Michelle e Barack Obama falam sobre família, filhos e relacionamentos

No episódio de lançamento de seu podcast, Michelle entrevista seu marido, Barack Obama, ex-presidente dos Estados Unidos

870
Michelle Obama e Barack Obama, sentados de frente um para o outro, gravando o podcast de Michelle.
Na conversa, o casal aborda como eram relacionamentos familiares e criação dos filhos na época em que eram crianças. Foto: Reprodução/Instagram
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

Michelle Obama é uma referência e inspiração para muitas mulheres – sobretudo no quesito “maternidade”. Em sua autobiografia, “Minha História”, lançada em 2018, ela dedica muitas páginas a esse tema. Agora, ela lança o “The Michelle Obama Podcast” – e o primeiro episódio tem um convidado bem conhecido do público: Barack Obama, marido de Michelle e ex-presidente dos Estados Unidos. Por cerca de 50 minutos, o casal tem uma conversa que passa por inúmeros temas. Entre os assuntos abordados, eles falam sobre relacionamentos familiares e criação dos filhos, voltando às suas infâncias para contar um pouco de suas próprias histórias e instigando reflexões sobre o presente e o futuro. 

Na conversa, é explicado que os dois cresceram em famílias diferentes. Michelle era parte de um núcleo familiar de quatro pessoas, uma “familiar nuclear clássica”, como definiu Barack. Já ele foi criado basicamente pela mãe e pelos avós. “Era uma família unida. O que talvez nossas famílias tinham em comum é que minha mãe e meus avós eram parecidos com seus pais em realmente priorizar as crianças”, afirma o ex-presidente. “E em pensar que você tinha que fazer sacrifícios pelas crianças. Então, nos sentimos amados e apoiados. E é obviamente aí que uma comunidade começa”, acrescenta. 

Leia também – Conviver com um cachorro ajuda a desenvolver habilidades sociais das crianças, diz estudo

A rede de apoio ou “comunidade” aparece como um fator importante na criação dos filhos tanto no relato de Barack como no de Michelle. “Uma das coisas que falamos muito é que, de um jeito ou de outro, eles não precisavam fazer isso completamente sozinhos. Havia uma vizinhança ou uma comunidade… Famílias estendidas. Estruturas ao redor que ajudaram as famílias a criar suas crianças em um ambiente amoroso. E eles não se sentiram tão isolados”, conta Barack. 

Michelle aponta o compartilhamento de responsabilidade entre as famílias – inclusive a responsabilidade de criar os filhos. “Todos os idosos viviam com alguém. Dividiam as despesas, as casas, os deveres de criar os filhos. Não havia esse sentimento de que você deveria amar e apoiar sua família por conta própria. Isso parece ser uma coisa nova”, declara. “Parecia uma comunidade, a vizinhança com a qual cresci funcionava dessa forma. E não cabia somente aos pais dar estabilidade e amor aos filhos”, recorda. 

Leia também – Para ler com as crianças: para onde vão os fios da memória?

Barack reflete sobre essa “comunidade” não tão comum nos dias atuais, que permeou toda a infância dele e de Michelle, e como ele deseja que suas filhas possam viver em um mundo em que todos cuidam de todos. “Quando você e eu pensamos em qual herança gostaríamos de deixar para Malia e Sasha [filhas do casal, de 22 e 19 anos, respectivamente], mais do que qualquer coisa seria que elas vivessem em um país que respeita todo mundo e cuida de todo mundo. Que celebra e vê todo mundo. Para sabermos que, se não estivermos por perto, que elas estejam em uma sociedade assim”, conclui. 

Segundo Michelle, o “The Michelle Obama Podcast” terá conversas dela com a mãe, com o irmão, com amigos e colegas. “Nesses episódios, nós vamos discutir os relacionamentos que nos fazem quem somos”, diz. “Em outros episódios, falaremos sobre os desafios e alegrias de ser pais ou cônjuges”, explica. É possível escutar o “The Michelle Obama Podcast” neste link

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter. É grátis!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui