E o Oscar vai para… Mamãe!

0
Marshall Curry - mães Oscar
O vencedor do Oscar de melhor curta-metragem, Marshall Curry. Foto: Theresa Shirriff/AdMedia/Sipa USA

De alguma forma, as mães estão sempre presentes nas conquistas dos filhos, e não podia ser diferente na cerimônia de entrega do Oscar, realizada no domingo (9). Entre os 24 vencedores, seis deles dedicaram ou citaram diretamente suas mães nos discursos de agradecimento pelo prêmio em uma das maiores festas da indústria de cinema internacional.

Um dos momentos em que a participação das mães ficou marcada na cerimônia foi o discurso de Marshall Curry, diretor do curta Neighbors Window (“A janela do vizinho”). Ele levou a estatueta de melhor curta-metragem.

Veja também: Candidatos ao Oscar 2020 – 7 filmes para assistir com as crianças

“Eu gostaria de dedicar isso [o Oscar] à minha mãe, que cresceu em uma fazenda na Carolina do Sul, por ser a melhor contadora de histórias que eu conheço. Ao observá-la, aprendi que uma história bem contada é uma coisa poderosa, e pode mudar a maneira que você vê o mundo e pode nos ajudar a notar outras pessoas e se importar com essas outras pessoas. E, talvez, nos amarmos um pouco mais. Isso é para ela e para todos os contadores de histórias”, declarou Curry.

Outras homenagens a mães no Oscar

Outro momento dedicado especialmente a uma mãe, e dessa vez junto com o pai, foi o agradecimento de Laura Dern. Ela venceu na categoria de melhor atriz coadjuvante pelo filme História de um Casamento. “Há quem diga: ‘nunca conheça os seus heróis’, mas eu digo que se forem realmente abençoados, os seus heróis serão os seus pais. Eu compartilho isso com meus heróis da atuação, minhas lendas Diane Ladd e Bruce Dern”, declarou Laura. Os pais dela já foram indicados ao Oscar em anos anteriores, mas nunca ganharam a estatueta.

Já Taika Waititi, que levou o Oscar por melhor roteiro adaptado de Jojo Rabbit, agradeceu à mãe por ter-lhe dado o livro que ele adaptou para escrever o roteiro do filme. Os vencedores Donald Sylvester (melhor edição de som no longa 1917), e a dupla Mark Taylor e Stuart Wilson (melhor mixagem de som em 1917), também agradeceram às mamães em seus discursos.

‘Precisamos ouvir suas vozes’

A compositora islandesa Hildur Guðnadóttir encerrou a sessão de homenagens às mães. Ela foi a primeira mulher a receber o Oscar de melhor trilha sonora (por Coringa), e encorajou mães e outras mulheres a atuarem no mundo da música.

“Para as meninas, as mulheres, as mães, as filhas que borbulham por dentro ao ouvir música, por favor, falem. Precisamos ouvir suas vozes”, disse Hildur, que recebeu fortes aplausos da plateia.

Todos esses agradecimentos reforçam a importância das mães na educação dos filhos. Por meio de atitudes simples, como contar histórias ou dar um livro de presente, elas podem influenciar de maneira inimaginável o futuro dos filhos. E ainda que eles tenham sido os premiados, as mães, todas elas, também merecem ganhar um Oscar, não é verdade?

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui