Mais de 70% das crianças têm celular ou tablet próprio antes dos 10 anos

Pesquisa realizada pela Kaspersky mostra que 56% dos jovens de até 18 anos no Brasil possuem perfis em redes sociais, mas 40% dos pais ignoram o conteúdo que eles publicam

1817
Pais devem supervisionar o que as crianças publicam e explicar a elas por que eles fazem isso

Leia em 3 minutos

O tempo que as crianças dedicam a assistir desenhos e jogar videogames tem deixado muitos pais angustiados. Mas é preciso reconhecer que são os próprios pais quem fornecem aos filhos tablets e celulares ainda na infância ou mesmo lhes dão um dispositivo eletrônico de presente. O estudo “Crianças Digitais”, realizado pela empresa de cibersegurança Kaspersky em parceria com a consultoria de pesquisa Corpa, mostra que quase metade das crianças brasileiras (49%) usaram um dispositivo eletrônico pela primeira vez antes dos seis anos de idade. E 72% delas ganharam o próprio smartphone ou tablet antes de completar 10 anos – em geral, é por volta dos 8,5 anos que a criança ganha o seu aparelho.

O objetivo do estudo “Crianças Digitais” era analisar o quanto pais e mães estão envolvidos e comprometidos com a vida digital de seus filhos. Para tanto, foram entrevistados 2.294 pais e mães, entre 25 a 60 anos, pertencentes às classes A, B ou C, usuários de dispositivos eletrônicos e cujos filhos têm entre 0 e 18 anos. As entrevistas foram realizadas entre fevereiro e março deste ano, por meio de enquetes online em seis países da América Latina – Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru). 

Leia também: Quarentena aumenta risco de dependência virtual para os pequenos

40% dos pais brasileiros não acompanham redes sociais de seus filhos

Outro aspecto preocupante que a pesquisa “Crianças Digitais” revela diz respeito ao acompanhamento dos pais no uso de redes sociais por seus filhos. De acordo com a pesquisa, metade dos pais entrevistados na América Latina afirmou que os filhos possuem ao menos um perfil em mídias sociais; ao mesmo tempo, 15% deles admitiram ignorar completamente as informações que as crianças compartilham na internet. O Brasil lidera este quesito, com 56% das crianças tendo alguma conta em redes como WhatsApp, Instagram, YouTube e Facebook. Além disso, 42% das crianças brasileiras acessam as redes sociais sozinhas ou com senhas próprias. Na América Latina, 35% dos adultos não sabem a senha do perfil de seus filhos, e os brasileiros são os que menos têm essa informação, com 26% – muitos pais nunca (12%) ou raramente (28%) monitoram os filhos nessas mídias no nosso país.

“As crianças de hoje crescem em um mundo rodeado pela internet. É impossível evitar que elas interajam, mais cedo ou mais tarde, com tudo o que é digital e, principalmente, com as redes sociais”, explica Carolina Mojica, gerente comercial de varejo da Kaspersky. Ela ressalta a importância dos pais supervisionarem o que as crianças publicam e explicarem a elas por que eles fazem isso. “Até os adolescentes podem não ter total compreensão sobre o impacto a longo prazo de suas postagens ou podem não entender que a internet nunca esquece nada. Portanto, é importante ensiná-los a ter bons hábitos online”, diz Carolina. Veja recomendações para ajudar as famílias na educação infantil digital.

Leia também: Aumento de casos de miopia pode ter relação com uso de telas e rotina em ambientes fechados

O que os pais podem fazer para que as crianças usem a internet com segurança

  • Desde cedo, converse com eles sobre as ameaças online para que aprendam a reconhecê-las e evitá-las, criando assim uma base de confiança e diálogo
  • Estabeleça um diálogo sobre os perigos da internet com os seus filhos
  • Participe das atividades online de seus filhos desde cedo como um “mentor”. Pergunte sobre suas experiências online e, em particular, se teve algo que o(a) fez sentir desconfortável ​​ou ameaçado(a), como assédio, sexting ou aliciamento. 
  • Defina regras simples e claras sobre o que eles podem fazer na internet e explique o porquê. 
  • Configure corretamente as ferramentas de privacidade nas redes sociais de seus filhos para que as mensagens sejam visualizadas apenas por amigos e familiares. 

Veja os números do Brasil na pesquisa “Crianças Digitais”

  • 49% das crianças brasileiras usam um dispositivo conectado pela primeira vez antes dos 6 anos
  • 72% delas têm o seu próprio smartphone ou tablet antes de completar 10 anos
  • 8,5 anos é a idade média em que a criança ganha o seu primeiro dispositivo conectado
  • 56% possuem conta em alguma rede social, das quais…
  • 67% compartilham hobbies ou atividades favoritas
  • 10% compartilham dados pessoais de amigos e parentes
  • 16% compartilham fotos da casa
  • 42% das crianças acessam as redes sociais sozinhas e com senhas próprias e somente…
  • 14% delas estão acompanhadas dos pais

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar nossa newsletter. É grátis!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui