6 jogos de tabuleiro que favorecem a concentração, o raciocínio e a criatividade

Passatempos divertidos e populares, os jogos podem ajudar os pequenos a desenvolver habilidades sociais e estratégicas, dizem especialistas da educação

437
Jogos de tabuleiro para trabalhar o raciocínio e a criatividade das crianças; pai, mãe e filho jogando jogo de tabuleiro em uma mesa
Promovendo a interação e criatividade, jogos de tabuleiro podem resgatar aspectos que são perdidos em jogos eletrônicos

Em época de excesso de tecnologias, brincadeiras aparentemente mais simples, como os jogos de tabuleiro, podem não parecer tão atrativos para as crianças. Mas, segundo profissionais da educação, esses passatempos trazem vários benefícios que se perdem em jogos eletrônicos, como a interação “cara a cara”. “Isso ajuda a desenvolver habilidades muito importantes. A socialização promove aspectos afetivos e sociais”, diz João Damásio, professor de matemática do Colégio Humboldt.

Além disso, ainda de acordo com o pedagogo, os jogos de tabuleiro são “exercícios” cerebrais e neurais, que contribuem para organização e fortalecimento da atenção. “Eles são pensados com intuito de estimular o raciocínio, a concentração e as relações entre as várias etapas para atingir os objetivos”, aponta José Dimas Fialho, que também leciona matemática no Humboldt. O contato e manuseio das peças do jogo, afirma Fialho, ajuda também a despertar a criatividade dos pequenos. “Trabalha a cooperação, ajuda a lidar com as frustrações e a buscar por novas estratégias, garantindo o poder de tomadas de decisões, tudo em um contexto lúdico”, adiciona.

Os professores selecionaram alguns jogos de tabuleiro que fazem sucesso com as crianças e podem ser muito benéficos. “São jogos divertidos que os alunos jogam bastante. Eles prendem a atenção das crianças, estimulam a concentração e promovem a imaginação e criatividade”, aponta Damásio. Confira as dicas!


LEIA TAMBÉM


Dixit

Divulgação/ Galápagos Jogos

Dixit, que na tradução livre significa “ele disse” é um conhecido jogo francês, que pode ser jogado com até 12 participantes. Na vez de cada um, o jogador escolhe uma das 6 cartas que possui e dá uma dica sobre a arte que está nela, pode ser uma frase, palavra, mímica ou até uma música. Após isso, ele separa a carta virada para baixo. Em seguida, os demais jogadores olham para as próprias cartas e escolhem a que melhor se encaixa na dica dada, juntando-a com a carta do jogador da vez, também com a face virada para baixo.

As cartas são embaralhadas e reveladas, os outros jogadores devem descobrir qual é a carta do jogador da vez e, a depender dos acertos e erros na descoberta da carta, ganham pontos. Vence aquele que somar 30 pontos primeiro. “O jogo estimula a criatividade e abstração, em que as crianças devem adivinhar as cartas através de um contexto”, explica José Fialho.

Dobble

Divulgação/ Galápagos Jogos

Para João Damásio, o jogo Dobble é ótimo para trabalhar a concentração, pois requer velocidade e atenção. Existem cinco formas de jogar e todas as regras são simples, o que permite que crianças menores também aproveitem. O Dobble é composto por 55 cartas, sendo que cada uma delas possui 8 dos 57 símbolos possíveis. Cada carta tem apenas um símbolo em comum com qualquer outra carta do baralho. 

Embora haja diferentes maneiras de jogar, o objetivo é sempre o mesmo: conseguir identificar qual é o símbolo em comum entre duas cartas. Dependendo da versão escolhida para a partida, os jogadores podem se livrar de suas cartas, entregar cartas para os oponentes ou roubar as cartas deles. Dobble pode ser jogado com a família toda, pois pode ter de 2 até 8 participantes.

Carcassonne

Divulgação/ Devir

Para 2 a 5 jogadores, “Carcassonne” é um jogo de colocação de peças modulares, onde cada ladrilho representa um pedaço do sul da França. “Através de várias peças que correspondem a partes de um mapa, os jogadores vão dominando os territórios, porém, a escolha é muito importante, pois difere na pontuação”, explica José Fialho. Cada peça irá expandir o tabuleiro e as crianças devem tentar controlar áreas do mapa, como uma cidade, uma estrada, um mosteiro ou um campo, para ganhar pontos. “Carcassonne” se tornou um novo clássico moderno dos jogos de tabuleiro. Ao mesmo tempo em que é altamente acessível a iniciantes, também demanda estratégia e concentração dos pequenos.


LEIA TAMBÉM


Azul

Divulgação/ Galápagos Jogos

No jogo “Azul”, que permite a participação de 2 a 4 pessoas, os jogadores são artistas em assentamento de azulejos que devem decorar as paredes do palácio real de Évora, região centro-sul de Portugal. Criados pelos mouros, os azulejos, originalmente peças de cerâmica em azul e branco, chamaram atenção do rei português Manuel I, que desejou cobrir as paredes do palácio com as peças coloridas. No jogo, os participantes se revezam, comprando azulejos coloridos dos fornecedores para seu próprio tabuleiro. 

Mais tarde na rodada, eles marcam pontos com base na forma como colocaram seus azulejos para decorar o palácio. Pontos extras são distribuídos para padrões específicos e conjuntos completos, mas os suprimentos desperdiçados danificam a pontuação do jogador. Ganha quem tiver mais pontos no final do jogo. Segundo João Damásio, é uma ótima pedida para as crianças trabalharem estratégias, raciocínio e criatividade.

Hora do Rush

Divulgação/ Big Star

“É um jogo individual, porém, muito envolvente, com vários graus de dificuldades”, destaca José Fialho. Excelente para exercitar o raciocínio lógico, “Hora do Rush” convida as crianças a resolver um super quebra-cabeça para conseguir escapar de um enorme congestionamento de carros. Existem 40 cartas, divididas em quatro níveis, que vão de iniciante a expert. Os jogadores devem pegar uma carta e dispor os carrinhos na posição indicada. “Para sair com um carro específico do congestionamento, tendo somente uma saída, as crianças devem movimentar as peças e encontrar uma solução”, diz o professor.

Bingo

Divulgação/ Kepler

Para finalizar, João Damásio sugere o “Bingo”, que pode ser uma boa pedida para jogar com a família inteira, já que permite muitos participantes. As regras são bem simples, por isso, crianças pequenas também podem jogar facilmente. Cada jogador deve escolher com quantas cartelas quer jogar, com um máximo de quatro, que contêm 24 números aleatórios de 1 a 75. A cada rodada, um número é sorteado e o jogador verifica se ele está na sua cartela, o que contribui para a atenção e concentração das crianças. Se tiver o número sorteado, ele marca na sua cartela. O objetivo é completar linhas, colunas ou diagonais, de acordo com o padrão combinado para a partida.


LEIA TAMBÉM


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui