‘Meu sonho é que todas as crianças do Brasil tenham acesso à ciência’, diz astrônoma de 8 anos

Caçadora de asteroides em programa parceiro da Nasa, Nicole Oliveira quer ser engenheira espacial; ela tem o próprio canal no YouTube e um grupo online para ensinar crianças sobre astronomia

186
Nicole Oliveira, prodígio de astronomia de 8 anos, já detectou 7 asteroides; Nicole com o seu telescópio
Nicolinha e seu telescópio/ Foto: arquivo pessoal

Leia em 4 minutos

Com apenas dois anos de idade, a alagoana Nicole Oliveira, conhecida como Nicolinha, gostava de olhar para o céu, sonhando em conhecer mais o espaço sideral. “Eu pedi uma estrela do céu para a minha mãe, mas ela não entendia, então, ela comprava estrelas de brinquedo”, diz a menina. Aos 8 anos, Nicolinha é sócia de uma instituição de astronomia, é bicampeã da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica — ouro em 2020 e 2021 — e já detectou sete asteroides no Caça-asteroides, um programa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) em parceria com a Nasa, agência espacial estadunidense. 

Quando tinha 5 anos, Nicole começou a manifestar o interesse por realizar cursos de astronomia e acabou encontrando o Centro de Estudos Astronômicos de Alagoas (CEAAL), uma instituição que reúne astrônomos amadores de todo o Brasil. Primeiramente, o presidente da instituição não permitiu que ela participasse do centro, porque era muito nova. Mas Nicolinha estava determinada a conseguir e, aos 6 anos, pôde participar de cursos e realizar uma prova para se tornar sócia, na qual passou. Com isso, Nicole Oliveira é a mais jovem associada à uma instituição de astronomia no país, segundo sua mãe, Zilma Janacá.

A conquista da garota foi muito impressionante e chamou a atenção de colégios de Maceió. “Já dei palestras sobre o sistema solar e sobre asteroides em várias escolas”, contou a garota à Canguru News. Mas entre todas as suas conquistas, houve uma muito marcante para Nicolinha: a oportunidade de palestrar no 1º  Seminário Internacional de Astronomia e Aeronáutica do MCTI, que ocorreu virtualmente em junho deste ano.

Nicole Oliveira, prodígio de astronomia de 8 anos, já detectou 7 asteroides; Nicole com um pôster do sistema solar e seus certificados de astronomia colados na parede
Nicole com os seus certificados de astronomia colados na parede/ Foto: arquivo pessoal

Mesmo muito nova, Nicole já tem grandes sonhos voltados para a ciência e, ao contrário do que muitos podem pensar, ela não planeja se tornar astronauta. A garota afirma que seu grande desejo é ser engenheira espacial para construir foguetes e levar as pessoas para o espaço.

 “Mas o meu maior sonho é que todas as crianças do Brasil tenham acesso à ciência e à tecnologia”, completa Nicolinha.


LEIA TAMBÉM


Programa Caça-asteroides 

“Meu planeta preferido é Saturno, mas o que eu mais gosto de estudar são os asteroides”, afirma Nicole. Por isso, a menina ficou muito interessada no programa Caça-asteroides, parceria entre a Nasa e o MCTI. “Eu uso um software, onde são disponibilizadas imagens em que eu faço todo o procedimento e começo a caçar. Depois eu envio um relatório para ser analisado”, explica Nicolinha.

Os primeiros asteroides que a pequena astrônoma identificou foram na edição 2020 do Caça-asteroides, em que ela formou uma equipe com o pai e a mãe. Neste ano, Nicole Oliveira voltou a participar de edições do projeto na escola, compondo uma equipe com outras crianças do clube de astronomia que ela própria iniciou, chamado Nicolinha&Kids. “Eu adorei participar, porque eu sabia que eu estava caçando asteroides e isso é muito importante”, diz.

Até agora, ela já detectou sete asteroides, mas ainda é preciso esperar a análise da agência norte-americana sobre as descobertas. Todos os relatórios do Caça-asteroides são revisados e validados pelo Inter Agency Standing Committee (IASC – ‘Comitê Permanente Interinstitucional’), da Nasa. Em seguida, são submetidos ao Minor Planet Center (MOC), em Harvard, um repositório mundial de dados sobre asteroides. Caso as suas descobertas sejam confirmadas, Nicole Oliveira poderá entrar para o Guinness Book, o livro dos recordes, como a pessoa mais jovem a descobrir um asteroide. Entretanto, de acordo com a coordenadoria do Caça-asteroides MCTI, todo esse processo pode levar de seis a oito anos.

Nicole Oliveira, prodígio de astronomia de 8 anos, já detectou 7 asteroides; Nicole caçando asteroides
Nicole caçando asteroides/ Foto: arquivo pessoal

Clube de Astronomia Nicolinha&Kids

Durante a pandemia, Nicole resolveu montar um clube online, o Nicolinha&Kids, em que ela e outras crianças poderiam compartilhar seus estudos. “Eu queria muito participar de um clube de astronomia para crianças, mas eu não encontrei, então eu disse para a mamãe que eu queria montar o meu próprio clube para outras crianças terem a oportunidade de aprender também. Eu disponibilizo cursos, palestras, eventos e também tem aulas com professores voluntários”, relata a menina. 

Nicole Oliveira já conseguiu cerca de 30 certificados em cursos sobre astronomia e acha importante que outras crianças também possam conhecer mais sobre o tema. Por isso, criou um canal próprio no YouTube, que tem até um quadro de entrevistas com grandes nomes da área, e um perfil no Instagram para compartilhar os conteúdos para todas as crianças.

Nicole Oliveira, prodígio de astronomia de 8 anos, já detectou 7 asteroides; Nicole na aula de astronomia
Nicolinha na aula de astronomia/ Foto: arquivo pessoal

LEIA TAMBÉM


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui