‘A neurociência mostra que criança possui sim manual de instrução’, ensina neuropediatra

No seu TEDx, Liubiana Arantes mostra como a os pais podem agir em prol do desenvolvimento pleno de crianças a partir da neurociência

15
TEDx: como a neurociência pode contribuir para o sucesso das crianças; Liubiana Arantes com vestido verde segurando um cérebro de plástico no TEDx Belo Horizonte
Liubiana Arantes no TEDx Belo Horizonte: "Aplicar a neurociência aumenta o sucesso do seu filho"/ Reprodução

Liubiana Arantes Araújo é neuropediatra, neurocientista, professora de medicina, mãe de três crianças e tem uma grande paixão: a neurociência e a sua capacidade de ajudar a criar crianças mais bem sucedidas na vida. O seu TEDx Belo Horizonte busca fazer com que os pais reflitam sobre o seu papel no desenvolvimento cerebral dos filhos. Para isso, retrata assuntos como neuroplasticidade, janelas de oportunidade e neurônios espelho, agrupando conteúdos de 20 anos de seus estudos sobre a neurociência.

Durante o 2º Congresso de Educação Parental, organizado pela Canguru News, Liubiana Arantes reforçou a importância do estudo do cérebro das crianças. “Hoje os pais têm um guia para os filhos, a neurociência vem desvendando como lidar com as crianças em cada idade, em cada fase do desenvolvimento”, relata na palestra. De acordo com a neuropediatra, o modelo de educação que era passado de geração em geração não é mais efetivo pra os dias de hoje. A neurociência prova isso. “Precisamos cuidar do cérebro na infância para mudar o país, mudar o mundo”, ressalta.

Liubiana Arantes no 2º Congresso de Educação Parental/ Foto: arquivo pessoal

‘Entender o cérebro da criança não é mais uma coisa extra’

Para ela, retratar a neurociência com pais e educadores é o caminho para criar filhos melhores para o mundo. “É uma oportunidade de tornar público algo que era muito restrito aos pesquisadores: a neurociência com afeto em prol do desenvolvimento das crianças”, diz Liubiana Arantes, à Canguru News. Segundo ela, cerca de 90% do cérebro humano se forma nos primeiros anos de vida e depende da interação da genética com o meio-ambiente em que a criança está inserida. Por isso, é preciso que os pais saibam estimular o desenvolvimento pleno do cérebro da criança. “Se esse conhecimento for aplicado de forma prática no dia a dia das crianças, pode realmente transformar a vida e o futuro de cada uma delas”, destaca.

Para a especialista, compreender o funcionamento do cérebro dos pequenos deve ser um conhecimento indispensável dos pais, não algo extra. “Precisamos quebrar este paradigma que para ser um bom pai ou uma boa mãe a gente precisa saber só sobre alimentação, vacinação, higiene e cuidados gerais”, diz. Arantes explica que se os pais investirem na primeira infância, terão um retorno garantido no futuro. “Quando se forma um alicerce sólido nos primeiros anos, a criança vai colher o fruto de melhor saúde mental, inteligência, sucesso na família e na vida”, aponta.


LEIA TAMBÉM


Isso acontece devido à chamada “janela de oportunidade”, um período sensitivo em que uma área do cérebro está aberta para receber estímulos para se aperfeiçoar de forma plena e acelerada, como explica a neuropediatra. No entanto, quando esse período passa, essa área do cérebro fica estabilizada e não é possível reprogramá-la. Nos primeiros anos, existe uma maior quantidade de janelas de oportunidade do que em outras fases da vida. A janela da linguagem, por exemplo, fica aberta nos três primeiros anos de vida. Como Arantes relata no TEDx, a neurociência comprova que quanto mais palavras a criança escuta desde a gestação, melhor a capacidade de comunicação, alfabetização, inteligência e aprendizado de outras línguas.

Além disso, de acordo com Liubiana Arantes, também pode ter repercussão na saúde física. Estudos já provaram que os investimentos na primeira infância podem diminuir os riscos de doenças cardíacas, diabetes, mortes súbitas na vida adulta, depressão e muitos outros transtornos. “Além de melhorar a qualidade de vida individual, vai melhorar a saúde pública, porque terão pessoas com cérebros mais fortes, mais capazes, com mais ideias e com mais potencialidades de fazer a diferença e transformar o todo”, ressalta. 

Importância do afeto e comando positivo

Segundo a especialista, o cérebro funciona melhor com comando positivo, isto é, a criança precisa de respostas estáveis e previsíveis emocionalmente. Outro fator benéfico para o cérebro é a reciprocidade, a criança reage melhor se os adultos olham nos olhos, prestam atenção e respondem de forma afetuosa. Por isso, é importante que os pais se atentem aos comportamentos que assumem diante dos filhos.

Liubiana Arantes diz que pesquisas mostram que desde recém-nascidos, os humanos têm a capacidade de imitar algumas expressões faciais. Isso ocorre devido à ativação dos neurônios espelho. Assim, o cérebro da criança imita o cérebro do adulto. Por esse motivo, é importante que os pais sejam o modelo de comportamento que desejam para a criança. De acordo com a neuropediatra, conflitos familiares, agressões físicas e verbais geram o estresse tóxico, que acarreta em perda de conexões cerebrais em um período em que elas deveriam estar se formando. 

Como ela afirma no TEDx, é crucial evitar o estresse tóxico e proporcionar ambientes ricos em estímulos positivos. A harmonia nos diálogos e a troca de afetos são indispensáveis para o desenvolvimento pleno da criança. “A neurociência mostra que criança e adolescente possuem sim manual de instrução. Ele é revelado quando há uma conexão verdadeira com amor para entender quem é esse pequeno ser humano e quais são as suas necessidades em cada etapa do desenvolvimento”, destaca no TEDx.


LEIA TAMBÉM


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui