Tempo seco pode provocar doenças alérgicas nas crianças: veja os cuidados a tomar

Tosse e coriza são alguns dos sintomas que podem surgir. Saiba o que fazer para evitar desconfortos nos pequenos

603
Rinite e conjuntivite alérgicas nas crianças: veja os cuidados a tomar; imagem mostra menina assoando o nariz com papel branco
Quanto mais seco for o ambiente, mais comum o agravamento dos sintomas
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

As mudanças repentinas do tempo e mesmo o desabrochar das flores, que liberam substâncias alergênicas no ar, como o pólen, podem provocar rinite e conjuntivite alérgica nas crianças.

“Os cuidados devem ser redobrados nessa época do ano. Quanto mais seco for o ambiente, mais comum o agravamento dos sintomas”, afirma a pediatra Patrícia Rezende, do Grupo Prontobaby. Ela lembra que as manifestações mais comuns nos pequenos são tosse, coriza, sangramento do nariz e ressecamento das vias aéreas e dos olhos.

Para aliviar o desconforto respiratório trazido pela rinite, é indicado lavar as narinas com soro fisiológico, que também existe na formulação em gel, para hidratar a região. Nos casos de conjuntivite, que deixa os olhos irritados, a pediatra orienta os pais a não deixarem a criança coçá-los, para evitar machucados ou até uma lesão na córnea. “O ideal é usar um colírio hidratante várias vezes ao dia”, relata Patrícia. Se a irritação for na pele, o uso de hidratantes adequado à idade podem resolver.

Leia também: Dor de cabeça nas crianças: saiba as 4 causas mais comuns

Orientações para higienizar a casa

Usar um umidificador de ar no ambiente, principalmente no quarto das crianças, ajuda a tornar o clima menos seco. Patrícia ressalta no entanto, que é preciso higienizá-lo frequentemente para que ele não acabe fazendo mais mal do que bem. Para quem for usar o ar-condicionado, a dica é deixar uma toalha úmida ou um balde no local. Isso contribui para não ressecar tanto o ambiente.

Outro eletrodoméstico que deve ser evitado em casa é o aspirador de pó, pois ele libera partículas de poeira enquanto está em funcionamento, o que não é recomendado. Para substituí-lo, deve-se usar panos úmidos na limpeza do local.

Leia também: A vacina contra a Covid-19 para crianças não deve chegar antes de 2021

A pediatra também recomenda observar se a criança reage a algum produto de limpeza e, se for o caso, optar por soluções caseiras que podem substituir a maioria dos limpadores comerciais.

Se possível, e importante ainda não usar tapetes e cortinas, dando preferência a persianas, que devem passar por limpeza frequente. Ainda, não é recomendado que essas crianças não tenham animais com pelos.

Quando procurar um médico?

Se a criança estiver apresentando tosse frequente, cansaço para respirar ou falta de ar, é fundamental fazer contato com o pediatra para uma avaliação no consultório, recomenda Patrícia.

Leia também: São Paulo faz campanha multivacinação para conter queda na cobertura vacinal

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui