Animações feitas por crianças refletem futuro do planeta e urgência ambiental

Crianças internadas em hospital para tratamento contra câncer trabalham lado artístico e refletem sobre mudanças climáticas; iniciativa é do projeto De Criança Para Criança

653
Crianças com câncer produzem animações sobre o meio ambiente; ilustração da animação
Ilustração da animação "Incêndio na Floresta"/ Reprodução
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

“É preciso ter a conscientização que se os animais entrarem em extinção e o homem colocar fogo na floresta, um dia não vai ter mais nada”, diz Julia, de 14 anos, que participou da produção das animações sobre incêndios no meio ambiente. Para ela, a experiência de fazer parte do projeto, realizado pelo programa De Criança Para Criança (DCPC), levantou diversas reflexões relevantes sobre o meio ambiente. “Eu aprendi que devemos cuidar do nosso planeta, porque um dia os recursos naturais da Terra podem acabar”, relata Alice, de 8 anos.

Julia e Alice são pacientes internadas no Centro Infantil Boldrini, onde realizam tratamento contra o câncer e acharam que o projeto das animações foi muito divertido, trazendo momentos de criatividade e educação. Alice também encantou-se com a possibilidade de trabalhar seu lado artístico e aprimorar suas habilidades de desenho. Além disso, as meninas mostraram-se muito preocupadas com a poluição e as mudanças climáticas, temas com os quais as novas gerações estão bastante envolvidas.

“A questão do meio ambiente é muito urgente e é importante que todas as crianças estejam engajadas, precisamos conversar com elas desde cedo”, diz Vitor Azambuja, diretor de arte e um dos criadores do DCPC. Animais, limpeza dos oceanos, incêndios florestais, lixo e falta de água foram alguns dos temas abordados nas animações. A temática foi proposta pelo DCPC e pela Toyota e aprovada pelo hospital. “Educar as crianças e fazer com que elas discutam esse assunto é uma necessidade básica”, destaca Azambuja.

Para ele, realizar o projeto com os pequenos internados no Boldrini foi uma oportunidade única: “É muito emocionante trabalhar com crianças que estão no hospital e que estão em tratamento”. Segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), o câncer é a principal causa de morte por doença de crianças e adolescentes no Brasil. O tratamento é geralmente feito com medicamentos fortes e, em muitos casos, as crianças precisam ficar afastadas de alguns familiares devido às internações, que podem ser longas. 

Desse modo, o projeto também foi uma maneira de tentar amenizar as dificuldades do tratamento dos pequenos e, ao mesmo tempo, abordar temas relevantes de forma lúdica. “Nós entendemos que a metodologia poderia ajudar as crianças a se sentirem melhor durante o tratamento e ainda debater a situação do meio ambiente com elas. No hospital, elas têm aulas regulares e essa foi uma maneira de fazer com que elas se sentissem parte de algo maior e ainda responsáveis pelo futuro do planeta”, acrescenta Vitor Azambuja.

Vitor Azambuja, um dos criadores do DCPC/ Foto: arquivo pessoal

LEIA TAMBÉM


Crianças como protagonistas

Uma criança aprende muito com outra criança, segundo Azambuja. Por isso, elas foram as responsáveis por pensar nas histórias e nos desenhos das animações, mas sempre com apoio dos pedagogos do Boldrini e profissionais do DCPC. “Fizemos várias reuniões, foi muito divertido, porque o projeto dá voz à criança, propõe que ela crie e permite que ela construa o seu próprio conhecimento”, relata o diretor de arte. 

No total 35 crianças participaram da produção das animações sobre o meio ambiente e assumiram o protagonismo de todo o processo. “Até hoje, tudo que foi feito para o público infantil, seja teatro, cinema ou metodologias escolares, foi criado por adultos. O que a gente fez foi inverter a ordem, colocamos a criança contando para outra criança”, diz Vitor Azambuja.

Os participantes eram encaminhados para o local do Centro Infantil Boldrini chamado “pedagogia”, onde se encontravam com os responsáveis da iniciativa para discutir as ideias. “Quando cheguei na pedagogia do Boldrini, me mostraram os desenhos das outras crianças que também fizeram parte do projeto. Depois eu li a história e comecei a gravar os áudios”, conta Julia, de 14 anos. Cada criança ficou com uma parte da produção da animação, algumas escreveram as histórias e outras fizeram os desenhos ou as gravações, como Julia. Quando os projetos ficaram prontos, o material foi enviado aos animadores da DCPC para chegarem ao produto final.

“O bacana é que estamos propondo que as crianças falem sobre o meio ambiente de maneira educativa, livre, divertida e lúdica. Mais do que isso, estamos usando a linguagem da criança, que ela consegue entender”, afirma Vitor Azambuja.

Julia, 14 anos, participou da animação “Incêndio na Floresta”/ Foto: arquivo pessoal

A importância da conscientização ambiental

Com o objetivo de discutir as questões relacionadas às mudanças climáticas, a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26), que ocorrerá dos dias 31 de outubro a 12 de novembro, reunirá diversos líderes mundiais. Os principais tópicos abordados serão emissão de carbono, finanças, transportes e construções, buscando a prosperidade dos países e respeitando o meio ambiente. Outro assunto retratado é a juventude, que será a geração mais afetada pelas mudanças climáticas.

A pequena Alice já é muito preocupada com a natureza. “Não podemos jogar lixo na natureza, porque os animais podem gostar do cheiro e se machucarem. Também precisamos preservar as árvores e as fábricas precisam parar de soltar fumaça pelas chaminés”, relata. Para Julia, é necessário que todos comecem a agir de forma sustentável para conservar o planeta. “A preservação do meio ambiente é muito importante, se cada um fizer sua parte, todos entram em harmonia, os seres humanos e os animais”, diz.

Vitor Azambuja acrescenta que além de conhecerem mais sobre questões ambientais, as crianças também tiveram que exercitar o trabalho em grupo e aprender a comunicar as mensagens que querem passar. “A animação vai ficar para sempre na voz, no desenho e na história da criança. A ideia é que o projeto seja infinito e chegue na maior quantidade de crianças possível”, destaca.

Confira o resultado dos projetos de Julia e Alice. As outras animações sobre o meio ambiente estão disponíveis no canal do YouTube do De Criança Para Criança.


LEIA TAMBÉM


‘Uma Aventura na Trilha’

“Criamos ‘Uma Aventura na Trilha’, que fala sobre a natureza e como ela está sendo poluída pelo homem”, conta Alice, que participou da produção do roteiro da história e dos desenhos. Na animação, são levantadas questões como o descarte inadequado do lixo e a importância das abelhas.


LEIA TAMBÉM


‘Incêndio na Floresta’

“A história é sobre um incêndio, onde a floresta pega fogo e quem ajuda a apagar são os animais, muito mais que o ser humano. Os animais exigem que o homem cuide do meio ambiente, porque se acabar toda a floresta, não terá mais vida”, conta Julia sobre a sua animação.


LEIA TAMBÉM


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui