Criança com mau hálito: entenda as causas e como reduzir o cheiro forte na boca

149
Criança com mau hálito: causas e formas de reduzir o cheiro forte na boca; menina de blusa rosa tem mão sobre boca aberta
Cáries e a alimentação estão entre os principais fatores causadores do mau hálito infantil

Leia em 4 minutos

Apresentar mau hálito na boca ao acordar é comum em crianças e adultos. Porém, quando o cheiro forte se mantém ao longo do dia, pode ser que indique um problema de saúde. “É importante não confundir a halitose infantil com um mau hálito que, por vezes, existe quando a criança acorda de manhã. Frequentemente, os pacientes, especialmente as crianças, não identificam o próprio mau hálito, podendo passar por um problema inofensivo, mas que, muitas vezes, compromete a alimentação, a mastigação e outras funções, além das relações sociais”, ressalta a odontopediatra Silvana Frascino, membro da Câmara Técnica de Odontopediatria do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP). Ela relata que a halitose se refere ao mau cheiro proveniente da cavidade oral, que pode ser provocado por motivos diversos. “Esse mau cheiro não costuma se tratar de um problema isolado, mas um alerta de que algo de origem bucal ou sistêmica está acontecendo e que, por muitas vezes, não pode ser atribuído à má higiene bucal, pois existem outros fatores que podem causá-lo”, esclarece Silvana. A seguir, a odontopediatra explica as principais causas que podem fazer surgir esse problema, a influência dos alimentos no odor e cuidados a tomar para reduzir o mau hálito. Confira.


Leia também: Os desafios de escovar bem os dentes das crianças


O mau hálito infantil pode ter origem em problemas respiratórios?

Problemas respiratórios, como sinusite, onde há o acúmulo de fluídos nas vias bucais e nasais, são convidativos para a abundância de bactérias e requerem diagnóstico correto para a indicação ou não de causa da halitose. “Outra situação é a amigdalite, por exemplo, quando há inflamação da amígdala. Pode acontecer também a aderência de restos alimentares à estrutura do órgão, levando assim ao acúmulo de bactérias e ao mau cheiro na boca. Todas essas situações requerem um diagnóstico diferencial por parte do profissional para os devidos encaminhamentos”, orienta a odontopediatra.

Respirar pela boca provoca mau hálito na criança?

Respirar pela boca, aliado à pouca ingestão de água ao longo do dia, pode levar a um ressecamento geral da cavidade oral e, como consequência, menor produção de saliva. “Isso pode sim gerar, consequentemente, pelas estruturas anatômicas, um “abrigo” oportuno para bactérias que vão causar o mau hálito. Mas esses fatores não costumam agir isoladamente. Ao identificar essas e outras situações propícias ao desenvolvimento da halitose, a criança deve ser encaminhada para avaliação e exames médicos pertinentes ao quadro”, aponta Silvana.

Causas genéticas podem fazer com que pais e filho tenham o mesmo problema?

Poucos são os estudos sobre enzimas e ação das mesmas relacionadas ao mau hálito e à identificação genética para atividades compatíveis ao mau hálito. “Nem sempre é a falta de higienização que leva ao surgimento do mau hálito. Mas, a rotina praticada pelo núcleo familiar deve incluir disciplina de higiene bucal, com frequência de escovação. Além disso, há tipos de alimentos que são subestimados pelos responsáveis e que podem resultar em halitose, como, por exemplo, leite, queijo, doce e refrigerante”, destaca a especialista.

Que outros fatores podem levar a criança a ter um odor forte na boca?

A cárie dentária é sempre citada como principal fator causador da halitose em crianças e vem confirmar que a ação das bactérias, frente aos substratos ali presentes por restos alimentares e à saburra lingual (concentração de bactérias que deixa uma camada branca na língua), é responsável pela liberação de ácidos que resultam em forte odor. Segundo Silvana, a alimentação também pode ser o carro chefe dos quadros de mau hálito na criança, uma vez que dietas exageradas em carboidratos em geral vão resultar em cheiro forte típico da halitose. Mas, o odontopediatra deve avaliar outras possíveis origens do problema, como inflamações gengivais, diabetes, refluxos, problemas gástricos e esofágicos. Algumas preferências exclusivas de seletividade alimentar e estresse também são situações  que envolvem uma análise criteriosa, sendo importantes fatores de avaliação odontológica.

Quais são os alimentos que contribuem para o mau hálito?

Em parte, pode ajudar a reduzir o mau hálito na criança, evitar o excesso de carboidratos, de alimentos gordurosos, de alimentos ricos em enxofre, como os vegetais verde-escuros, cebola e alho, ou de laticínios. “Importante também manter uma ingestão adequada de água e organizar horários para a alimentação. Esses são hábitos que  podem controlar o quadro de halitose. Por isso, além da avaliação e tratamento com o odontopediatra, é importante buscar orientação nutricional de especialistas para conquistar uma alimentação equilibrada”, recomenda Silvana. Especialistas também costumam sugerir o consumo de alimentos fibrosos e crus como a cenoura ou a maçã e frutas cítricas, como laranja, abacaxi e acerola, que ajudam na eliminação de bactérias e autolimpeza na língua, diminuindo assim o mau cheiro na boca.

O creme dental tem influência sobre o mau hálito?

O creme dental é um coadjuvante no processo de higiene oral. Se o problema de mau hálito estiver associado à uma higiene oral deficitária, o odontopediatra deve orientar os responsáveis e o paciente, criando um protocolo de higienização bucal que some a escovação dos dentes ao uso correto do creme dental, com a devida remoção da saburra lingual através da limpeza da língua, além de incluir o uso do fio dental para favorecer a redução da queixa de mau hálito. Para isso, o diagnóstico é muito importante, pois o problema de halitose pode não estar somente relacionado à falta da limpeza da boca. 

Qual a importância de mastigar bem os alimentos?

Mastigar estimula a produção de saliva, que exerce um papel de autolimpeza em todo o ambiente bucal. Isso porque a saliva leva a uma maior oxigenação da boca, combatendo assim as bactérias que se acumuladas em grandes quantidades podem provocar o mau hálito.


Leia também: 6 dúvidas comuns sobre o uso de aparelho em crianças


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui