Sinais de alerta: saiba como identificar se seu filho não está lidando bem com a quarentena

1746
sinais de alerta
Pais devem ficar atentos a comportamentos do filho que podem indicar que ele não está lidando bem com a quarentena

Leia em 3 minutos

A pandemia do coronavírus mudou a vida dos adultos no mundo inteiro. Todos estão se adaptando a um novo jeito de viver por um tempo (que não se sabe quão longo será). E a vida das crianças também mudou. Alguns vão se adaptar fácil, mas outross vão precisar de ajuda para lidar com tudo isso. Você sabe quais são os sinais de alerta em relação à saúde emocional dos seus filhos nesse período de quarentena?

Uma das idealizadoras do workshop “Treinamento de Pais”, a psicóloga mineira Patrícia Noleto lembra que crianças expressam suas emoções através de comportamentos. É preciso que os pais fiquem atentos a reações que têm por trás a dificuldade da criança lidar com as mudanças que estão acontecendo em volta dela e precisa de ajuda.

Leia também – Pediatras dão dicas a pais que ainda não conseguiram organizar rotina

Confira os 5 comportamentos que podem indicar que a criança não está bem:

  1. Apatia: quando a criança fica desanimada, sem energia, perde a espontaneidade, o riso fácil. É diferente de ficar entediada em algum momento. É algo que dura mais tempo e se repete em vários dias.
  2. Agressividade:  a criança fica explosiva, se irrita com facilidade, tem reações de raiva desproporcionais ao fato. É natural sentir raiva nesse momento, mas ser agressivo com o outro em diversas situações do dia pode ser um sinal de que algo não vai bem.
  3. Insegurança: quando criança começa a ter medos que não tinha antes, solicitando sempre a presença dos pais. Por exemplo, não quer ficar em um cômodo da casa se não tiver alguém por perto, não vai mais ao banheiro sozinho.
  4. Hiper vigilância: é quando a criança fica constantemente em estado de alerta. Começa a vigiar os adultos, se estão lavando as mãos, se higienizaram os produtos que chegaram da rua. Podem também ficar buscando informações sobre o Covid 19 na internet, em programas de televisão ou em redes sociais.
  5. Indiferença: quando a criança não expressa nenhuma emoção em relação ao que está vivendo. Não diz que está com saudade dos amigos, não relata tristeza por não ver os avós, não demonstra raiva ou medo por não poder fazer coisas que fazia antes. Nessas situações a criança está desconectada das próprias emoções, como se tivesse anestesiada, sem sentir nada.

Leia também – Sugestões de lanches saudáveis para fazer com as crianças na quarentena

E como agir se você identificar um desses sinais no seu filho?

1. Comece sempre pelas emoções. Identifique qual delas tem aparecido mais. Na apatia e na indiferença a emoção desregulada é a tristeza. Na agressividade, a raiva. Na Insegurança e na hipervigilância é o medo.

2. Valide a emoção da criança. É normal se sentir assim nesse momento. Explique que sentir muito uma dessas emoções pode virar uma dificuldade e que conversar sobre o que ela sente pode ajudá-la a se sentir melhor. Uma forma de conversar com a criança é desenhar como a vida dela era antes e como está agora.

3. Explique que existem comportamentos que ajudam a se sentir melhor. Brincar, ouvir música, dançar, fazer um bolo juntos, ler histórias e desenhar, por exemplo. E existem comportamentos que atrapalham: ficar muito tempo na TV ou jogando um jogo eletrônico, passar o dia deitado sem usar a criatividade, dormir e acordar tarde. Peça que durante o dia ele escolha fazer um dos comportamentos e dizer como se sente depois.

4. Se perceber que os sinais continuam, procure ajuda de um psicólogo infantil.

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter. 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui