Ensino remoto: pais devem mostrar que acreditam na capacidade dos filhos, dizem especialistas

Educadoras Roberta Bento e Taís Bento fazem alerta sobre comportamento dos pais em relação às aulas a distância

493
Mãe ajuda a filha em atividades de ensino remoto, já que a criança está estudando longe da escola.
Apoio e incentivo dos pais são importantes para crianças realizarem atividades de ensino remoto.

Leia em 2 minutos

Com o fechamento de instituições de ensino por causa da pandemia do novo coronavírus, as aulas a distância surgiram como solução temporária para que as crianças continuem estudando, mesmo longe das escolas. Mas, para que o ensino remoto seja eficaz, é importante que os pais demonstrem que apoiam os filhos e que acreditam no potencial deles para aprender. Esse é o alerta das educadoras Roberta Bento e Taís Bento, autoras do livro “Socorro, meu filho não estuda!”. 

Em artigo publicado nas redes sociais, as especialistas se mostram preocupadas que mães e pais possam estar deixando transparecer aos filhos que têm dúvidas sobre a capacidade deles de aprenderem enquanto estão estudando a distância. “Precisamos fazer um pacto e cortar da nossa fala qualquer palavra que sugira falta de capacidade de nossas crianças e adolescentes em superar esse momento que vivemos”, diz o artigo.  

Leia também – Com flexibilização da quarentena, mas sem escolas, 14% dos pais não terão com quem deixar filhos 

Roberta e Taís apontam que, muitas vezes, falas dos pais que trazem elementos de dúvida da capacidade das crianças podem ter origem em uma vontade de proteger os filhos e evitar que eles se frustrem com os resultados que poderão alcançar. A proposta das especialistas é deixar de lado o discurso de que “não é para ele/a” e trocar o sentimento de pena dos pequenos por orgulho das suas conquistas diárias. 

“Nossos filhos vão descobrir o quanto conseguem aprender, mesmo longe da escola, quando nossa postura, atitudes e palavras provarem que acreditamos nesse poder que eles possuem!”, diz imagem que acompanha texto publicado pelas especialistas. 

Leia também – Bombeiros do DF criam plano de fuga para orientar crianças em caso de incêndio 

Caso os pais percebam que estão com o sentimento de dó dos pequenos por precisarem continuar estudando longe da escola neste momento atípico, o conselho de Roberta e Taís é simples: reconhecer que é difícil e reforçar o quanto sabe que o filho é capaz. “Um ‘sei que está difícil, mas você consegue’ vai ecoar na mente do seu filho por anos luz, se dito com sua boca, olhos e coração”, diz o texto das especialistas. 

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter. É grátis! 

Jornalista formada pela Unesp. Foi trainee do jornal O Estado de S. Paulo e colaboradora em jornalismo da TV Unesp. Na faculdade, atuou como repórter e editora de internacional no site Webjornal Unesp e como repórter do Jornal Comunitário Voz do Nicéia. Também fez parte da Jornal Jr., empresa júnior de comunicação, e teve experiências como redatora e como assessora de comunicação e imprensa.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui