Descubra a verdade por trás do leite materno: benefícios reais e mitos desmascarados

A pediatra Marcela Noronha fala sobre as vantagens da amamentação e crenças que não são comprovadas cientificamente

143
Mãe amamenta bebê com leite materno
Está comprovado que o leite materno diminui as chances do bebê apresentar alergias na pele
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

Você já ouviu falar sobre os inúmeros benefícios do leite materno para o bebê, mas será que tudo que dizem é verdade? Descubra agora a realidade por trás da amamentação e surpreenda-se!

Listo aqui algumas das vantagens da amamentação exclusiva para as crianças e as mamães. Estes são os benefícios comprovados cientificamente: 

  • O leite materno é o alimento mais completo e adequado para o seu bebê se você tem uma alimentação saudável e balanceada. 
  • O leite materno ajuda a prevenir distúrbios gastrointestinais nos bebês nos primeiros dias de vida. 
  • O leite materno, ofertado de forma exclusiva, diminui a chance de uma infecção no intestino chamada enterocolite, que pode acometer os bebês nos primeiros dias de vida. 
  • O leite materno diminui a chance do bebê apresentar reações alérgicas na pele. 
  • Amamentar diminui o risco da mãe desenvolver câncer de mama.
  • Amamentar ajuda o útero a retornar ao seu tamanho habitual mais rapidamente. 
  • O incentivo à amamentação pode contribuir indiretamente para a preservação do meio ambiente, pois quando as mães amamentam seus filhos, elas não precisam recorrer a outros tipos de leite, incluindo o leite de vaca. Este último é produzido em larga escala pela indústria agropecuária e contribui para a produção de metano, um dos gases do efeito estufa que intensifica o aquecimento global e as mudanças climáticas. 

Algumas vezes, exageram na dose sobre o que o leite materno realmente pode oferecer. Para esclarecer esse assunto, listo aqui algumas das crenças mais comuns e explico por que não são verdadeiras

  • A amamentação ajuda a aumentar o vínculo mãe-bebê. 

Embora muito divulgada pela mídia, não há nenhum estudo que prove que as mães que amamentam tenham um melhor vínculo com o seu bebê. O que há descrito é que o contato pele a pele na hora do nascimento realmente ajuda a melhorar o primeiro vínculo mãe-bebê e a promover a amamentação, pois as mães que tiveram a oportunidade desse momento tendem a amamentar mais seus filhos. 

LEIA TAMBÉM:

  • O leite materno contém substâncias que deixam a inteligência do seu bebê mais aguçada. 

Realmente existe um estudo que “comprova” essa teoria, porém ele é falho e não levou em consideração que as mães que amamentaram tinham mais recursos socioeconômicos do que as que não amamentaram. Portanto, é esperado que essas crianças tenham sido mais estimuladas e recebido melhores oportunidades do que as que não foram amamentadas, o que pode ter influenciado nos resultados obtidos. 

  • As crianças amamentadas têm menor risco de desenvolver doenças como diabetes, artrites, câncer, meningite, pneumonia, alergias e asma.  

Com os estudos que temos hoje, não há como afirmar que essa frase seja real, mas é possível que, no futuro, possamos provar que crianças amamentadas exclusivamente no seio materno apresentem menos essas doenças. 

  • As crianças amamentadas exclusivamente no seio materno têm menos risco de desenvolver obesidade. 

O que sabemos hoje é que pais com uma dieta equilibrada e dentro do peso tendem a ter filhos menos obesos, muito provavelmente porque ensinam pelo exemplo desde muito cedo. 

Há alguns estudos demonstrando que as crianças amamentadas no seio materno realmente tendem a ser menos obesas. Um estudo de 2017 mostrou que as crianças amamentadas no primeiro mês de vida tinham 36% menos chance de desenvolver obesidade no futuro, e se amamentadas exclusivamente até os 6 meses apresentavam 42% menos chances. Outro estudo de 2015 mostra que crianças amamentadas têm 13% a mais de chance de não serem obesas em idades maiores comparadas àquelas não amamentadas. 

  • As crianças amamentadas ficam menos doentes porque têm uma melhor imunidade.  

Embora o leite humano seja rico em imunoglobulinas, que ajudam a proteger o organismo de inúmeras doenças, os estudos mostram que as crianças amamentadas e as que usam fórmulas ficam doentes com a mesma frequência. 

*Este texto é de responsabilidade do colunista e não reflete, necessariamente, a opinião da Canguru News.

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui