Os livros infantis mais buscados na internet

Procura online por livros infantis cresceu 22% nos últimos oito meses, segundo levantamento; confira títulos mais procurados

217
Menina negra lê livro sorridente
Hábito da leitura tem sido cada vez mais estimulado entre as crianças
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

No próximo Dia das Crianças, ao que tudo indica, os brinquedos e eletrônicos terão um concorrente de peso nas compras dos papais, mamães e demais responsáveis: os livros infantis. Pelo menos é o que acaba de revelar o novo levantamento da plataforma Preply, que destaca, a partir de pesquisas online nos mecanismos de busca, o quanto o interesse pela literatura voltada aos pequenos tem crescido de Norte a Sul no país. 

Para se ter uma ideia, somente entre janeiro e agosto deste ano, a procura por histórias para a garotada na internet saltou 22,2%, entre termos como “livros para crianças” e “livro infantil”. De 2020 para cá, o crescimento é ainda maior: 77,1%, uma prova de que o hábito da leitura tem sido cada vez mais estimulado entre os pequenos de todas as regiões. 

Os dados mais recentes analisados pela Preply, aliás, parecem indicar não apenas o incentivo dos adultos, mas uma demanda natural da parte das próprias crianças brasileiras — algo antecipado por diversos institutos editoriais nos últimos anos.

Há três anos, por exemplo, a última edição da pesquisa Retratos da Leitura, realizada pelo Instituto Pró-Livro (IPL), já havia observado que a faixa etária dos 5 aos 10 anos é aquela que mais consome literatura no Brasil, lendo por vontade própria todos os dias. Já segundo o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), a categoria infantil foi a grande responsável por liderar as vendas nacionais em 2022, ao lado dos segmentos juvenil e educacional. 

“Ler é um hobby que pode proporcionar uma vida inteira de diversão e crescimento pessoal, então definitivamente deveríamos comemorar esses números”, celebra Sylvia Johnson, líder de metodologia da Preply. “Desenvolver o amor pela leitura na infância muitas vezes se traduz em um hábito de aprendizagem para toda a vida. A leitura está ligada à maior criatividade e melhor empatia. A exposição a mundos e pessoas diversos leva a horizontes ampliados e desperta o desejo por conhecimento. Isso nunca desaparece.” 

LEIA TAMBÉM:

De Malala a Galinha Pintadinha: os livros infantis mais buscados pelos brasileiros na internet 

Mas, afinal, que narrativas e autores têm feito com que pais e responsáveis ao redor do Brasil venham recorrendo ao Google nos últimos meses? Para compreender os títulos mais buscados no país, a plataforma de idiomas apresenta, abaixo, os escritores que marcaram as pesquisas dos internautas esse ano. Aparecem na lista nomes como Malala, Emicida, Ruth Rocha e Galinha Pintadinha, com obras que prometem inspirar suas compras para a data. 

Malala, a Menina Que Queria Ir para a Escola (Adriana Carranca) 

Nessa história que promete emocionar as crianças, a jornalista brasileira Adriana Carranca narra, em uma linguagem acessível aos pequenos, a história inspiradora de Malala Yousafzai — a mais jovem ganhadora do prêmio Nobel da Paz e, em suas palavras, o “exemplo de como uma pessoa e um sonho podem mudar o mundo”. 

Grande nome do ativismo pelos direitos femininos à educação, a garota paquistanesa se tornou mundialmente famosa ao criar, em 2008, o blog “Diário de uma Estudante Paquistanesa”, em que refletia sobre sua relação com os estudos em meio às imposições do regime Talibã, que proibia as mulheres de irem à escola. À época, sobretudo após resistir a um atentado do grupo, suas palavras ecoaram por todo o planeta, a transformando em um símbolo da batalha pela educação dentro e fora do Paquistão. 

O Livro Das Virtudes Para Crianças (William Bennett) 

Dezenas de narrativas de diferentes séculos e tradições compõem esta obra de William Bennett, que explora, por meio de contos e poemas curtos, ensinamentos sobre virtudes que nunca saem de moda: respeito, empatia, confiança, honestidade e coragem. 

Acompanhadas de ilustrações do artista Michael Hague, adultos e crianças poderão se deliciar com lendas e fábulas envolvendo nomes como São Francisco de Assis, considerado o protetor dos animais, Gêngis Khan, o fundador do Império Mongol, e até mesmo o primeiro presidente dos Estados Unidos, George Washington. 

Bíblia Infantil Ilustrada e 365 Histórias Bíblicas (Vários autores) 

Em um país no qual, segundo o instituto de pesquisas Datafolha, mais de 80% dos brasileiros professam a fé cristã, não surpreende que as Bíblias infantis apareçam não uma, mas duas vezes na lista de livros mais procurados na internet, certo? 

“365 Histórias Bíblicas” reúne muito do que os adultos costumam procurar quando o assunto é compartilhar os contos e valores cristãos com os pequenos: textos de extensão curta, linguagem bastante acessível e diversas ilustrações, que facilitam a compreensão dos ensinamentos de figuras como Noé, Abraão e Moisés. O número de narrativas presentes na coletânea, aliás, é ideal para quem deseja ter histórias para contar aos pequenos o ano inteiro. 

Amoras (Emicida) 

Afinal, como falar sobre assuntos sensíveis aos pequenos sem perder a magia e ternura características dos livros infantis? A resposta pode ser encontrada na obra de estreia do rapper Emicida, lançada em 2018 pelo dono das canções de sucesso “AmarElo” e “Triunfo”. 

No livro, inspirado em uma conversa com a própria filha, o músico narra o trajeto de uma garotinha negra se reconhecendo no mundo, com reflexões lúdicas acerca de temáticas como racismo, autoaceitação e diversidade. Orixás da crença iorubá e personalidades como Martin Luther King e Zumbi dos Palmares também são apresentados aos leitores ao longo das 44 páginas, que, devido ao grande sucesso, já lhe renderam a publicação da segunda história “E foi assim que eu e a Escuridão ficamos amigas”. 

Dom Quixote das Crianças e Coleção Monteiro Lobato (Monteiro Lobato) 

Emília, Cuca, Visconde de Sabugosa… que Monteiro Lobato se tornou praticamente sinônimo da literatura infantil nacional ninguém tem dúvidas: dos livros às adaptações para a TV, é difícil encontrar um brasileiro que não tenha ouvido falar nele, que é uma presença constante nas prateleiras escolares ano após ano. 

Seja em “Dom Quixote das Crianças” ou com a “Coleção Monteiro Lobato”, um pouco de tudo relacionado à sua obra pode ser conferido por quem a lê, que entrará em contato com versões ilustradas de seus maiores sucessos. Entre as aventuras de Hans Stadens e os ensinamentos de tia Nastácia, adultos e crianças embarcarão em histórias emocionantes, permeadas pelos elementos que alçaram o autor de “Sítio do Picapau Amarelo” ao posto de um dos maiores nomes da literatura escrita para os mais novos — o tom didático, o resgate do folclore nacional e o realismo fantástico. Prepare para se divertir! 

Contos Clássicos com a Galinha Pintadinha 

Se, para você, a turma da Galinha Pintadinha se restringia apenas às músicas e desenhos animados, saiba que não poderia estar mais enganado: se existe algo que essa galerinha tem provado é como domina a arte de contar boas histórias — independentemente do suporte. 

Com a coleção literária “Contos Clássicos”, por exemplo, os pequenos fãs do projeto musical têm a oportunidade de passear por entre histórias já conhecidas do nosso imaginário, mas com o toque mais do que especial da iniciativa dos brasileiros Juliano Prado e Marcos Luporini. Cachinhos Dourados, o Patinho Feio e Os Três Porquinhos são algumas das narrativas que compõem a série, com narrativas contadas pelos amados Pintinho Amarelinho e o Galo Carijó. 

Marcelo, Marmelo, Martelo (Ruth Rocha) 

Provando que há clássicos que atravessam gerações, “Marcelo, Marmelo, Martelo”, de Ruth Rocha, segue encantando famílias décadas depois de sua publicação original, em 1976. A longevidade da obra, apenas uma entre as centenas da autora paulista, é logo atestada por suas constantes impressões e adaptações: ao todo, são 55 edições, uma versão para o teatro e uma série audiovisual em 13 episódios. 

Em uma narrativa pra lá de divertida, o leitor é apresentado a Marcelo, um menino travesso que, conforme diz a autora, “uma vez cismou com o nome das coisas” e decidiu dar novos nomes a tudo ao seu redor: ao “cobertor”, que vira “cobridor”, à “colher”, que se torna “mexedor”, e à “casinha” do cachorro… simplesmente substituída pela palavra “moradeira”. Alguma dúvida de que suas invenções mirabolantes arrancarão boas risadas da criançada? 

Coisas de Índio (Daniel Munduruku) 

Da relação com a natureza a particularidades culturais, a adaptação infantil dessa obra de Daniel Munduruku apresenta um verdadeiro panorama sobre os diferentes modos de vida indígena que compõem o Brasil, tudo isso recheado de elementos visuais. 

Entre seus diversos mapas, por exemplo, os leitores serão guiados pelos percursos feitos pelos primeiros nativos e as regiões nacionais onde vivem boa parte dos povos indígenas. Já as ilustrações dão o tom e ajudam a visualizar melhor os jogos, instrumentos musicais, ritos de passagem e até mesmo as histórias contadas dentro das aldeias — mitos encantadores sobre a origem do universo e da nossa humanidade. 

Metodologia

Para desvendar os livros infantis de maior interesse no país, foram consideradas mais de 9,8 milhões de pesquisas no Google realizadas por brasileiros entre os dias 1 de janeiro e 30 de agosto de 2023. A investigação foi pautada pelas expressões “livros infantis”, “livros para crianças” e suas variações, abrangendo todas as buscas relativas ao segmento nas cinco regiões nacionais. Em seguida, autores e suas obras foram dispostos em um ranking baseado no volume total de buscas ao longo dos primeiros oito meses deste ano.   

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui