Brincadeiras que estimulam as crianças a desenvolverem suas habilidades

O brincar não é somente um passatempo: enquanto os pequenos se divertem, eles estão aprendendo e desenvolvendo diversas habilidades

1213
Brincadeiras que ajudam as crianças a desenvolverem suas capacidades; tres crianças estão fantasiadas de super-herois
Brincar com fantasias serve de estímulo às crianças para explorar a imaginação e a criatividade
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais
Buscador de educadores parentais

As brincadeiras são fundamentais para que as crianças aprendam habilidades como a fala, a socioafetividade, a cognição e a coordenação motora. Porém, o isolamento social fez com que os pequenos passassem mais tempo em casa, em contato maior com a família, mas com restrições de convivência com outras crianças, limitando as possibilidades de diversão. O brincar não é somente um passatempo, como muitos especialistas atestam: “enquanto elas se divertem, estão aprendendo e desenvolvendo diversas habilidades”, enfatiza Sofia Martinez, psicóloga especializada em educação na primeira infância. 

O “faz de conta”, por exemplo, ajuda a exercitar a criatividade e a imaginação, que, por sua vez, estimula a capacidade de os pequenos resolverem problemas. Em um jogo de competição, crianças aprendem a lidar com as suas frustrações com o “ganhar e perder”, além de entenderem o espírito esportivo e o poder da colaboração. 

Nessas brincadeiras, bebês e crianças também conseguem elaborar vínculos afetivos e sociais, o que ajuda no desenvolvimento socioafetivo. Ao brincar com o seu filho, você perceberá que ele gosta de fazer as mesmas atividades várias vezes. O que para os adultos pode ser repetitivo, para as crianças, é uma maneira de reforçar as conexões neurais. Isso porque se as sinapses não foram usadas, elas são desativadas. “Ou seja, quanto mais os pequenos utilizam as conexões neurais, mais elas se firmam, e a maneira de fazer isso é repetindo os estímulos”, afirma Martinez. Sendo assim, se o seu filho chamar você para fazer a mesma brincadeira pela décima vez, não estranhe e incentive-o.

Segundo ela, não é à toa que existem tantas brincadeiras na educação infantil e que o foco das escolas e creches esteja voltado para o brincar, “que carrega importante função pedagógica também”, completa a especialista que é líder de conteúdo do Kinedu, uma plataforma que oferece atividades para acompanhar e estimular o desenvolvimento dos bebês e crianças de 0 a 6 anos em casa e na escola. Confira a seguir algumas dicas da psicóloga de como usar as brincadeiras para ajudar as crianças a desenvolverem suas capacidades e para a família ter momentos de qualidade e lazer.

Entenda como o seu bebê gosta de brincar

Quando a criança já fala, é mais fácil saber do que ela gosta de brincar. Mas, e quando são bebês, o que fazer? Até o primeiro ano de vida, os pequenos gostam de brincadeiras que têm interação com outras pessoas. A atividade “Cadê o bebê? Achou!” é uma das preferidas dos bebês. É normal que não se interessem tanto por brinquedos nessa idade. Entretanto, se você quiser usar os brinquedos, aposte nos que são mais chamativos, como os chocalhos e outros que emitem sons

Veja brincadeiras indicadas para crianças maiores

Já as crianças maiores, com mais de um ano, adoram blocos de encaixar, instrumentos musicais, entre outros que piscam, brilham e reproduzem sons. Isso é ótimo para desenvolver novas habilidades. Uma brincadeira bem interessante para crianças de mais de dois anos é o faz de conta. Você pode oferecer um telefone de brinquedo, comidinha de mentira ou até fantasias – deixe que seu filho solte a imaginação!

Ofereça vários objetos

Crie um ambiente em que a criança possa ter acesso a vários brinquedos e objetos e liberdade para brincar à vontade. Um lugar em que possa rabiscar, desenhar e pintar, por exemplo, é ótimo para que seu filho desenvolva habilidades cognitivas e de coordenação motora fina.

A variedade de itens é interessante para que a criança explore e descubra sons, cores e texturas diferentes, trabalhando seus sentidos. Não estamos falando de coisas caras. Um simples pote bem fechado com grãos de feijão dentro se torna um item interessante e estimulante. Lembre-se de deixar esses objetos à mão do seu pequeno para estimular a independência dele.

Estimule a fala por meio da brincadeira

A fala é mais uma habilidade que pode ser desenvolvida por meio das brincadeiras na educação infantil. O “falar com brinquedos” é uma ótima atividade para isso. Nela, você incentiva a criança a falar sobre um determinado objeto. Seu filho tem um bicho de pelúcia preferido? Então você pode usá-lo.

Pergunte ao pequeno como o objeto se chama. Depois, convide-o para incluir o brinquedo em suas atividades, como tomar um lanche. Peça para o seu filho responder perguntas simples na terceira pessoa. Por exemplo: o bichinho está com fome? O que ele quer comer? Tudo isso ajuda na linguagem e na imaginação.

Faça a brincadeira da sombra

Uma das maneiras que as crianças têm de aprender é por meio da imitação. Sendo assim, você pode fazer a brincadeira da sombra, incentivando o seu filho a imitar o que você estiver fazendo. Para trabalhar a capacidade linguística, é interessante que você descreva e nomeie as ações. Viu como, além de divertida, essa atividade ajuda em diversas áreas do desenvolvimento infantil?

Entenda a hora de dar uma pausa

Chega uma hora que os bebês se cansam das brincadeiras, principalmente quando são superestimulados. Você pode perceber isso quando, durante a atividade, seu filho fechar os olhos, chorar e virar a cabeça ou ficar muito agitado. Nesse momento, é preciso dar uma pausa de alguns minutos até que o pequeno se acalme. Depois, podem retomar o que estavam fazendo ou partir para a próxima tarefa.


Leia também: Férias em casa: 7 dicas de brincadeiras para mais interação e menos tecnologias


Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui