Unicef alerta para as 10 milhões de crianças no Afeganistão que precisam de ajuda para sobreviver

4,2 milhões de crianças estão fora da escola, sendo metade meninas, e cerca de 435 mil mulheres e crianças vivem como deslocadas internas

54
Unicef diz que 10 milhões de crianças do Afeganistão precisam de ajuda; Menino caminha entre tendas montadas pelo Unicef em Cabul, no Afeganistão
No pátio do colégio Peer Mohammad Kakar, em Cabul, no Afeganistão, quatro tendas foram montadas pelo Unicef, para fornecer às crianças apoio psicossocial e atividades recreativas em meio à turbulência pela qual estão passando | Foto: Unicef

Leia em 2 minutos

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) fez um alerta nesta segunda-feira (23) sobre as 10 milhões de crianças no Afeganistão, que precisam receber assistência humanitária para sobreviver.

Em comunicado, a diretora-geral da entidade, Henrietta Fore, afirma que um milhão de menores poderão sofrer de desnutrição severa este ano, correndo risco de morrerem se não receberem tratamento. 

Meninas fora da escola 

Henrietta também chama a atenção para outros números do conflito no Afeganistão: 4,2 milhões de crianças estão fora da escola, sendo metade meninas, e cerca de 435 mil mulheres e crianças estão vivendo como deslocadas internas.

“Esta é a realidade sombria das crianças afegãs e continuará assim, independentemente da situação política e das mudanças de governo”, afirma a diretora-geral. O Unicef prevê que nos próximos meses, as necessidades das mulheres e dos menores de idade irão aumentar ainda mais devido à seca, à falta de água potável e das consequências da Covid-19. 

O fundo ressalta que milhões de pessoas continuarão precisando de serviços essenciais, incluindo saúde, campanhas de vacinação vitais contra a poliomielite e o sarampo, nutrição, proteção, abrigo, água e saneamento. Diz também que nos últimos anos, avanços significativos foram feitos para aumentar o acesso das meninas à educação – “é vital que esses progressos sejam preservados e os esforços de advocacy continuem para que todas as meninas no Afeganistão recebam uma educação de qualidade”, declara Henrietta.

Apelo ao movimento Talebã

O comunicado destaca que o Unicef atua no Afeganistão há 65 anos, trabalhando em prol das crianças e tentando entregar vacinas, garantir abrigo, água potável e serviços de saneamento e de nutrição. E faz um apelo ao Talebã, para garantir que Unicef e parceiros humanitários tenham acesso livre e seguro para poderem entregar assistência a todas as crianças do país. 

No domingo, a agência e a Organização Mundial da Saúde, OMS, fizeram um apelo conjunto por acesso imediato para a entrada de medicamentos e de outros suprimentos vitais a milhões de afegãos. Nos últimos dois meses, mais 300 mil pessoas ficaram desalojadas. 

“Nosso compromisso com as crianças do Afeganistão é inequívoco e nosso objetivo é garantir que os direitos de cada uma delas sejam realizados e protegidos”, finaliza Henrietta.


Leia também: Unicef lança guia de cuidados para a volta às aulas presenciais


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui