Quem são as mães influencers que querem mudar as famílias pela alimentação

O compartilhamento de receitas e uma vida equilibrada se tornou uma fonte de renda para mães como Daisy Limas, do "Comidas da Daisy" e Lívia Oliveira, do "Temperos de Lívia"

251

Leia em 5 minutos

Oferecer uma alimentação saudável para as crianças é um desafio diário e muitas mães acabam se voltando para uma comunidade virtual em busca de ajuda. O compartilhamento de receitas práticas voltadas ao público infantil em redes sociais, livros e cursos está virando um negócio lucrativo para algumas mães que produzem conteúdos para redes sociais, as chamadas “influencers”ou “influenciadoras”. 

A apresentadora Bela Gil, defensora da culinária saudável e sustentável, compartilha receitas e o dia a dia dos seus dois filhos para os cerca de 1.6 milhão de seguidores em seu perfil no Instagram. Ela também comanda o programa “Bela Cozinha”, no canal de televisão GNT e tem uma página no YouTube com 500 mil seguidores e aproveita sua audiência para divulgar produtos e os vários livros publicados, assim como produzir editoriais publicitários.

Outro perfil popular voltado à alimentação das crianças é o de Fernanda Fontoura, mãe da Diana e do Davi, e dona do comidinhas da Diana, no Instagram. Ela construiu do zero uma plataforma com mais de 600 mil seguidores, que acompanham diariamente o preparo das suas refeições e dicas alimentares através das suas publicações. O esforço de Fernanda e o interesse de milhares de mães acabou transformando em trabalho o que era um passatempo. No seu site estão disponíveis cursos, diversos livros de receitas e um aplicativo para acompanhar a alimentação de Fernanda e sua família, que também traz dicas de receitas.    


Leia também: Falta de atividade física ou má alimentação: o que é pior para as crianças?


Um passatempo que se tornou fonte de renda

Como diria o ditado: tal mãe, tal filho(a). Hábitos também passam de uma geração para outra. Um estudo feito em 2018 pela revista científica inglesa, The BMJ (The British Medical Journal), mostra que os filhos de mulheres que levam um estilo de vida saudável tinham 75% menos chances de desenvolver obesidade.

O esforço para produzir uma alimentação saudável para os filhos pode mudar também a qualidade de vida de toda a família, servindo de exemplo às crianças. Foi o que aconteceu com a catarinense Lívia Oliveira, 38 anos. “Eu saí de uma alimentação horrível, me alimentava muito mal e graças ao meu filho Guilherme comecei essa mudança para uma alimentação mais equilibrada”, conta Lívia, que passou a produzir conteúdo sobre o assunto para as redes sociais.

Depois do Guilherme, de 5 anos, nascer, Lívia teve dificuldade em se reinserir no mercado de trabalho e começou uma plataforma no Instagram (@temperodelivia), de maneira despretensiosa, para documentar a introdução alimentar do seu filho. Com o tempo, passou a responder a outras mulheres que pediam ajuda para preparar refeições variadas e práticas e acabou construindo uma comunidade de 10 mil mães, que cresce cada vez mais com as suas dicas de planejamento alimentar e pratos criativos. 

Sem abrir mão da vida profissional e vivendo a maternidade no dia a dia, Lívia encontrou uma forma de ganhar renda com a consultoria de planejamento alimentar. Ela também comercializa um e-book com 30 receitas práticas

“Dentro daquela alimentação que a criança tem acesso, o que a gente pode fazer para que ela fique mais saudável? Se a criança quer batata frita, não temos de eliminar esse alimento, mas sim buscar um caminho mais saudável de preparo. Buscar essas trocas inteligentes e manter um cardápio equilibrado”, pontua Lívia, que frisa também a importância de consultar uma nutricionista para orientar a alimentação da criança. 

Quanto ao desafio de fazer a criança consumir frutas e legumes, Lívia sugere incorporar aos poucos esses alimentos. “O paladar da criança aos poucos vai se abrindo para esse universo. É importante não parar de oferecer”, ressalta Lívia.

Alimentação saudável e descomplicada atrai mães nas redes

Outra catarinense, Daisy Limas, 38, mãe da Elisa e autora do perfil “Comidas da Daisy” no Instagram, diz que envolver as crianças no preparo das refeições pode ser uma estratégia positiva. “Uma dica legal que aprendi com uma nutricionista, que atendeu minha filha uma vez, é cortar os legumes de formas variadas. Às vezes, temos a tendência a apresentar os alimentos sempre com o mesmo corte cru ou cozidos. Vale a pena testar trocando. Aqui tivemos bom resultado”, conta.

Daisy também usa o seu trabalho nas redes como fonte de renda. Há 6 anos criou um perfil no YouTube, hoje com 100 mil inscritos. Tem ainda um perfil no Instagram voltado para receitas, reaproveitamento de alimentos e conversas sobre os desafios que as mulheres enfrentam dentro e fora da maternidade. 

“Atualmente o Comidas da Daisy é meu negócio, formalizei minha empresa e vivo dos trabalhos que ele me proporciona e também com os ganhos do meu canal no YouTube. A cozinha descomplicada é o que mais agrada meu público, eu simplifico a arte de cozinhar e isso conquista”, explica Daisy.

A alimentação saudável não é sinônimo de dieta rígida e cortes radicais, explicam as mães influencers, até porque isso pode impactar a criança de forma negativa no futuro, criando uma sensação de medo quando for oferecido um docinho ou copo de refrigerante em uma festa, por exemplo. Abaixo, confira em vídeo uma receita de pão de Daisy Limas.


Leia também: Obesidade infantil: como incentivar as crianças a ter uma vida mais saudável



Leia também: Alimentação infantil: deixe truques de lado e observe sinais do seu filho


Lívia e Daisy: as melhores dicas para uma cozinha prática

  • Planejar: Ter um plano alimentar semanal para não ter que ficar olhando para a geladeira à espera de um milagre. Evita desperdício e ajuda na hora de fazer o mercado.
  • Preparo: Tirar alguns minutos da semana para deixar alguns elementos (arroz, feijão, legumes) pré cozidos pode gerar atalhos no decorrer das refeições.
  • Congelar: A melhor maneira de armazenar por um longo período esses alimentos sem perder os seus nutrientes.
  • Forno: O aliado de todas as mães. Colocar legumes e carnes no forno além de gastar menos louça que um fogão, também vai te dar mais autonomia e menos trabalho. 

Leia também: Alimentação saudável na quarentena: Turma da Mônica lança guia de receitas


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

1 COMENTÁRIO

  1. Ah, que felicidade ver a Lívia por aqui! Fiz a consultoria dela e afirmo que muda muito nossa agilidade na cozinha, nossa visão sobre o alimentos e melhora demais nosso contato com uma alimentação saudável. Recomendo sempre e atesto que é uma profissional maravilhosa!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui