Como criar filhos corajosos e prudentes?

É preciso estimular a coragem de maneira diferente, a depender da personalidade de cada criança, explica Camila Cury

671
Como incentivar nossos filhos para que sejam corajosos e prudentes?; garoto de máscara azul nos olhos e capa vermelha está com o braço levantado
Ao falar de coragem com os filhos, é preciso ensiná-los que essa habilidade socioemocional é bem diferente de ser imprudente

Leia em 2 minutos

Você sabia que tão importante quanto estimular nossos filhos a serem corajosos é ensiná-los a serem prudentes?

Geralmente, incentivamos nossos filhos a serem destemidos, a lutar para alcançar seus sonhos, a serem perseverantes e acreditarem no seu potencial. Mas, como cada filho tem sua personalidade única, é preciso estimular a coragem de maneira diferente, dependendo da criança ou do adolescente.

Com aqueles mais impetuosos, ou seja, que agem com rapidez, sem pensar muito, é necessário trabalhar a contenção dessa energia, para que eles possam desbravar o mundo com responsabilidade. Já com os mais cautelosos e que pensam muito antes de tomar uma atitude, é necessário estimulá-los a tentar e, se não conseguir, tentar novamente. Isso porque, muitas vezes, o medo de fracassar faz com que eles não sejam muito corajosos e não se coloquem em situações nas quais possam superar suas dificuldades.

Entretanto, ao falar de coragem com os filhos, é preciso ensiná-los que esta habilidade socioemocional é bem diferente de ser imprudente.

O corajoso é aquele que luta contra seus medos com responsabilidade, sempre avaliando as possíveis consequências de suas atitudes. Já o imprudente não pensa nas consequências, faz por fazer, por impulso ou para provar algo a alguém. Ele costuma se colocar em situação de perigo. E esse comportamento, muitas vezes, no âmbito social – ainda mais com adolescentes – é visto como coragem. Portanto, é fundamental ensinar a diferença entre coragem e imprudência desde cedo para nossos filhos.

Precisamos formar filhos pensantes e, para isso, é necessário criar momentos de diálogos profundos com eles. Assim, quando não estivermos ao lado deles, eles terão autonomia suficiente para serem autores da própria história, fazerem escolhas inteligentes e saudáveis, serem corajosos e, ao mesmo tempo, prudentes.

LEIA TAMBÉM: Você sabe a diferença entre elogiar e encorajar o seu filho? Veja o que diz a Disciplina Positiva

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

Camila Cury é psicóloga e autora do livro “A beleza está nos olhos de quem vê” (Ed. Sextante). É presidente e fundadora da Escola da Inteligência, maior programa de educação socioemocional do Brasil, aplicado em mais de 1,2 mil escolas. Tem dois filhos, Augusto, de 4 anos, e Alice, de 3.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui