores

Aqui vai um bom exemplo do overparenting em ação: reprovação escolar, tão traumática para os estudantes e a família. É preciso que os pais estejam atentos para a situação, estejam ao lado dos filhos, mas procurem entender os reais motivos para essa reprovação, e não fiquem pensando, apenas, que o jovem é vítima da perseguição de professores. Diante de casos como esse, os responsáveis devem orientar e conscientizar o adolescente para a importância de uma dedicação maior aos estudos e à concentração. E mais que isso, é preciso que eles expliquem aos filhos que frustrações, tropeços e erros farão parte da vida deles. O que geralmente não é feito por pais que têm este tipo de padrão comportamental.

LEIA TAMBÉM:

Mas existem outros sinais comprovados por estudos que indicam que os pais são superprotetores com os filhos. Para descobrir isso, é possível usar questionários como o Helicopter Parenting Instrument (HPI), realizado por um grupo de pesquisadores de universidades de Portugal para medir até que ponto os responsáveis demonstram que são pais helicóptero. De acordo com este questionário, os pais se encaixam neste quadro se:

  • Tomam todas as decisões importantes para seu filho e desencorajem-no a tomar uma decisão da qual vocês discordam
  • Concluem regularmente tarefas da vida diária do seu filho que ele seja capaz de realizar sozinho (por exemplo, vesti-lo ou ajudá-lo a lembrar-se de coisas para a escola) 
  • Reagem exageradamente ou ficam muito chateados quando seu filho vivencia algo negativo 
  • Investem mais tempo e energia nas tarefas ou atividades escolares de seu filho do que ele 
  • Entram para tentar “salvá-los” da dificuldade
  • Sentem-se um mau pai ou mãe quando seu filho faz escolhas erradas
  • Tentam “consertar” qualquer situação difícil…

Perigos do overparenting

Especialistas em comportamento adolescente e educação têm alertado sobre os riscos desse padrão parental excessivamente protetor. O overparenting tem gerado consequências drásticas nas esferas escolares e sociais, levando crianças e adolescentes ao esgotamento mental e emocional. De acordo com Carolina Delboni, renomada pedagoga, educadora e pesquisadora especializada no comportamento adolescente, a falta de habilidades para lidar com frustrações pode gerar dificuldades no trabalho em equipe e ansiedade na vida adulta.

“A busca incessante pelo sucesso tem sugado a possibilidade de uma infância e adolescência saudáveis. Vivemos em uma era onde as crianças não são mais autorizadas a enfrentar seus próprios fracassos, um comportamento que pode acarretar graves problemas no futuro”, destaca. Para ela, é crucial compreender que todo sucesso está permeado por uma jornada de erros e falhas. Permitir que crianças e adolescentes vivenciem essas experiências desde pequenas é fundamental para seu crescimento.

Delboni também enfatiza que os pais desempenham um papel vital ao deixar que seus filhos enfrentem desafios de maneira positiva, promovendo a aprendizagem através das próprias experiências. “Ao reconhecer e corrigir esse padrão, estamos pavimentando o caminho para um futuro mais promissor”, finaliza. 

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui