10 dicas para ensinar os pequenos a manter os brinquedos organizados

Separar os brinquedos por categoria e deixá-los acessíveis é importante para que a criança possa encontrar tudo com mais facilidade e assim varie as brincadeiras

3811
Guardar os brinquedos em caixas organizadoras, como se vê na imagem, separando os objetos por tipo carrinhos, bonecas etc. – facilita que sejam encontrados pelas crianças
Guardar os brinquedos separadamente faz com que a criança consiga encontrar tudo facilmente

Leia em 6 minutos

Seu filho tem muitos brinquedos em casa? O armário e as prateleiras já não estão dando conta de tanta coisa que ele possui? Ter os brinquedos organizados e de maneira acessível é essencial para que a criança possa encontrar tudo com mais facilidade e, assim, tenha mais possibilidades de variar as brincadeiras. “Guardar os brinquedos de maneira setorizada faz com que seu filho não precise retirar tudo do lugar para encontrar o que quer”, explica a personal organizer Cris Catussatto, da Spot Organiza, empresa de organização de ambientes.

Separá-los em caixas por categorias, deixar os mais usados à vista e estimular a doação de tempos em tempos são algumas das dicas que podem ajudar os pais nessa difícil missão de ensinar as crianças a guardar os seus brinquedos. Reforçar a importância de devolver tudo para sua “casinha” depois de brincar também é um “mantra” que os pais terão de repetir algumas boas vezes até que a criança comece a fazer isso sozinha. Saiba mais sobre essas e outras dicas que preparamos com a ajuda de Cris e de sua sócia Glauce Di Mauro. Confira!

Leia também: 5 brinquedos de antigamente para divertir sua família nessa quarentena

1. Lembre que guardar os brinquedos é dever da criança

Muitos pais acham que isso não é tarefa de criança ou creem que por serem pequenos eles não são capazes disso. Mas nas escolas é comum que eles brinquem e depois ajudem a professora a guardar o material utlizado. E em casa a lógica pode ser a mesma. “As crianças devem aprender a cuidar de si mesmas e de suas coisas. Depois de brincar, os pais devem orientar os filhos a organizar e guardar os brinquedos. No começo, devem fazer isso junto com eles e, depois, deixar que façam sozinhos”, orienta a pedagoga e ex-secretária executiva do Ministério da Educação, Iolene Lima. Ela ressalta que para tanto é preciso usar a fala certa. Em vez de: “ajude-me a arrumar os seus brinquedos”, o que dá a entender à criança que essa é uma responsabilidade da mãe ou do pai, o mais indicado é dizer “vou ajudar você a guardar seus brinquedos” para mostrar como se faz até que aos poucos ela passe a fazer isso sozinha.

2. Incentive esse hábito desde muito cedo

O ideal é ensinar o filho a ser organizado desde cedo, quando ainda brinca com os brinquedos no chão, por volta de um ano de idade. Incentive-o a participar desse processo, explicando que os brinquedos devem ser recolhidos e colocados numa caixa que você vai mostrar qual é. Assim, o senso de organização começa a ser criado. Com o passar do tempo, a criança vai conseguir guardar os brinquedos por conta própria. Mas é sempre bom lembrar seu filho que os brinquedos que não estão sendo usados precisam ser colocados de volta em seu lugar.

3. Separe os brinquedos por “categoria”

Organize os brinquedos de maneira setorizada, evitando que a criança tenha de retirar (e bagunçar) tudo para encontrar o que quer. A separação pode ser feita por “categorias” – bonecas, carrinhos, dinossauros, jogos e brinquedos de montar, por exemplo, acompanhados de seus respectivos acessórios. Brinquedos sem “categoria”, em pequenas quantidades, podem ser guardados todos juntos para evitar que fiquem espalhados pela casa.

Leia também: ‘Brincar é crucial para o desenvolvimento infantil’

4. Utilize caixas organizadoras

Guardar os brinquedos por categoria é o que recomendam os especialistas, como se vê nessa imagem, diferentes caixas para diferentes tipos de objetos
Use diferentes caixas para diferentes brinquedos, aproveitando as que têm em casa e estão sem uso | Foto: Divulgação Spot Organiza

Caixas organizadoras ajudam bastante nessa separação. Algumas delas, inclusive, podem ser feitas em casa, aproveitando materiais como as caixas de papelão de supermercado. Dá até para fazer uma decoração na caixa junto com a criança com papeis estampados. Para brinquedos pequenos, dê preferência às caixas pequenas, como as de sapato.

5. No caso de bebês, guarde tudo junto

Guardar os brinquedos em caixas, como essa forrada com papel decorado como se vê na imagem, ajuda a organizar o quarto das crianças
Para bebês, a divisão por categorias não funciona, o melhor é guardar tudo em uma única caixa grande que possa ser facilmente acessada pelos pequenos | Foto: Divulgação Spot Organiza

No caso de bebês, o ideal é guardar todos os objetos em uma única caixa, pois eles ainda não entendem que os brinquedos precisam estar categorizados. “Para eles, a caixa é o lugar onde os brinquedos devem ficar que não espalhados pela casa”, explica Cris.

Leia também: Brincadeiras que ensinam as crianças a usar a tesoura

6. Use caixas de cores diferentes para diferenciar os objetos

Guardar os brinquedos em caixas de cores diferentes, como se vê na imagem, separando os objetos por tipo carrinhos, bonecas etc. – facilita que sejam encontrados pelas crianças
Combine com o seu filho que cada cor guardará um certo tipo de brinquedo | Foto: Divulgação Spot Organiza

As caixas transparentes facilitam na hora de encontrar o brinquedo preferido. Para mais de um filho, vale usar caixas de tonalidades variadas para cada um.

7. Cole etiquetas que facilitem a identificação

Use etiquetas que identifiquem os brinquedos por meio de desenhos, cores diferenciadas ou mesmo palavras – a própria criança pode fazer essa identificação, a depender de sua idade.

Estela, 5 anos, filha da personal organizer Cris Catussato, retira um livro da estante que fica à sua altura
Os livros devem ficar à altura da criança para que possa alcança-los com facilidade, sem a ajuda de um adulto | Foto: Divulgação Spot Organiza

8. Atenção à altura dos móveis

Para incentivar o uso e dar autonomia, é importante que os brinquedos e livros fiquem à vista e ao alcance da criança, evitando assim qualquer tipo de acidente. Se ela não pode ter acesso a um brinquedo, melhor que nem o veja. “Às vezes, alguns brinquedos são mais usados por estarem em prateleiras mais baixas. Nesse caso, vale fazer um rodízio periódico para que seu filho possa brincar com um brinquedo possivelmente esquecido”, orienta Cris.

Leia também: 11 brincadeiras campeãs de sucesso entre as crianças na quarentena

9. Saiba o que deixar nas prateleiras mais altas

Brinquedos que precisam de mais de uma pessoa para serem usados, como jogos de tabuleiros, podem ficar guardados em lugares mais distantes, como as prateleiras mais elevadas ou até mesmo embaixo de cama. Essa é uma forma de liberar ainda mais espaço para guardar os brinquedos que as crianças realmente usam e têm vontade de brincar.

10. Incentive a doação

Há pelo menos três datas comemorativas em que uma criança costuma ganhar um novo brinquedo: dia do aniversário, Dia das Crianças e Natal. Ao escolher o que dar de presente, muitos pais se perguntam se o filho não vai deixar aquele brinquedo de lado dias depois de tê-lo ganho. Além da preocupação com o desperdício, há a questão do espaço em casa. “Entre um presente e outro, quando percebemos, a quantidade de brinquedos pouco usados é muito grande”, explica Cris. E quando isso acontece pode ser um sinal de que está na hora de pensar em doar algo.

Como ajudar a criança a escolher o que doar

  1. Disponha todos os brinquedos no chão.
  2. Peça à criança que separe os seus favoritos e os que ela menos gosta.
  3. Para ajudá-la a decidir o que fica e o que vai embora, use critérios como a que faixa etária o brinquedo é destinado – chocalhos e outros objetos de bebês, por exemplo, podem perder a atração à medida que a criança cresce. Há quanto tempo ela não brinca com determinado brinquedo também é um bom indicador de que aquele objeto já não causa tanto interesse à criança.
  4. Conduza esse processo de forma natural e, não, impositiva. Lembre-se que cada criança lida de forma diferente com esse processo de se desfazer de seus pertences.
  5. Explique que essa ação de desapego pode proporcionar alegria a outras crianças que adorariam ter um brinquedo como aquele e certamente ao ganhá-lo irão aproveitá-lo bastante. 

Leia também: Um guia para brincadeiras em família

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter. É grátis! 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui