Alfabetização: como ajudar seu filho com a ‘pega’ do lápis e a letra cursiva

Estudos mostram que metade das crianças até os 3 anos de idade não usam o lápis de maneira correta

81
Alfabetização: como ajudar seu filho com a ‘pega’ do lápis e a letra cursiva; professora de máscara mostra algo em atividade de aluna que está de máscara e gorro no papel
No Colégio Rio Branco, o desenvolvimento motor é priorizado em atividades lúdicas diversificadas, que estimulam o senso de espaço, movimento e percepção das crianças, visando a construção da leitura e da escrita | Foto: divulgação

Leia em 3 minutos

Você já reparou na maneira como seu filho segura o lápis? Para muitos pais, isso pode parecer algo de pouca importância e até passar despercebido, mas o assunto exige atenção. Segurar um lápis corretamente é uma habilidade difícil para muitos alunos. Estudos mostram que metade das crianças até os 3 anos de idade não usam o lápis de maneira correta.

Pegar corretamente no lápis facilita os movimentos da mão no exercício da grafia. Se o lápis não estiver devidamente posicionado, a mão terá que se esforçar para realizar o movimento e, com isso, a letra poderá ficar ilegível e a preensão no papel será muito forte. “A pega correta do lápis e escrita à mão implicam em aprendizagem de habilidades psicomotoras, além do desenvolvimento da memorização, da compreensão e da psicomotricidade, fundamentais para o desenvolvimento saudável e completo da criança”, explica Sueli Marciale, diretora assistente da unidade Granja Vianna do Colégio Rio Branco.

O desenvolvimento da coordenação motora

“É necessário entender como se dá o desenvolvimento da coordenação motora desde a infância e as condições que podem ser oferecidas em casa para auxiliar o aluno nesse processo”, destaca Sueli. A coordenação motora diz respeito à capacidade de o corpo realizar movimentos articulados e resulta da interação entre os sistemas muscular, esquelético, nervoso e sensorial, possibilitando ações como andar, correr, escrever, pular, pintar e desenhar.

É importante entender que existem dois tipos de coordenação motora, a grossa e a fina. A coordenação motora grossa envolve habilidades como pular, subir e descer escadas. Está relacionada a grupos grandes de músculos e à capacidade de realizar atividades esportivas. Já a coordenação motora fina é a capacidade de controlar o corpo com movimentos pequenos e precisos, feitos com as mãos e os dedos, como desenhar, pintar e manusear objetos pequenos. Esses movimentos requerem alta concentração e boa coordenação dos olho e das mãos.

“Desde a Educação Infantil, estão previstas no currículo do Colégio Rio Branco propostas em que o desenvolvimento motor é priorizado em atividades lúdicas diversificadas, que estimulam o senso de espaço, movimento e percepção das crianças, a fim de favorecerem, posteriormente, a construção da leitura e da escrita entre outras habilidades”, esclarece a diretora assistente.

Letra bastão e letra cursiva

Na fase da alfabetização, a letra bastão é a primeira a ser trabalhada com os alunos porque ela tem traços simples e linhas retas, sendo mais fácil de visualizar. A letra cursiva vem depois porque exige mais habilidade motora, sendo apresentada quando os alunos já conseguem ler e escrever, para que se concentrem mais nas curvas e desenhos das letras sem ter que se preocupar tanto com a construção das palavras.

Dessa forma, vão aprendendo a dominar os movimentos que levam à produção das letras – na forma certa, no tamanho certo e, progressivamente, na sequência certa. “Sendo uma atividade motora, a letra cursiva exige treino e prática. Há sequências mais indicadas do que outras, daí a importância desse trabalho ser realizado na escola, onde serão ensinados movimentos corretos das letras e a ‘pega’ correta de lápis para que a criança seja respeitada em seu ritmo de aprendizagem e se sinta valorizada por suas conquistas”, afirma Sueli.

Os pais, porém, também podem contribuir nesse processo de aprendizado. Veja a seguir sugestões para praticar em casa com seus filhos.

Na rotina diária. Incentive seu filho a realizar ações de forma independente como escovar os dentes, vestir-se, colocar brinquedos no lugar, amarrar os sapatos, abotoar a blusa, dobrar a roupa, ajudar na cozinha, cuidar das plantas, estender a roupa utilizando pegadores.

Na cozinha. Estimule práticas que exercitam o manuseio e desenvolvam destreza, precisão, agilidade e força. Por exemplo, sugira que a criança corte ou descasque os alimentos; abra embalagens, caixas de plásticos e tampas de garrafas. Ao preparar uma receita, permita que seu filho amasse a massa do biscoito ou da pizza e mexa o bolo com uma colher, entre outras possibilidades.

Nas brincadeiras. Proponha que use lápis de cor, marcadores e giz de cera; brinque com massinha de modelar, blocos de montar e quebra-cabeças; recorte figuras com uso da tesoura; e amasse papel.


Leia também: A importância da escrita à mão para o desenvolvimento das crianças


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui