4 sinais de que a criança está tendo uma crise de alergia alimentar

Reações a uma crise alérgica podem variar, segundo o grau de sensibilidade de cada indivíduo

57
Menina coçando lesão vermelha; 4 sinais de que seu filho está tendo uma crise de alergia alimentar
A coceira é um dos sintomas da crise alérgica
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

Alergias e intolerâncias alimentares podem emitir sinais muito sutis em nosso organismo. De acordo com o portal Alergia Alimentar Brasil, estima-se que 6% das crianças e 3,5% dos adultos brasileiros possuem alergias alimentares.

“Ainda não se sabe muito bem o porquê de algumas pessoas desenvolverem alergia alimentar”, esclarece Alexandre Okamori, médico alergologista pelo São Cristóvão Saúde e Membro da ERS (European Respiratory Society). 

Durante uma crise alérgica, as reações podem ser mais ou menos graves, de acordo com o nível de sensibilidade à determinada substância. Para descobrir se existe uma intolerância sobre determinado alimento, o diagnóstico deve ser feito por um alergista.

Entre os sintomas mais comuns para identificar uma alergia alimentar, o médico destaca:

  1. Reações na pele, como coceira e lesões em placas;
  2. Inchaço na boca ou nos olhos;
  3. Sintomas respiratórios, como tosse, chiado;
  4. Sintomas gastrointestinais, como cólicas, diarreia ou vômitos.

É importante ficar atento aos sinais e, caso sejam observadas manifestações no corpo da criança após a ingestão de algum alimento, deve-se consultar um especialista. Assim, será possível buscar a origem das alergias e encontrar formas de prevenção ou tratamentos.

LEIA TAMBÉM:

Saiba quais são os alimentos mais alergênicos

Em crianças:

  • Leite;
  • Ovo;
  • Castanhas;
  • Soja;
  • Amendoim;
  • Trigo;
  • Frutos do mar.

Em adultos:

  • Castanhas;
  • Frutos do mar.

Segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai), além do leite de vaca, conhecido como um dos alimentos que mais causa alergia, o ovo tem se tornado um dos principais alérgenos alimentares, junto a frutas (como a banana), gergelim, chia e linhaça, que também emergem como desafios. 

No total, mais de 170 alimentos são considerados potencialmente alergênicos, de acordo com a Asbai, apesar de uma pequena parcela deles, como os mencionados acima, ser responsável por um maior número de reações. “Reações podem ocorrer mesmo em pessoas que não eram alérgicas”, salienta Alexandre.

Além disso, de acordo com o especialista, alguns sinais de intolerância também podem ser apresentados pelo organismo após o uso de determinados medicamentos como analgésicos, anti-inflamatórios e alguns antibióticos.

Importância da introdução alimentar

A alergologista Renata Cocco, membro do departamento Científico de Alergia Alimentar da Asbai ressalta a importância da introdução alimentar adequada como uma possível forma de minimizar o aparecimento das alergias. “O aleitamento materno deve ser exclusivo até os seis meses, seguido pela introdução gradual de alimentos, especialmente aqueles nutricionalmente essenciais, a partir do sexto mês”, recomenda a médica.

A imunoterapia, tratamento que visa elevar a imunidade da criança para reduzir a sensibilidade a certas substâncias, e os imunobiológicos surgem como opções promissoras, proporcionando avanços significativos na qualidade de vida dos pacientes.

“A dessensibilização oral não leva à cura da alergia, mas pode melhorar muito a qualidade de vida do paciente, especialmente daqueles que reagem a quantidades muito pequenas dos alimentos. Existem várias linhas de pesquisa em andamento, envolvendo novas abordagens terapêuticas, que devem nos trazer soluções mais seguras”, conclui Renata Cocco.

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui