Semana Mundial do Brincar: benefícios para o desenvolvimento infantil + dicas de diversão em casa

Especialistas explicam sobre a importância do brincar na infância e trazem recomendações de brincadeiras

840
Os benefícios do brincar para o desenvolvimento da criança; duas meninas dentro de uma caixa brincando
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

“O brincar é a linguagem da criança”, diz Ana Cláudia Leite, pedagoga e consultora de educação do Instituto Alana. Por meio das brincadeiras, os pequenos conseguem compreender melhor o mundo e o contexto em que estão inseridos. O brincar também propicia o desenvolvimento pleno da criança, do ponto de vista motor, cognitivo, emocional, ético e estético. Por isso, a pedagoga destaca que é importante que os adultos reservem um tempo para os filhos brincarem livremente, sem lotar a agenda deles. Para chamar atenção à importância do direito do brincar, de 22 a 30 de maio é celebrada a Semana Mundial do Brincar.

De acordo com Luciane Motta, especialista em infância de 0 a 3 anos e diretora da Casa do Brincar, a criança consegue aprender muito a partir das brincadeiras. Elas são observadoras natas e, quando brincam, imitam o que veem. “Isso fica bem evidente na fase do faz de conta. A criança imita a mãe, a médica, a caixa de supermercado, ela vai experimentando e assumindo outros papéis, assim, vai organizando essas informações na cabeça dela”, conta Luciane Motta. A criança também começa a entender as regras sociais e a desenvolver a maturidade emocional. “O brincar é uma ferramenta de aprendizagem e de relacionamento social”, aponta a especialista.

Além disso, a especialista diz que os pequenos reproduzem situações cotidianas nas brincadeiras, com o objetivo de tentar compreender o que ocorre ao seu redor. “Pelo brincar a criança também tem essa válvula de escape para extravasar o que ela não está entendendo, ou o que está incomodando”, diz Luciane Motta. Por exemplo, se o pequeno tem problemas em casa, ele vai recriar isso com os bonequinhos, buscando assimilar a situação. Ana Cláudia completa que a criança também consegue conhecer melhor as potencialidades e limites do seu corpo, tanto físico quanto mental. “O brincar é como um espelho, ele mostra quem é aquela criança, do que ela gosta, do que ela tem medo e o que ela já sabe fazer. Com o livre brincar, ela se sente capaz, porque lida com atividades e desafios que propôs a si mesma”, afirma. 


Leia também: Podcast ‘Brincar em Casa’ mostra dia a dia das crianças na pandemia


Brincar sozinha e com outras crianças

Para Ana Cláudia Leite, é muito importante que a criança seja capaz de brincar sozinha, sem que isso signifique algo triste. “A capacidade de se sentir realizado sozinho é algo muito importante para a vida e a gente começa a experimentar isso na infância”, relata a pedagoga. Ao  brincar sozinha, é possível exercitar o silêncio e a escuta interna, encontrando um espaço de intimidade. “É um momento de expressar e organizar internamente o que ela sente. Isso é uma coisa que se conquista aos poucos”, aponta.

Brincar com as outras crianças é fundamental também. Elas aprendem as brincadeiras com mais facilidade quando estão em contato com pessoas, porque conseguem compartilhar repertórios. Luciane Motta aponta que um fato interessante de brincar coletivamente é a possibilidade de ter contato com concepções de mundo diferentes. Ana Cláudia complementa que as brincadeiras também trazem aprendizados que serão úteis para a vida toda. “O outro também traz oposição, limite, e isso gera muitos aprendizados sobre colaboração, acolhimento, empatia, trabalho em equipe, respeito, aceitação e solidariedade. As crianças desenvolvem uma série de habilidades e capacidades éticas, aprendendo a conviver em sociedade”, conta.


Leia também: O que os meninos aprendem ao brincar de casinha


Brincadeiras para fazer em casa

As especialistas selecionaram indicações de brincadeiras acessíveis para as crianças, que podem ser feitas tanto sozinhas quanto com outras pessoas, e tudo dentro de casa. Confira!

Brincadeira com bola

Materiais:

  • Uma bolinha leve e relativamente pequena; 
  • Barbante;
  • Fita crepe;
  • Meia calça;
  • Cabides de arame. 

Luciane Motta sugeriu uma brincadeira simples e divertida que pode ser montada com objetos encontrados em casa. Com o barbante, faça várias amarrações até que ele fique preso na bolinha. Em seguida, grude o barbante no teto utilizando a fita crepe, deixando a bola suspensa em uma altura que a criança possa alcançar. Depois, serão montadas as “raquetes”. Para isso, pegue os cabides e, com as mãos, comece a arredondá-los até atingir uma forma semelhante a uma raquete. Por último, é preciso cortar a meia-calça e prendê-la no cabide. Segundo a especialista, esta brincadeira funciona muito bem dentro de casa, porque como está presa, não tem perigo de atingir nenhum móvel. 

Jardinagem

Materiais:

  • Bichinhos de plástico (dinossauros, vaquinhas etc);
  • Vasos com plantas.

A diretora da Casa do Brincar também tem uma dica de como ensinar a cuidar das plantas de uma maneira interessante. Em cada vaso de planta da sua casa, Luciane Motta cria “jardins fantásticos”, utilizando bichinhos de plástico. Eles passam a viver dentro dos vasos, sendo possível inventar histórias e brincar com eles, o que torna a jardinagem mais diferente e recreativa. “É um modo de envolver as crianças na rotina da casa de uma forma divertida e construtiva, ensinando também a cuidar das obrigações”, diz.

Brincadeiras envolvendo arte

Materiais:

  • Aquarelas;
  • Papel sulfite;
  • Caixas de papelão;
  • Tesoura;
  • Cola;
  • Jornais;
  • Revistas.

É importante que os pais ofereçam brincadeiras que estimulem o lado criativo dos pequenos. Luciane indicou que desenhar ou pintar são ótimas opções. A especialista aponta que é interessante utilizar aquarelas, que fazem menos sujeira do que a tinta guache. Quando as crianças terminarem, sugeriu pendurar as artes nas paredes, criando um museu para as elas. Fazer colagens também é outra alternativa divertida. Os pequenos podem cortar imagens, palavras e letras de revistas ou jornais e montar suas criações. Luciane recomendou produzir as colagens em caixas de papelão, porque depois ainda pode virar uma casinha ou um bercinho para as crianças brincarem. “A gente consegue transformar e brincar mesmo com materiais que seriam descartáveis”, aponta.


Leia também: Brincar de boneca desenvolve empatia e habilidades de interação social, aponta estudo


Brincar com caixas

Materiais:

  • Caixas de papelão de diversos tamanhos;
  • Corda ou barbante;
  • Fita crepe.

“As crianças pequenas gostam de caixas, às vezes a gente compra um brinquedo e elas ficam mais interessadas na embalagem”, diz Ana Cláudia Leite. As caixas de compras de supermercado, por exemplo, podem ser reaproveitadas e transformadas em carrinhos para colocar a criança dentro e empurrar pela casa. Outra opção é amarrar uma corda na caixa e puxar. Além disso, as crianças maiores podem usar caixas de tamanhos diferentes para construir esculturas, grudando-as com fita crepe. É uma forma simples e econômica para a criança se divertir.

Montar uma cabaninha

Materiais:

  • Lençol ou tecido;
  • Barbantes;
  • Pregos.

De acordo com Ana Cláudia, montar cabaninhas também é uma ótima brincadeira. “As crianças gostam muito de se sentir em um lugar íntimo e protegido”, afirma a pedagoga. Para isso, é preciso utilizar lençóis ou tecidos e amarrar com barbantes, ou mesmo apoiar em móveis. Caso os pais queiram criar algo mais elaborado e estruturado, também podem usar pregos para prender o tecido. Assim, é criado um espaço de intimidade e aconchego para a criança.

Brincadeiras que contribuem para o desenvolvimento motor

Material: 

  • Corda.

Segundo Ana Cláudia Leite, pular corda é uma ótima atividade para as crianças, pois, além do divertimento, também contribui para o desenvolvimento do equilíbrio e da coordenação. Mesmo em casas pequenas, a pedagoga diz que é possível brincar de “cobrinha”. Além disso, sugeriu que os pais e responsáveis introduzam brincadeiras que envolvam canções. Ao cantar, a criança consegue aprender sobre ritmo, musicalidade e linguagem. Sobretudo, a música também traz uma grande alegria para os pequenos.


Leia também: Seu filho não quer brincar sozinho? Saiba como ajudá-lo


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui