Controlar o tempo de uso das telas é inútil

Controlar o tempo de uso das telas é inútil. Em vez de focar no tempo gasto on-line, melhor se concentrar no objetivo da conexão

663
Interação social online, já que é para suar as telas, como os dois garotos da imagem que olham para um tablet na cama, melhor que seja de forma produtiva, para descobrir novas habilidades, por exemplo
O que nossas famílias precisam agora é de conforto, apoio e amor incondicional
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

O uso das tecnologias em tempos de Covid-19 aumentou consideravelmente. Atividades que antes eram feitas presencialmente foram transferidas para o universo online, em forma de ensino remoto.

Crianças que antes brincavam na rua, agora se distraem com tablets e celulares. Adolescentes que viviam trancados nos quartos, ficam ainda mais tempo isolados. 

Afinal, como agir com o uso das tecnologias nesse período de crise? Abaixo você encontra algumas dicas:

O controle do tempo não é a solução

Se você já enfrentava uma “guerra” antes da pandemia, tentar resolver esse problema em tempos de isolamento não é o melhor caminho.

Em vez de focar no tempo gasto online, concentre-se no objetivo da conexão. 

O seu filho tem algum tipo de interação social online – com os amigos, aprendendo uma nova habilidade, organizando uma festa virtual ou encontrando maneiras criativas de se expressar? 

Contanto que ele esteja equilibrando o uso passivo da mídia (jogos, filmes) com interações produtivas e ativas, este não é o melhor momento para se estressar.

Leia também: As crianças, as telas e a quarentena

Incentive a interação social online

Distanciamento social não precisa significar isolamento social. Permita que seu filho use suas habilidades digitais para manter contato com amigos. 

Isso pode significar mais jogos online, mais mídias sociais, mais mensagens de WhatsApp e chamadas do FaceTime do que você normalmente permitiria, mas eles precisam de interação social online com seus colegas, assim como você.

Neste momento, as tecnologias permitem que ele permaneça conectado às suas vidas sociais. Se você tem filhos pequenos, converse com as outras mães para realizar chamadas de vídeo entre os amigos mais próximos.

Faça isso também com a família. Coloque seu filho para falar com os avós, primos e parentes próximos, através da internet.

Como um bônus, essas longas horas em casa podem ser um ótimo momento para você aprender como o TikTok funciona e até ensaiar uns vídeos com o seu filho, por exemplo.

Leia também: Uso de celular e redes sociais deve começar aos 6 anos, diz filósofo americano

Atividades em família são bem vindas

Assistir a uma série ou filme juntos e jogar videogame podem ser atividades online feitas em família.

Você também pode estabelecer o horário offline. Nesse período de tempo todos devem se desconectar e fazer algo juntos, sem tecnologias.

É um bom momento para investir em jogos de tabuleiro, quebra-cabeças ou em alguma receita especial feita por toda a família.

Um momento de leitura também é indicado. Em algum período do dia todos podem parar para ler seus livros preferidos separados ou até ler um mesmo livro juntos.

E as tarefas domésticas também podem se tornar um momento de ação em família. Distribua as responsabilidades (quem é o responsável por cada tarefa, de acordo com a idade), monte uma playlist que compreenda o gosto musical de todos e mãos à obra!

Leia também: Mais de 70% das crianças têm celular ou tablet próprio antes dos 10 anos

Se comunicar continua sendo o mais importante

Nenhum de nós está acostumado a estarmos todos juntos em casa. Sim, convém garantir que eles estejam gastando seu tempo com sabedoria, mas coloque tudo em uma perspectiva diferente neste momento. 

Mais do que comandos, procure aproveitar esse momento para ter conversas com o seu filho sobre responsabilidade e ética online e assim garantir que ele esteja seguro na web. Você também pode orientá-lo para que não seja vítima de informações erradas, teorias da conspiração e manchetes alarmistas. 

Um foco potencial para as atividades de educação a distância são as habilidades de alfabetização digital e de mídia – como fazer pesquisas na Internet evitando notícias falsas, lendas urbanas e fraudes online. Algumas boas fontes: e-farsas.com, agência lupa, fato ou fake, entre outros.

O que nossas famílias precisam agora é de conforto, apoio e amor incondicional (inclusive os pais).

Concentre-se no quadro geral, onde um pouco mais de tecnologias pode ser melhor do que algumas semanas desagradáveis. 

Tente não se sentir culpado por usar as tecnologias para facilitar sua rotina neste momento.

Use a prática e não a perfeição quando se trata de uso da tecnologia durante períodos de estresse – isto vai passar. 

Todos nós podemos ajustar a rota quando a vida voltar a ser normal. Por enquanto, vamos nos concentrar na sobrevivência e em nos prepararmos para a retomada.

Leia também – As crianças, as telas e a quarentena 

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter. É grátis! 

2 COMENTÁRIOS

  1. O texto está muito geral, acho que precisamos pensar em cada faixa etária.. com crianças pequenas acho bem mais fácil deixá-las longe de eletrônicos mesmo dentro de casa, mas precisamos de criatividade para entretê-las com outras brincadeiras. Agora os mais crescidos acho precisam de limitação e regras, senão o excesso de eletrônicos poderá causar um mal para eles, o que pode trazer uma dor de cabeça maior do que a atual no futuro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui