O menino brasileiro de 8 anos que está no “clube mundial de gênios”

Devido aos seus talentos musicais e alto QI, Gustavo Saldanha ganhou um lugar no Mensa, que reúne as pessoas com maior grau de inteligência do planeta; menino toca oito instrumentos, é fã dos Beatles e quer ter o próprio estúdio

87
Gustavo Saldanha, de 8 anos, é aceito para sociedade de gênios; Gustavo Saldanha, 8 anos, com sua mãe, Luciane Saldanha
Gustavo Saldanha, 8 anos, com sua mãe, Luciane Saldanha/ Foto: arquivo pessoal

Leia em 6 minutos

O Brasil tem um novo membro na maior e mais antiga sociedade de alto quociente de inteligência (QI) do mundo, a Mensa Internacional, e ele tem apenas 8 anos. Gustavo Saldanha mora em São Paulo e tem um QI de 140, a média gira em torno de 100. Após realizar o teste em abril deste ano, ele conseguiu um lugar neste “clube de gênios”. O menino é um grande fã dos Beatles e já sabe tocar oito instrumentos, além de ter muita habilidade com o uso da tecnologia.

Desde bebê, ele já mostrava que não era como as demais crianças da sua idade. “Ele não se distraía facilmente, como as outras crianças. Eu conversava com outras mães e parecia que era um mundo diferente do meu”, disse Luciane Saldanha, mãe do Gustavo, à Canguru News. Mesmo antes de falar, ele já conseguia entender muitas coisas e buscava se comunicar sem palavras. Além disso, sempre teve um grande apreço pela música. “Quando ele começou a falar, ele começou a cantar também”, contou a mãe. 

No entanto, seu talento musical ainda não havia despertado a atenção da família. Ele aprendia as músicas para apresentações da escola mas, como todas as crianças estavam ensaiadas e animadas quando cantavam, o seu dom não era tão perceptível. Aos 5 anos, quando aprendeu músicas dos Beatles para uma apresentação do Dia das Mães, se apaixonou pela banda. “Ele começou a assistir aos vídeos dos Beatles no YouTube, ouvir bandas cover e cada vez mais a conhecer e a cantar as letras das músicas”, lembra Luciane.


LEIA TAMBÉM


Paixão musical

Em 2018, ainda com 5 anos, ele foi apresentado a Marco Mallagoli, presidente do maior fã clube dos Beatles da América Latina, e começou a fazer performances ao seu lado em shoppings de São Paulo. “Ver o Marco tocar o violão despertou no Gustavo a vontade de aprender a tocar um instrumento de verdade. Até então ele tocava os de brinquedo”, aponta a mãe. O primeiro instrumento que aprendeu a tocar foi o violão, aos 6 anos de idade.

Em pouco tempo, o repertório do garoto já reunia mais de 50 sucessos dos Beatles. Durante a pandemia, para preencher parte do tempo, começou a se aventurar e quis aprender a tocar outros instrumentos. “Hoje, sei tocar violão, guitarra (solos e bases), baixo, ukulele, teclado, me arrisco na bateria, na gaita e talvez um pouco no violino”, afirma Gustavo Saldanha, que concedeu entrevista por e-mail. Além disso, o menino também canta e tem quatro músicas autorais. Devido à sua paixão e ao talento musical, aos 6 anos gravou seu primeiro álbum, com 14 sucessos da banda britânica, disponível nas plataformas de streaming. Atualmente, o repertório do menino já supera a marca de 100 músicas. 

Ele tem o chamado ouvido absoluto, o que lhe permite identificar com precisão as notas musicais e aprender canções apenas “de ouvido”. Gustavo Saldanha também é o mais jovem artista a se apresentar no Cavern Club em Liverpool e já foi notado por grandes nomes da música mundial como John Fogerty, da banda californiana Creedence, assim como o renomado músico James Taylor e Brian Ray, integrante da formação atual da banda de Paul McCartney.

Gustavo Saldanha no Cavern Club, em Liverpool/ Foto: arquivo pessoal

Altas habilidades 

Com a pandemia e o início das aulas online, Gustavo Saldanha precisou aprender a mexer com aparelhos eletrônicos, o que impressionou os pais, porque teve um desenvolvimento muito rápido na área da tecnologia, em relação às outras pessoas. “Ele já começou a produzir site, mudar a aparência de sistemas operacionais, entender como criar arquivos, compartilhamento de dados, enfim, um monte de coisas. Isso despertou a nossa atenção”, diz Luciane.

Assim, ela começou a pesquisar sobre as características da personalidade do filho e acabou descobrindo sobre a superdotação. “Nós fomos atrás de uma psicóloga para ouvir uma opinião. Ela fez algumas entrevistas com ele, alguns encontros e depois aplicou uma semana de testes. Quando veio com a devolutiva, apareceu a questão do QI mais elevado e das altas habilidades dele principalmente na área da música e da tecnologia”, relata Luciane.

Dados do Instituto Alpha Lumen, ONG de impacto social, apontam que existem mais de 5 milhões de estudantes com altas habilidades no Brasil, mas somente 20 mil foram identificados.


LEIA TAMBÉM


A partir da recomendação dos especialistas, o teste de QI foi realizado em abril deste ano. Foi assim que o menino conseguiu um lugar na Mensa Internacional, constituição que busca identificar e fomentar a inteligência humana, incentivar pesquisas, além de fornecer um ambiente intelectual e socialmente estimulante para seus membros. Com a admissão nesta sociedade de gênios, Gustavo Saldanha já recebeu a promessa de uma bolsa de estudos nos Estados Unidos para usufruir no futuro.

Para lidar com as altas habilidades e os seus aspectos emocionais, Gustavo faz acompanhamento com uma psicóloga. “Devido aos gostos do Gustavo, o mundo adulto é bem confortável, ele consegue falar sobre os assuntos pelos quais se interessa.  Às vezes, com as crianças a conversa sobre coisas que ele gosta não dá certo, porque elas normalmente não têm interesse em falar sobre tecnologia avançada ou sobre Beatles”, conta a mãe.

Assim, a psicóloga acompanha se Gustavo está conseguindo se inserir no mundo das outras crianças e o ajuda com o reconhecimento de emoções. “Tem sido bacana para ele, como uma forma de autoconhecimento e compreensão das diferenças, porque têm diferenças”, adiciona Luciane.

Gustavo Saldanha tocando o ukelelê/ Foto: arquivo pessoal

`Gustavo Saldanha Animation Studios´, o sonho do futuro

Além das aulas de música, Gustavo também gosta de ensinar, por isso, durante a pandemia, criou uma escola virtual para os avós, preparando materiais com base no que aprende no colégio. No futuro, pretende criar um espaço complexo que reúna todas as suas paixões. “No momento, meu sonho é ter o ‘Gustavo Saldanha Animation Studios’, que seria um lugar onde teria hotel, restaurante, estúdio de rádio e tv, escola, biblioteca, lojas de tecnologia, entre outras coisas”, conta o menino.

Segundo a mãe, a ideia surgiu depois que ele descobriu como funcionam os bastidores dos grandes estúdios, como da Disney e Pixar: “O Gustavo é o tipo de pessoa que é ‘faça você mesmo’. Por isso, ele decidiu que queria ter o próprio estúdio, em que ele poderia mixar os áudios, fazer as gravações e todo o resto ele mesmo”. Além disso, também gostaria de conhecer e cantar com Paul McCartney, que foi um dos integrantes da banda que tanto admira: os Beatles. “O Gustavo sonha grande”, destaca Luciane.


LEIA TAMBÉM


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui