Psoríase em crianças: entenda a doença e suas formas de tratamento

Estima-se que um terço das pessoas que têm psoríase começam a apresentar manifestações ainda criança

3015
Psoríase em crianças: entenda a doença e as formas de tratamento; imagem mostra menina sentada no chão coçando cotovelo
Embora seja uma doença crônica, a psoríase não é contagiosa e pode ser tratada
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

Entre os mais de 3 milhões de brasileiros convivendo com a psoríase, estima-se que um terço começa a apresentar manifestações da enfermidade antes da idade adulta. Segundo Ricardo Romiti, médico dermatologista associado à Sociedade Brasileira de Dermatologia, entre 25% e 45% dos casos de psoríase podem iniciar seu curso antes dos 16 anos de idade e, destes, cerca de 2% dos casos ocorrem antes dos 2 anos de vida. No passado, estudos observaram maior prevalência de psoríase em crianças do sexo feminino. Hoje, porém, as pesquisas indicam que ambos os gêneros são afetados igualmente, como ocorre nos adultos.

A psoríase é uma doença crônica não transmissível que se manifesta em forma de lesões na pele, avermelhadas e descamativas. Nas crianças, ela pode se manifestar no rosto, nas dobras de cotovelo e joelho, na região inguinal e nas axilas, o que é raro acontecer em adultos. Por ser uma lesão visível na pele, os pais devem ficar atentos para que não cause prejuízos psicológicos que levem ao comprometimento da qualidade de vida.

Muitas vezes, é comum surgirem nas crianças lesões disseminadas, em forma de gota, que aparecem um dia no tronco, no outro, nas pernas, tomando depois todo o abdômen. “É frequente esse quadro estar relacionado com alguma infecção de via aérea superior (otite ou faringite, por exemplo) normalmente de origem bacteriana”, afirma o dermatologista Luis Torezan, em entrevista ao site do médico Drauzio Varella.

Leia também: Dermatite atópica é uma manifestação alérgica que atinge 25% das crianças

Causas da psoríase em crianças

A psoríase é uma doença que tem um caráter genético, porém ele não é determinante, e pode ter outros fatores que desencadeiam seu aparecimento tardio ou precoce e levam a uma piora mais intensa ou mais suave. Sabe-se que o estado emocional e de defesa da criança pode influenciar o aparecimento das lesões. Estresse na escola e com os irmãos, cobranças exageradas nos esportes e mesmo excesso de frio são alguns dos aspectos que podem favorecer o surgimento da doença.

Tratamento

É importante que a criança entenda que se trata de uma doença que infelizmente não tem cura, mas tem controle. Para tanto, a pele tem de estar sempre bem hidratada e ser monitorada por um único dermatologista, orienta página sobre o assunto no site do Drauzio Varella. Para casos leves é indicado usar cremes hidratantes ou fazer banhos de aveia que ajudam no combate à coceira e irritação. Esse método é recomendado para bebês inclusive. A exposição à luz solar também é fundamental para aliviar a psoríase em crianças, desde que com moderação, visto que o excesso de sol pode agravar a doença. Ainda, a fototerapia é indicada em alguns casos, e consiste em um tratamento no qual a criança recebe luz artificial junto com antibióticos que matam as bactérias mais rápido.

Os médicos ressaltam a importância dos pais seguirem à risca os tratamentos recomendados e darem apoio aos filhos para que aprendam a conviver com a doença que o controle da doença traz a melhora da qualidade de vida da criança.

LEIA TAMBÉM: Veja como evitar e tratar a dermatite da área das fraldas

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui