Amamentação: 5 mitos e verdades sobre aleitamento materno

A enfermeira especialista em maternidade da Medela, Priscila Preissler, esclarece as principais dúvidas sobre o aleitamento materno

97

Leia em 3 minutos

Inúmeras dúvidas podem surgir durante o período de amamentação, a adaptação das mães necessita de atenção especial. Principalmente durante as primeiras 8 semanas após o parto, período no qual o corpo da mulher sofre uma série de alterações para retornar ao estado como era antes da gestação. Para esclarecer algumas dúvidas sobre aleitamento materno a Canguru News separou cinco mitos e verdades esclarecido pela enfermeira especialista em maternidade da Medela, Priscila Preissler. Confira logo abaixo:

Amamentar é fácil. Mito!

Apesar de ser um ato natural, amamentar é uma ação que deve ser aprendida. Principalmente durantes os primeiros dias após o parto, quando o corpo da mães passa por uma série de mudanças. Durante o processo surgem vários questionamentos e para que a experiência seja o mais saudável possível para a mãe e para seu bebê, as consultas com o pediatra são essenciais. Além da paciência e força de vontade para vencer os possíveis obstáculos.

O bebê deve mamar a cada 3 horas? Mito!

O metabolismo dos bebês funciona de maneira diferente do metabolismo dos adultos que necessitam alimentar-se a cada três horas. Por isso deve-se adequar a rotina da amamentação para atender as necessidades nutricionais do bebê. Hoje trabalha-se com o conceito de livre demanda para alimentação da criança, sem horários pré-estabelecidos, atendendo as necessidades calóricas e emocionais do bebê, quando ele quiser, pelo tempo que ele quiser.

É necessário oferecer chá ou suco para o bebê antes dos 6 meses para suprir sua sede? Mito!

O aleitamento materno exerce uma  influência positiva na sobrevivência do bebê auxiliando na proteção contra infecções e doenças respiratórias, por exemplo. Esses benefícios são mais evidentes se a amamentação for exclusiva nos primeiros meses de vida, pois a ação protetora contra diarréias e doenças respiratórias pode reduzir quando a criança recebe outros alimentos além do leite materno.

As mães devem evitar a cafeína e cortar a bebida alcoólica? Verdade!

Algumas substâncias podem alterar a composição do leite materno, inclusive a cafeína e o álcool. A cafeína presente no leite materno pode deixar o bebê irritado e prejudicar seu sono. O álcool, por sua vez, atrapalha o desenvolvimento das células nervosas e deixa o bebê sem fome, prejudicando o ganho de peso.

É possível amamentar após retornar ao trabalho? Verdade!

Retornar a rotina profissional após o término da licença maternidade pode ser um desafio para muitas mães. Ficar afastada de seu bebê sem a possibilidade de amamentá-lo com a mesma frequência que estava acostumada é um dos fatores que influenciam

Atualmente uma saída que muitas mães têm encontrado para esse problema é a extração do leite materno. O leite extraído pode ser armazenado no refrigerador por 12 horas ou no congelador por até 15 dias.O ideal é que a mãe consulte um profissional da saúde para entender qual a melhor indicação ´para ela e seu bebê. Mas a possibilidade de extração e armazenamento do leite materno auxilia mães e filhos no processo de retomada das suas atividades profissionais.

Informações: ABLab

Gostou do nosso conteúdo? Receba o melhor da Canguru News semanalmente no seu e-mail.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Seu nome aqui