“Prefiro gente a bicho, mais do que comprar, do que comer, do que viajar”

0
conviver

Se tem uma coisa que eu gosto nesta vida são pessoas. Prefiro gente a bicho, mais do que comprar, do que comer, do que viajar. Prefiro gente a Nutella e chocolate! Ver como elas pensam, como se vestem, seus costumes, culturas, apegos, amores, atitudes. 

Seres sociais que somos, carecemos da conexão com o outro para nos sentirmos confortáveis. Sendo assim, um dos maiores fantasmas do nosso imaginário é ser excluído socialmente.

Mas não pense que ter bons amigos vai resolver facilmente os problemas da existência humana! O filósofo polonês Bauman afirma que as pessoas, para serem realizadas nos relacionamentos, precisam sentir que são amadas, ouvidas e amparadas. Ou precisam saber que fazem falta. Portanto, não basta sermos amados. Temos que ter certeza de que somos amados para nos sentirmos completos.

Leia também – Atenção à maneira como você conta histórias da sua infância a seus filhos

É justamente nos relacionamentos que estão os maiores desafios. Conviver com o outro exige de nós tantas coisas… aceitação, compreensão, um pouco de bondade, perdão, paciência, tolerância, diplomacia, conciliar ternura e firmeza, buscar mudanças, ceder, negociar e algumas outras virtudes.

Conviver com as críticas também é algo desafiador. Mas, críticas servem para nos tirar do lugar da acomodação. Fazem a gente refletir, pensar em mudar. Ouvir o outro nem sempre é tarefa fácil. Entender o outro, nem sempre é tarefa agradável. Mas, a visão alheia pode nos dizer muito sobre nós. Aprender a amar “apesar de” é um alvo, um desafio, uma caminhada, uma oportunidade.

Leia também: Como ajudar as crianças a manter o autodomínio?

Diante de tantos desafios, o que temos mesmo que fazer é relaxar. Conviver sem muita neurose, sem tentar tecer explicações para tudo e pra todos.

Dizem que a vida é curta. Melhor, pois, encarar esse adjetivo como um verbo.

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui