Entenda como funciona o sono das crianças em cada faixa etária

A pediatra Marcela Noronha destaca a importância de dormir bem e detalha as características do sono desde o nascimento até a adolescência

263
Menina dormindo
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

O sono é uma necessidade, não é um luxo. Assim como comer, ir ao banheiro e respirar, o sono é uma necessidade básica prioritária para qualquer ser humano.

Muitas mães e pais passam os dias como zumbis, alegando para si mesmos que estão fazendo isso pelo bem de seus filhos e acreditando que ser bons pais significa “abrir mão” de algumas necessidades básicas. 

Mas isso é ilusório! Se você está como um zumbi, é muito provável que nem você nem seu bebê estejam dormindo bem, e ambos precisam de ajuda.

E se você acha que está sozinho nessa jornada, está enganado. Veja esses dados alarmantes da pesquisa Silentnight, realizada no Instituto Nacional de Saúde do Reino Unido:

  • Pais perdem em média 6 meses de sono durante os primeiros dois anos de vida de seus bebês.
  • Aproximadamente 10% dos pais de crianças menores de 2 anos conseguem dormir apenas duas horas e meia de sono contínuo todas as noites.
  • Mais de 60% dos pais com bebês menores de 24 meses dormem menos de três horas e quinze minutos todas as noites.

Para entender melhor o sono das crianças, veja a seguir características do sono por faixa etária. 

Sono em recém-nascidos até 3 meses de idade:

Os recém-nascidos têm um ritmo de sono chamado ultradiano, o que significa que não diferenciam o dia da noite. Eles dormem de 16 a 18 horas por dia, intercalando períodos de três a quatro horas de sono com uma a duas horas acordados. Nessa faixa etária, a quantidade de sono diurno e noturno é igual.

Sono dos 3 aos 6 meses:

A partir do 3º mês de vida, o padrão de sono mais agitado torna-se mais calmo, e o ciclo circadiano começa a agir, melhorando a qualidade do sono e transformando o sono fragmentado durante o dia em um sono consolidado durante a noite. Nessa idade, um bebê costuma dormir entre três e nove horas seguidas à noite. As sonecas diurnas diminuem, passando a ser entre três e quatro por dia, e ele fica acordado de 1 hora e meia a duas horas e meia entre elas.

Sono dos 6 meses até 1 ano e meio (18 meses):

Com seis meses de idade, os bebês já possuem um ciclo circadiano mais consistente, estabelecendo-se por completo ao final do primeiro ano de vida. Dormem entre 6 e 12 horas seguidas à noite, e cerca de 30% deles ainda podem ter um despertar noturno. Costumam ter entre duas e três sonecas durante o dia e ficam acordados entre duas horas e meia e quatro horas entre elas.

Sono em crianças de 1,5 ano até 3 anos:

Nessa faixa etária, as crianças geralmente dormem entre 9 e 11 horas durante a noite e costumam tirar apenas uma soneca durante o dia, geralmente após o almoço, com duração média de 75 minutos. O tempo total entre dormir e acordar varia entre quatro e cinco horas.

Sono em crianças de 4 anos até 12 anos:

O sono nessa faixa de idade passa a ser exclusivamente noturno, mas dependendo da cultura e das necessidades individuais, pode haver um período de descanso após o almoço, conhecido como “sesta”. Em geral, as crianças dormem entre 8 e 11 horas seguidas durante a noite. É importante ressaltar que a sonolência excessiva durante o dia pode indicar que o sono noturno não está sendo suficiente.

Sono dos adolescentes:

Durante a puberdade, ocorrem mudanças no padrão do sono devido aos hormônios. Os adolescentes tendem a atrasar em cerca de um a duas horas tanto o horário de ir dormir quanto o horário de acordar, um fenômeno conhecido como atraso de fase. Esse atraso é mais pronunciado nos meninos do que nas meninas. Embora seja fisiológico que os adolescentes durmam mais tarde, fatores ambientais contribuem para piorar essa situação. Os principais vilões são computadores, celulares, tablets e televisores.

Se você está precisando de ajuda, pode encontrar mais dicas aqui. Além disso, o pediatra dos seus filhos também pode orientar a sua família e ajudar a criar novos e bons hábitos de sono. 

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

Marcela Ferreira Noronha
Pediatra, educadora parental e nefrologista infantil. Mãe do Lucas e da Isabela. Formada em medicina pela Universidade São Francisco (SP) em 2006, com residência em pediatria pelo Hospital Menino Jesus de São Paulo, e especialização em nefrologia infantil pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Educadora Parental certificada pela Positive Discipline Association. Fez pediatria por vocação e tem como missão de vida tornar crianças e adultos felizes, respeitosos, com inteligência emocional, senso comunitário, física e emocionalmente saudáveis.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui