Jogos de imaginação

380

Quando a gente pensa em livro-brinquedo, a primeira coisa que vem à cabeça são aquelas obras cheias de pop-ups, coisas de puxar, dobrar, girar… Mas nem sempre é assim. Alguns livros infantis trazem outros tipos de brincadeiras, mais ligadas ao olhar, à fantasia e ao enigma. É o que acontece com os livros Uniforme, de Tino Freitas e Renato Moriconi, e Bola vermelha, de Vanina Starkoff.

Uniforme traz a história de um sujeito chamado Clóvis, que não gosta muito de ser diferente. Pelo contrário: ele se sente mais à vontade quando fica parecido com os outros. A história é bem simples, mas construída de forma poética e criativa pela dupla de autores. Lembrando aqueles livros do tipo Onde está Wally?, cada página traz o coitado do Clóvis tentando se camuflar no meio da multidão. Mas seu talento para camaleão não é tão forte assim… Resultado: o leitor, seja criança, seja adulto, vai se deliciar com as páginas-enigmas enquanto torce para Clóvis encontrar uma saída para seu dilema. O livro é uma delícia de ler aos filhos ou com os filhos. Ou simplesmente de observar a criança puxando, dobrando e girando… a imaginação. UNIFORME. Texto de Tino Freitas, imagens de Renato Moriconi. Edições de Janeiro, 2015.

SOBRE OS AUTORESTino Freitas nasceu no Ceará e mora em Brasília. Já publicou cerca de vinte livros para crianças e jovens. É também músico e compositor. Renato Moriconi é paulista de Taboão da Serra, um ilustrador muito premiado e autor de livros sem texto como Bárbaro.

O jogo que encontramos em Bola Vermelha é, de certa forma, parecido com o criado por Tino e Renato. Aqui temos também uma história de adivinhações baseadas nas imagens e nas formas. Mas, desta vez, quem se transforma não é o personagem, e sim uma bola vermelha encontrada por ele. O leitor acompanha o personagem a cada passo e descobre (junto ou antes dele) que aquela bola vermelha pode ser muitas coisas. A brincadeira envolve, sutilmente, noções como tamanho e distância, muito adequados ao leitor iniciante. E quando eu digo “leitor”, pode ser uma criança que ainda não aprendeu a ler, pois Vanina bolou um livro quase sem palavras — tem um “opa” aqui, um “oh” ali, mais algumas interjeições. Fora isso, é o que chamamos de livro sem texto. Mas muito contexto. BOLA VERMELHA. De Vanina Starkoff. Editora Pulo do Gato, 2015.

SOBRE A AUTORA: Vanina Starkoff é uma ilustradora argentina com prêmios e exposições em diversos países.

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter. É grátis!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui