‘Brincar é crucial para o desenvolvimento infantil’

Leia em 2 minutos

Por Sidinei Rolim

Brincar é crucial para o desenvolvimento infantil. Muitos pais têm a tendência de subestimar a importância do brincar para as crianças porque acreditam que os pequenos estão perdendo tempo e, por conta disso, incentivam muito mais o desenvolvimento de outras atividades educativas. Porém, por meio de brincadeiras e jogos, sejam estruturados ou não, a criança pode aprender a lidar com o mundo. Brincar é uma atividade comum na infância, ou deveria ser, e faz parte dos mais diversos contextos, como o escolar, o familiar e na interação com seus pares.

A brincadeira é ainda uma excelente forma de comunicação. Por meio dela a criança pode esboçar sua espontaneidade e o prazer que sente com esse ato. Além disso, a atividade alcança objetivos educacionais distintos como socialização, transmissão de valores e desenvolvimento de autonomia.

O brincar pode ter diversas formas de expressão, como brinquedos, desenho, conversas, jogos, entre outros, e oferece a oportunidade para o desenvolvimento da imaginação da criança. Na fantasia, os pequenos atribuem funções e características a objetos e personagens para além daquelas que poderiam ser observadas na realidade. Um palito de madeira se torna um super-herói, um boneco de massinha pode falar e andar e um desenho de um animal, evocar uma longa história sobre esse personagem. Tudo isso respaldado na história de vida, vivências e percepções de mundo da criança.

Por meio das brincadeiras,
a criança trabalha as suas potencialidades

Como se não bastasse, o brincar pode se tornar um aliado de pais, mães e cuidadores na educação das crianças também. Por meio de um jogo, pode ser ensinado comportamentos cooperativos dentro da família e o seguimento de regras dentro de casa, por exemplo. Em vez de palavras rudes para levar a criança para tomar banho, a garotada pode ser convidada a participar de uma brincadeira de trenzinho, em que uma das estações passa pelo banheiro. A hora da refeição pode se tornar uma ótima oportunidade para a fantasia e elaboração de histórias sobre os alimentos, ajudando a criança na alimentação e permitindo um espaço para o diálogo dentro de casa. Com certeza, pais e cuidadores que brincam com os pequenos têm melhor comunicação dentro de casa.

O brincar é um processo permanente de descoberta. Por meio das brincadeiras, sabe-se que a criança trabalha as suas potencialidades, limitações, habilidades sociais, afetivas, cognitivas e físicas. A criança que brinca será mais esperta, interessada e terá maior facilidade de aprender novas coisas. O brincar é uma necessidade que toda criança tem e o que ficará na memória deles sobre a infância será o prazer proporcionado por esses momentos. Além disso, esses momentos memoráveis podem ser atrelados aos pais e cuidadores que participam do brincar. E aí, do que vamos brincar hoje?

Sidinei Rolim é psicólogo, psicoterapeuta adulto e infantil e professor do curso de psicologia da Anhanguera de Jundiaí.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui