Pintura e aquarela: benefícios para o desenvolvimento infantil

A pintura pode contribuir para a coordenação motora, relaxamento, concentração e ampliação da criatividade

1323
Pintura e aquarela: benefícios para o desenvolvimento infantil; criança com pincel na mão pintando no papel
A pintura estimula a comunicação e o uso da imaginação

Pintar e desenhar são atividades muito presentes na infância. Desde cedo, os pequenos se expressam através de traços e cores.  “A criança se relaciona com o mundo brincando, até mesmo com os desenhos feitos com as mãos sujas de sopa. Nesta dança com a vida, elas começam a desenhar com diferentes riscadores, a experimentar e marcar o mundo explorando suas diferentes materialidades”, diz Ana Leticia Penedo, especialista em arte-educação e professora de arte do ensino fundamental na Escola Nossa Senhora das Graças (Gracinha), em São Paulo.

Com um pouco de tinta na mão ou no pincel, as crianças desenvolvem a imaginação, despejando a criatividade no papel. Um estilo de pintura que pode ser muito convidativo para as crianças é a aquarela. “O diferencial da técnica de aquarela é o uso da água em quantidades distintas: pode-se pintar com muita fluidez e também com bastante controle”, explica André Neumann, professor de aquarela e artista autodidata. 

A água permite que a tinta tenha uma transparência, o que pode resultar em efeitos muito interessantes na pintura. “É sempre uma experiência de maravilhamento quando veem a tinta se espalhar, de forma autônoma, pelo papel molhado”, aponta Ana Leticia Penedo. A transparência também pode trazer um aspecto mais lúdico para a obra do que se fosse utilizada a tinta guache, por exemplo, que é mais opaca e densa. “Tudo isso tem uma relação direta com o sonho e a criatividade”, comenta o professor. 

Pintar é uma forma de arte acessível e prática: com um estojinho de aquarela e uma garrafinha de água é possível realizar pinturas em qualquer lugar. O ato de pintar é benéfico à criança, contribuindo com desenvolvimento de uma personalidade inventiva e a coordenação motora.

Aquarela feita por Lorena, 7 anos, aluna de André Neumann/ Foto: arquivo pessoal

Leia também: Mostra no Sesc: para aprender mais sobre artistas indígenas


Ampliação da criatividade

“A pintura estimula a comunicação, a criatividade, o uso da imaginação, a sensibilidade e aumenta a concentração e expressão das crianças”, aponta André Neumann. O artista ressalta ainda que pintar estimula a individualidade e a autoestima. A arte ajuda a criança a expor seus pensamentos de um modo único e divertido, o que às vezes não conseguem fazer apenas com palavras. “Através dos materiais usados, dos temas escolhidos, das cores, dos traços, do ritmo e da composição, as crianças expressam seu mundo interior”, diz Neumann. 

A pintura com aquarela oferece múltiplas possibilidades e pode ser trabalhada de diferentes maneiras, o que sempre incentiva a engenhosidade das crianças. “A pintura pode possibilitar muitas experimentações a partir da mistura das cores e sua fluidez. Às vezes, só passar o pincel sobre uma superfície parece não satisfazer, e frequentemente percebo as crianças explorando outras maneiras de brincar com o material, espirrando, pingando ou até soprando”, conta Ana Leticia Penedo. 

Nessas experiências com pintura, as crianças costumam trazer interpretações diferentes para a sua obra. André Neumann conta que mesmo quando propõe que as alunas pintem uma mesma figura, como uma nuvem, os resultados são diferentes. Outro fator interessante é que a arte contribui para a capacidade de superar obstáculos e encontrar novos caminhos. “As crianças desenvolvem habilidades para resolver problemas, como quando acontecem acidentes na pintura, solucionados, na maioria das vezes, com o improviso”, diz o professor de aquarela.

Aquarela feita por Iolanda, 9 anos, aluna de André Neumann/ Foto: arquivo pessoal

Aprimoramento da coordenação

A forma de segurar os pincéis e aprender a controlar os traços pode trazer benefícios para o desenvolvimento da coordenação motora. O manuseio desses instrumentos contribui para o domínio sobre grandes e pequenos grupos musculares, assim como para a motricidade fina, que  refere-se à capacidade de utilizar os dedos e as mãos de forma precisa, explica André Neumann. Com a prática do desenho das figuras, também é possível trabalhar a coordenação olho-mão, aponta o professor. “Inclusive, a pintura de aquarela ajuda os alfabetizandos no desenvolvimento da escrita”, acrescenta. 


Leia também: MAM no Minecraft: uma mistura de arte e videogame para as crianças


Aquarela feita por Laís, 9 anos, aluna de André Neumann/ Foto: arquivo pessoal

Relaxamento e concentração

“Uma das características desenvolvidas no processo da aquarela é a concentração, que pode ajudar a acalmar as crianças devido à entrega ao ato da pintura”, diz André Neumann. Nas pinturas livres, o professor de aquarela aponta que as crianças podem se sentir bastante relaxadas, o que é extremamente crucial especialmente no período pandêmico. “Os pais comentaram que as aulas proporcionaram momentos de leveza e alegria para as filhas durante a pandemia”, relata o artista.

Vale lembrar que a pintura é muito utilizada na arteterapia, que tem ótimos resultados com crianças. Essa forma de terapia utiliza as artes plásticas como meio para recuperar ou melhorar a saúde mental, o bem-estar emocional e social da pessoa. A arte é utilizada para canalizar, expressar e comunicar os sentimentos, facilitando a reflexão e a comunicação e contribuindo para as mudanças necessárias no comportamento.

Apesar desse recurso ser muito útil para a concentração e relaxamento, Ana Leticia Penedo destaca que nem todas as crianças respondem da mesma forma em relação à pintura e à aquarela. Outras formas de arte podem funcionar melhor e trazer resultados mais eficazes. “A leveza das pinceladas, os gestos suaves, tudo isso pode trazer uma tranquilidade, mas nem sempre. Já convivi com crianças que não se sentiam bem com um material tão fugidio e, nos momentos de escolha, preferiam usar o lápis e a caneta”, indica a arte-educadora.

Aquarela de Brunna, 9 anos, aluna de André Neumann/ Foto: arquivo pessoal

Como incentivar o contato com a pintura

Existem diversas maneiras de introduzir as crianças à pintura e pintura de aquarela. Os especialistas separaram algumas dicas acessíveis e interessantes para os pequenos começarem a conhecer e se aventurar pelo mundo das artes plásticas. Confira!


Leia também: Veja os bonecos amarelos e outras obras de “OsGêmeos” em tour virtual


Oferecer materiais

No caso da aquarela, André Neumann diz que o material não tem um valor muito alto, principalmente as aquarelas escolares, que podem ser um bom caminho para os iniciantes. Mas é interessante oferecer qualquer outro material artístico para começar, como lápis grafite, lápis de cor, canetinhas, giz de cera e outros tipos de tinta. “Assim, a criança poderá em seu tempo praticar atividades com esses materiais, trazendo benefícios para o seu desenvolvimento e muita diversão”, afirma.

Assistir a videoaulas e praticar junto

A pintura também pode proporcionar momentos de interação entre as crianças e os pais. “É legal sentar com a criança, mesmo não conhecendo a técnica, tentar descobrir junto”, conta André Neumann. Outra dica é procurar por vídeos na internet que ensinam alguns conhecimentos básicos para começar a aprender a pintar.

Observar a arte no dia a dia

“Minha dica é que as crianças possam explorar o mundo e suas materialidades, possam brincar e experimentar tudo com o corpo todo”, recomenda Ana Leticia Penedo. Para a educadora, a arte está além daquilo que é tangível, diversos momentos do dia a dia podem ser inspiradores para despertar o espírito artístico da criança. “Fazer bolinhos de lama, pisar nas poças d’água, sentir o calor do fogo e o vento atravessando seu corpo no balanço. Ver a pintura como experiência de vida”, acrescenta.

Visitar exposições de arte

André Neumann diz que outra boa dica é levar as crianças aos museus, assim que a população estiver vacinada e a pandemia estiver mais controlada, sempre seguindo as medidas de segurança necessárias. Enquanto ainda não é completamente seguro, o professor recomenda procurar por exposições virtuais. “Entrar num museu virtual, ver as obras e mostrar variedade de artistas para explicar que existem estilos artísticos diferentes”, afirma. Além disso, para ele é interessante levar as crianças em outras programações relacionadas a arte, como espetáculos de dança e teatro e incentivá-las a ouvir estilos de música variados.

Aquarela de Maria Flor, 9 anos, aluna de André Neumann/ Foto: arquivo pessoal

Leia também: Propostas para aproximar as crianças do mundo da dança


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

1 COMENTÁRIO

  1. Olá Amanda!
    Adorei sua reportagem sobre aquarela, você poderia compartilhar o referencial bibliográfico que utilizou? Estou fazendo um trabalho para faculdade e este é o meu Tema.
    Muito Obrigada!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui