Terapia assistida por animais auxilia crianças em hospitais

0
Terapia assistida por animais
Conheça os benefícios da terapia assistida por animais para crianças hospitalizadas. Foto: Divulgação/Patas Therapeutas

Diversos estudos comprovam os benefícios que o contato de animais com o ser humano podem trazer. Tanto que os pets são usados para apoio terapêutico de crianças internadas, trazendo alegria à rotina puxada do hospital. O trabalho é conhecido como terapia assistida por animais ou zooterapia e é focado principalmente no auxílio para o tratamento de doenças motoras e transtornos emocionais.

Claro que as crianças que têm medo não devem ser expostas aos bichinhos. Mas, em geral, não é o que acontece. O contato com o animal acalma os pequenos, que gostam de tocar nos pets e ficar perto deles. “Isso pode reduzir a ansiedade e ainda facilitar a comunicação da criança com os profissionais de saúde, para realização de procedimentos diários”, exemplifica Lucília Santana Faria, coordenadora médica da UTI Pediátrica do Hospital Sírio Libanês de São Paulo. A cada quinze dias, as crianças internadas na instituição recebem visitas de animais da ONG Patas Terapheutas.

Leia também: 4 dicas do que observar antes de adquirir um animal de estimação

A médica aponta que os pets, ao regular a ansiedade, podem ajudar na redução de frequência cardíaca e respiratória: “Existem estudos que falam em diminuição do tempo de internação. A gente sabe que o humor está muito relacionado à capacidade de recuperação e o animal ajuda nisso”. Há, inclusive, relatos de hospitais que dizem precisar utilizar menos analgésicos nos dias em que os animais terapeutas visitam as crianças.

terapia assistida por animais
As crianças recebem os animais enquanto estão internadas nos hospitais. Foto: Divulgação/Patas Therapeutas

Cuidados de higiene e adestramento

Crianças que estão com infecção bacteriana ou que estejam em isolamento não podem entrar em contato com os animais. Pacientes que tenham um número baixo de neutrófilos (tipo de célula do sistema imunológico) também devem evitar a proximidade com os bichinhos.

Em hospitais como o Sírio Libanês são colocados lençóis extras nas camas antes da visita dos animais terapeutas. Os profissionais de saúde também cobrem locais com feridas ou acessos de medicação para proteger os pacientes e evitar lambidas dos bichinhos, por exemplo. Depois da visita, é realizada uma limpeza no ambiente.

84 pets atuam em locais como hospitais e empresas

A ONG Patas Terapheutas promove o trabalho de terapia assistida por animais em hospitais, casas de repouso e empresas e conta com uma equipe de 110 pessoas e 84 pets, dos quais 79 cães, 2 gatos, 2 porquinhos-da-índia e 1 furão.

Silvana Prado, psicóloga e fundadora da ONG, diz que todos os animais voluntários são castrados e vacinados, tomam banho regularmente (a periodicidade varia de acordo com a raça), fazem tratamento anti-pulgas e apresentam exames de fezes a cada quatro meses – e contam com acompanhamento veterinário.

Os animais selecionados precisam ser dóceis e de fácil relacionamento com outras pessoas fora o dono. Os cães passam por um treinamento específico para se tornarem animais terapêuticos. Já os gatos não precisam do adestramento, mas devem se mostrar afáveis. A Patas Therapeutas organiza periodicamente turmas de certificação dos pets, que podem ser acompanhadas na página da ONG.

Desde 2003, Silvana e seu cachorro fazem parte de grupos de terapia assistida por animais. Ao longo do tempo, a psicóloga participou de cursos e se aprofundou na zooterapia. “Quando eu começo a fazer alguma coisa, eu vou a fundo”, conta.

Em 2012, ela decidiu fundar a ONG com o propósito de realizar trabalhos focados em visitas hospitalares. “É uma responsabilidade muito grande, porque você está lidando com pessoas, e a maioria delas com o sistema imunológico fragilizado, então tudo precisa estar em ordem para que esses animais trabalhem nas instituições”, ela diz. 

O Hospital Sírio Libanês recebe visitas quinzenais e é possível agendar com a ONG terapias periódicas ou pontuais por meio do site da Patas Therapeutas. Os donos e outros voluntários verificam a disponibilidade dos animais e comparecem na data marcada. 


DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui