Rouquidão em crianças: entenda as causas, quando se preocupar e o que fazer

O otorrinolaringologista Domingos Tsuji explica quais são os sinais de alerta, como tratar e prevenir o sintoma

126
Menina tosse enquanto está comendo
A rouquidão pode ser benigna ou pode indicar problemas mais graves
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

Seu filho já ficou rouco depois de gritar muito em um dia de diversão? Ou quando ficou doente e tossiu muito? Na grande maioria das vezes, a rouquidão em crianças é benigna e e desaparece sozinha. Mas vale destacar que, em algumas situações, as alterações na voz dos pequenos pode ser um alerta para doenças mais graves. Por isso, o otorrinolaringologista Domingos Tsuji, responsável pelo diagnóstico de patologias de laringe no Hospital Paulista, de São Paulo, pede que os pais fiquem atentos aos sintomas dos pequenos.

Mas, afinal, qual é o perigo da rouquidão? Segundo ele, a mudança da voz é causada por alterações nas cordas vocais que impedem seu funcionamento normal. Isso pode ser provocado por uma irritação inflamatória no local, chamada cordite. “Quando prolongada, a inflamação pode evoluir e se organizar, formando lesões persistentes como, os nódulos vocais, e causar alterações permanentes na voz. Se o quadro persistir por mais de 3 semanas, um especialista deve ser procurado”, orienta Tsuji.

Além disso, não são só as infecções respiratórias, como gripes e resfriados, que podem provocar a rouquidão nas crianças, existem outras doenças mais preocupantes que causam o sintoma. Entre elas estão a presença de nódulos ou calos vocais; alterações estruturais mínimas da laringe e outras malformações congênitas, desenvolvidas ao nascimento; doenças neurológicas e tumores benignos, como o papiloma causado pelo vírus HPV; e, por fim, os tumores malignos, como o câncer de laringe. Mas, esse último é muito mais raro em crianças do que em adultos.

LEIA TAMBÉM:

Diagnóstico e tratamento

Para diagnosticar a causa da rouquidão, é feito um exame chamado laringoscopia, que permite a avaliação das cordas vocais. Domingos Tsuji explica que, em todos os pacientes, a redução da carga vocal, isto é, evitar falar alto e sobrecarregar as cordas vocais, é necessária durante o tratamento, além de uma hidratação adequada.

No entanto, de acordo com o especialista, o tratamento específico vai variar de acordo com o problema identificado. As opções são escolhidas baseadas em evidências científicas e podem ser clínicas (com fonoterapia e medicamentos), cirúrgicas ou uma combinação das duas. Os fonoaudiólogos são grandes parceiros dos otorrinolaringologistas nesse sentido. “A fonoterapia, quando bem indicada, é muito eficaz e se configura como peça-chave no tratamento da maioria das causas de rouquidão”, reforça o médico.

Como prevenir?

A principal dica para preservar a saúde da voz e prevenir a rouquidão em crianças é evitar gritar, falar alto e não conversar em locais com muito barulho. Além disso, é importante ficar longe de lugares poluídos ou com fumaça de cigarro. “Hábitos saudáveis como optar por uma alimentação balanceada e manter uma boa qualidade de sono, além da hidratação oral, são outras formas de prevenção. Em ambientes com ar-condicionado, os cuidados precisam ser redobrados, com o aumento do consumo de água para evitar o ressecamento da laringe”, finaliza o Domingos Tsuji.

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui